Topo

Esporte

Comitê de Rio-2016 confirma que brasileiros pegaram arquivos de Londres-12 de forma ilegal

AP Photo/Sergei Grits
Paes com a bandeira olímpica; nos bastidores, funcionários do Rio-2016 roubaram documentos Imagem: AP Photo/Sergei Grits

Do UOL, em São Paulo

21/09/2012 13h02

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, confirmou, por meio de nota oficial, que alguns de seus funcionários baixaram arquivos de Londres 2012 de forma ilegal. A informação, publicada, na última quinta-feira pelo Blog do Juca Kfouri, do UOL Esporte, também foi avalizada pelos organizadores do evento inglês.

“O Comitê confirma que alguns de seus funcionários que, em razões de parceria entre as duas organizações, prestavam serviços ao LOCOG [sigla da entidade inglesa], baixaram arquivos do Comitê de Londres 2012 sem autorização, atitude contrária aos princípios que regiam a confiança mútua entre as duas organizações”, disse o comitê brasileiro, sem identificar os responsáveis, mas confirmando também a demissão dos mesmos.

A entidade ainda admitiu a participação dos ingleses no processo de reparação. Segundo o Blog do Juca, os brasileiros só agiram depois que foram cobrados por Sebastian Coe, medalhista olímpico e presidente do Comitê britânico, que exigiu que os documentos roubados fossem apagados.

Uma equipe britânica, então, veio ao Brasil para apagar as informações. Questionado pela reportagem, o Comitê de Londres 2012 também deu sua versão do caso.

“Nós podemos confirmar que um material de Londres 2012 foi acessado e removido sem o nosso consentimento por um funcionário do Rio 2016 durante os Jogos Olímpicos. Isto foi reportado imediatamente ao chefe-geral do Rio que tomou uma atitude rápida para recuperar o material e devolvê-lo ao Locog. Os arquivos não causavam riscos à segurança e nenhum dado pessoal foi comprometido”, disse um porta-voz do Comitê. 

LEIA A NOTA OFICIAL DIVULGADA PELO COMITÊ RIO-2016 SOBRE O CASO

O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016™ confirma que alguns de seus funcionários que, em razão de parceria entre as duas organizações, prestavam serviços ao Comitê Organizador dos Jogos Londres 2012 (LOCOG, na sigla em inglês) baixaram arquivos do LOCOG sem autorização, atitude contrária aos princípios que regiam a confiança mútua entre as duas organizações.

Os envolvidos foram identificados e as lideranças do Rio 2016™ e do LOCOG agiram de forma conjunta, coordenada e rápida para reparar a situação. Todos os arquivos foram recuperados e devolvidos e os funcionários foram desligados do Rio 2016™.

O Rio 2016™ contou com cerca de 200 representantes em Londres por ocasião dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos deste ano e entende que esse foi um caso isolado.

Toda a atuação do Rio 2016™ é pautada pelos princípios da ética, responsabilidade e transparência.

 

Mais Esporte