Topo

Esporte


Primeiro brasileiro profissional de strongman devora açaí e carne para pesar 130 kg

Arquivo pessoal
Atleta leva experiência com powerlifting e esportes de força para circuito de strongman Imagem: Arquivo pessoal

Bruno Freitas

Do UOL, em São Paulo

23/07/2013 06h00

O grupo dos homens mais fortes do mundo agora conta com um brasileiro como integrante permanente. O paulista Marcos Ferrari conseguiu convite para ser representante do país no circuito profissional do Strongman Champions League, com etapas regulares ao redor do planeta, e agora luta para ganhar peso para lidar de igual para igual com os gigantes do exterior. A meta do atleta conhecido como Marrento é chegar pelo menos aos 130 kg.

Campeão amador do Arnold Classic no Rio de Janeiro, em evento no primeiro semestre que contou com a ilustre presença do ícone da força Schwarzenegger, Ferrari ganhou convite para integrar o circuito profissional. Outros dois brasileiros já passaram pela liga, com Ricardo Nort e Jair Gomes, mas Marrento trabalha para ser o primeiro em status permanente. 

Depois de participar de um programa de TV na China com os atletas da liga, o brasileiro agora faz a estreia para valer, na etapa de Algarve, em Portugal, neste final de semana.

A intenção de Marcos Ferrari é conseguir cumprir a agenda do circuito já em 2014, com eventos praticamente mensais. Para isso, no entanto, o atleta de Mogi das Cruzes agora conta com o suporte de uma equipe, com fisiologista e massagista, por exemplo. A meta do brasileiro é ganhar massa com uma dieta programada de seis refeições diárias, com direito a muito açaí e carne. Tudo para dominar a pesada rotina de provas que incluem troncos de árvore, pneus gigantes, bolas de concreto, etc.

"Faço seis refeições por dia. Não como fritura, comidas oleosas. Mas como arroz, batata, macarrão, pizza, sorvete e muito açaí. O açaí está presente na minha dieta diária. Como muita carne também, de 1 kg a 1,5 kg por dia. É uma comida funcional", diz Ferrari, que mede 1,77 m e atualmente pesa 120 kg.

"A gente precisa comer muito, precisa saber como comer, para evitar disfunções, como o colesterol, desenvolver diabetes, saber a quantidade de carboidrato. Não tem essa de comer arroz branco ou integral, isso não existe. Existe balanceio no trabalho de evitar disfunções, controlando de tudo", acrescenta.

Ferrari entende que precisa de peso para aguentar a demanda física do esporte, que tem entre os seus destaques verdadeiras feras. Por exemplo, o lituano Zydrunas Savickas, com 1,91 m e nada menos do que 170 kg, é hoje considerado o grande nome da modalidade.

Na experiência na China, o brasileiro trocou informações sobre treinos e métodos dos adversários e detectou a rotina intensa de alimentação deles. Lá também encontrou provas consagradas do esporte, como levantamento de pesos diversos, como bolas gigantes de concreto. O evento com a nata do strongman mundial ainda contou com o desafio de deslocar um avião com a força do corpo.

"Fui muito bem recebido. O europeu tem a fama de ser mais fechado, principalmente o do Leste Europeu, o finlandês. Mas teve muita troca de experiência, muito aprendizado, muito ensinamento", conta.

Além da manutenção como nome habitual do circuito profissional, o atleta de 35 anos sonha em chegar ao evento mais importante da modalidade, o "Homem Mais forte do Mundo" (The World’s Strongest Man) – que já contou em edição anterior com outro brasileiro, Ricardo Nort.

"É o topo da pirâmide, a Copa do Mundo do strongman", afirma Ferrari, que espera estar no evento pela primeira vez até 2015.

"MARRENTO" É CODINOME ESPORTIVO DO ATLETA BRASILEIRO

Apesar de ser um interlocutor afável, querido no universo do strongman nacional, Marcos Ferrari carrega o apelido de 'Marrento'. O novo integrante do circuito profissional explica que o codinome esportivo se deve basicamente a seu perfil de perseverança.  

"Tenho um perfil muito teimoso, dificilmente desisto das provas que disputo. Aí o pessoal começou a chamar assim e começou a pegar", relata.

Ferrari treina no centro dos Strong Monsters, em Mogi das Cruzes. Além da prática rotineira de levantamento de peso em diversas modalidades, o atleta também usa kickboxing e natação no trabalho de preparação.

Após o ingresso no circuito profissional, Ferrari precisou diminuir o ritmo em outras atividades, já que era funcionário público e tocava um negócio próprio. De quebra, na vida pessoal, o destaque brasileiro do strongman ainda cumpre a nobre missão de educar três filhos, junto com a esposa. 

MAIS SOBRE MARCOS FERRARI NO STRONGMAN

Mais Esporte