Esporte

COI confirma aval a Nuzman no COB, mas diz que ele perderá cargo internacional aos 70

Gustavo Franceschini

Do UOL, em São Paulo

03/02/2012 16h48

Consultado pelo UOL Esporte, o COI (Comitê Olímpico Internacional) confirmou que deu o aval a Carlos Arthur Nuzman para que ele seguisse à frente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), concomitantemente ao cargo de presidente do Comitê Organizador da Olimpíada do Rio de Janeiro-2016.

Só que no final deste ano, quando já tiver completado 70 anos, o dirigente terá mesmo de deixar a entidade-mor do esporte olímpico mundial, como já se esperava.

O aval do COI foi fundamental há uma semana, quando Nuzman apresentou sua candidatura em uma reunião do COB e assegurou sua reeleição na entidade. Antes de confirmar sua intenção de seguir no poder, o cartola leu aos presidentes de confederações um e-mail do COI a uma jornalista brasileira.

O documento tratava como “inverídica” a hipótese de que Nuzman estaria sofrendo pressão para optar pelo COB ou pelo Comitê Organizador da Rio-2016. Consultada pela reportagem, a entidade brasileira não divulgou detalhes nem o nome da jornalista que recebeu a mensagem. Nesta sexta, no entanto, o COI confirmou o conteúdo.

“O COI não expressou nenhuma objeção ao fato de o sr. Nuzman manter, simultaneamente, as suas posições de presidente no COB e do Comitê de 2016”, disse a entidade.

Só que o posto no próprio COI Nuzman vai perder no fim do ano, já que fará 70 anos em março. A exclusão é uma norma do atual regulamento da entidade. No ano passado, especulou-se que Nuzman agiu nos bastidores para mudar essa regra, sem sucesso.

A possibilidade de que ele sairia e ganharia um cargo na entidade também ganhou espaço e chegou a ser publicada pelo blog de Juca Kfouri, no início do ano. O COI não menciona nada sobre o futuro de Nuzman, mas confirma que ele será “jubilado” aos 70.

“O sr. Nuzman vai se retirar do COI no fim do ano em que ele completar a idade limite de 70 anos. Não há substituição automática ou cota para qualquer país. O novos membros são eleitos em sessão da entidade depois que as suas candidaturas são analisadas pela comissão especial e pelo Comitê Executivo”, disse a entidade.

Se nenhum brasileiro se candidatar e ganhar o pleito, o país ficará sem representantes no COI, mesmo a menos de quatro anos de sediar os Jogos Olímpicos. João Havelange, mais velho que Nuzman mas anterior à regra dos 70 anos, deixou a entidade no fim do ano passado após se ver ameaçado por denúncias de corrupção.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo