Esporte

Atleta relata agressão no Corinthians e abre processo; diretor rebate

Acervo
Gabriel, jogador de futebol americano, em ação com a camisa do Corinthians Imagem: Acervo

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

18/04/2017 19h23

Uma troca de acusações e um processo aberto por um ex-atleta do Corinthians veio à tona nesta terça-feira. Gabriel Hassani, de 19 anos, acusa Ricardo Trigo, diretor do futebol americano do clube, de agredi-lo durante uma partida disputada no começo do ano.

No processo, Gabriel diz que o diretor desferiu diversos socos depois de uma confusão com um jogador adversário no dia 22 de janeiro, na partida amistosa entre Corinthians e Portuguesa. Ricardo, por sua vez, afirma que houve golpes das duas partes. A reportagem do UOL Esporte procurou o atleta e o diretor - o jogador se pronunciou por meio de seu advogado.

"Ele discutiu com o jogador do outro time e o Ricardo não gostou. Ele entrou no campo e empurrou Gabriel, que tentou sair do campo. Ele continuou atrás e deu socos nele. Um só acertou, porque ele deu vários e o pessoal apartou", disse o advogado de Gabriel, Roberto Aielo, que afirmou que Ricardo não sabia que o pai do atleta estava vendo o jogo.

"Eu estava com a equipe como treinador. O Gabriel teve um entrevero com um jogador da Portuguesa. Ele pisou no cara e chutou o capacete dele no chão. Eu falei para ele que não é dessa forma que a gente age. Que temos de ter respeito. Ele lançou o capacete na minha direção. Eu segurei ele, ele me empurrou e nós dois desferimos um golpe. Meu óculos quebrou e entrou caco de vidro no meu olho", rebateu Ricardo Trigo.

Acervo
Trigo é ex-jogador de futebol americano Imagem: Acervo

O diretor, que se aposentou dos gramados no ano passado, ainda disse que depois da confusão ele deixou o campo e foi embora porque o pai de Gabriel "ficou transtornado falando ele ia matá-lo" e porque "tinha perdido a vontade de continuar" no local da partida.

"Fui surpreendido com essa ação dizendo que ele foi espancado. Espancado não foi. Cada um fala o que quer. Não deveria ser feito dessa forma, a gente poderia ter conversado. Ele abriu um precedente para eu fazer a mesma coisa, pois ele também me agrediu. Foi descabido", afirmou Ricardo, que admitiu que desferiu o primeiro soco após ser empurrado e ser atingido pelo capacete de Gabriel

Nesta terça-feira, Gabriel postou uma foto em uma rede social e lamentou o desfecho da confusão. O jogador de 19 anos deixou de competir pelo clube logo após o incidente.

"Quem me conhece sabe o quanto tudo isso foi doloroso para mim e pros meus familiares, tive meu sonho interrompido no qual eu defendia as cores do time do meu coração! Apesar de tudo isso continuo sendo Corinthians até a minha morte", escreveu.

Segundo o advogado do atleta, a audiência de conciliação ainda não está marcada. Depois de ela ser designada, haverá a audiência de instrução e julgamento. Gabriel pede uma indenização de R$ 10 mil por danos morais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo