Esporte

Raí e Paulo André reforçam apoio a manifestação pacífica: "brasileiro tem que reagir"

Arte/UOL
Gustavo e Meligeni também apoiam manifestações pacíficas Imagem: Arte/UOL

Patrick Mesquita e Leandro Carneiro

Do UOL, em São Paulo

19/06/2013 06h00

Paz. Essa é a palavra de ordem da maioria de atletas sobre as manifestações que estão acontecendo pelo Brasil nos últimos dias. Concordando com todo o movimento da população por melhorias no país, os competidores, em entrevista ao UOL Esporte, disseram que o mais importante é que todos os protestos aconteçam de maneira pacífica.

“Acho que o povo brasileiro chegou ao seu limite com tamanho desrespeito e, principalmente, com a falta de compromisso dos governantes com os problemas da sociedade. Seja na tarifa do transporte público, na PEC 37, no SUS, na educação , claro nos gastos excessivos para as obras da Copa e das Olimpíadas”, disse Paulo André.

Além do zagueiro corintiano, Marcelinho Carioca e Raí, ex-jogador de Corinthians e São Paulo, o ex-tenista Fernando Meligeni e Gustavo, bicampeão olímpico com a seleção de vôlei deram suas opiniões sobre o ocorrido e sobre os gastos para as obras da Copa e Olimpíadas.

Confira a opinião das personalidades do esporte:

SOBRE MANIFESTAÇÕES

  • Raí: Sou a favor. Claro que a gente quer que seja o mais pacifico possível. É uma insatisfação geral com os serviços públicos de uma maneira geral. Algo reprimido há muito tempo. Muita coisa que a gente encole e engoliu. Estou emocionado, todo brasileiro em algum momento tem que reagir, manifestar e ter uma voz. É uma reação bem espontânea começou com algumas reivindicações pontuais e vemos que é maior que isso. Chega em um momento importante para o pais e para o que ele está representando no mundo. Antes de pensar em um posicionamento em termos internacionais, vamos resolver aqui dentro.

  • Paulo André: Eu apoio as manifestações populares pacíficas e fiquei muito feliz com a grande adesão que o movimento tem provocado na sociedade. Acho que o povo brasileiro chegou ao seu limite com tamanho desrespeito e, principalmente, com a falta de compromisso dos governantes com os problemas da sociedade. Seja na tarifa do transporte público, na PEC 37, no SUS, na educação , claro nos gastos excessivos para as obras da Copa e das Olimpíadas que, notoriamente, utilizaram dinheiro público e pouco deixarão de legado de infraestrutura e mobilidade urbana para a população.

  • Marcelinho Carioca: A lei do nosso país é muito branda e não se cumpre nada no Brasil. Aplicam-se as leis, mas sempre tem uma saída e redução de pena. O povo cansou disso e descobriu a força e valor que tem, portanto devem fiscalizar tudo e é hora de colocar a sua própria casa, que é o Brasil, em ordem, no eixo. Liberdade de expressão e manifestação do pensamento.

    • Meligeni:Todo protesto pacifico eu sou a favor. O povo brasileiro finalmente mostrou que não está feliz com um monte de coisas. Com corrupção, mensalão, preço das coisas, impostos, violência saúde, educação. Essa coisa do transporte foi uma maneira de mostrar a insatisfação do povo. O país inteiro está nas ruas. Óbvio que todos são a favor, desde que não tenha violência e baderna. Temos que reivindicar pelas coisas que o povo quer. Botar 50 mil na rua não é a toa. O governo, prefeitura e presidência vão ter que olhar isso com muito carinho.

    • Gustavo: Acho positivo para o país, não só para o esporte. Concordo com todas manifestações e com o que está sendo pedido. Não são só 20 centavos, todo o país é colocado em cheque, todos os nossos governantes que nós mesmos elegemos, que seja bem dito. Então, sempre sou muito a favor para que se melhore o país, mas que sejam pacíficas, que não hajam depredação do patrimônio, anarquia. Se não, nossa imagem de um país em melhorias estará piorando ainda mais para o mundo todo. Estamos em um momento de evidencia, Copa das Confederações, Copa do Mundo, Olimpíadas, a gente está usando isso da melhor forma possível. Que vendamos nossa país como grande, organizador de eventos, de um povo que não se cala, se revolta de forma pacífica. Sou muito a favor, desse modo.

SOBRE A COPA E O GASTO DE VERBA PÚBLICA

  • Raí: O Brasil quer ter nome fora, mas não consegue resolver problemas internos como justiça social e educação. A partir de agora e até a Copa do Mundo e Olimpíada você tem que potencializar essa voz reprimida. Acho que os governantes perceberam que tem gente de olho. Qualquer decisão daqui para frente tem que ser mais democrática.

  • Paulo André: Eu acho que o futebol e as grandes competições foram usadas muitas vezes, ao longo da história, como ferramenta de manobra política das massas. E dessa vez vejo que a massa está usando um grande evento para chamar atenção do governo e do mundo às suas causas e direitos. Trata-se de um momento histórico e uma resposta magnífica a algumas autoridades que achavam que o futebol dispersaria o protesto do povo.

  • Marcelinho Carioca: A verba pública é do povo. Portanto, devem ser gastas com o povo e não com interesses pessoais. Educação do Brasil em penúltimo lugar, tendo Finlândia em primeiro e Ásia em segundo lugar. Saúde pública é uma vergonha e o povo sem remédios e sem atendimentos. Segurança pública uma lástima, sem condições e falta de preparo para trabalhar. O povo está em segundo plano.

  • Meligeni: Eu torço para que esse protesto não seja algo passageiro, tipo: “vamos voltar a fazer na Copa”. Nem o governo tem que tratar assim e nem o povo. Se é algo legitimo do povo, que está cansado e triste, tem que ser solucionado agora. O governo tem que mostrar uma resposta. Não pode durar anos. Cada um tem que mostrar o motivo pelo qual está descontente. Tem a ver com cunho político, mas não pode ser só na Copa e nem diariamente porque o pais tem que andar. Tem que estudar as medidas que vão ser tomadas e vamos melhorar o país. O mais importante é que todo mundo quer mudar o país.

  • Gustavo: Eu acho muito válido para o país, nossa imagem, esses evento são muito válidos. Não concordo devido a vários serviços que não funcionam, saneamento, segurança pública, educação, precisa ter mais trabalho para população. Mas, deveria ter acontecido essas manifestações quando fomos eleitos para sediar a Copa e Olimpíada, não é certo usar agora que está acontecendo para querer se revoltar. É válido, se conseguir que o país melhore, ótimo.

WEB VIRA "PALCO" PARA MANIFESTAÇÕES DE ATLETAS

  • Durante as manifestações, diversos atletas também utilizaram redes sociais para declarar apoio às pessoas que invadiram as ruas para demonstrar insatisfação com o aumento das tarifas de ônibus e o gasto de dinheiro público em obras para a Copa do Mundo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo