Esporte

De assassino a lutador: projeto em prisão tenta reabilitação com esporte

Divulgação/Prison Fighters
Chalermpol Sawadsuk, ex-presidiário tailandês beneficiado por programa de reabilitação de seu país por meio da luta Imagem: Divulgação/Prison Fighters

Do UOL, em São Paulo

22/12/2017 04h00

Nem Chalermpol Sawadsuk parece acreditar na pessoa em que se transformou depois de sair da prisão. Condenado por tráfico de drogas, o tailandês que já cometeu assassinatos e era um dos braços armados de uma organização criminosa hoje se dedica exclusivamente ao esporte, mais precisamente ao muay thai. Foi assim que ele reduziu sua pena e sentiu a sensação de liberdade novamente.

Membro do tráfico desde os 18 anos, Sawadsuk foi preso aos 23. Além de vender drogas, fazia as cobranças em nome dos criminosos e matava pessoas caso recebesse tais ordens de seus superiores. Acabou condenado a dez anos de prisão.

No segundo ano na penitenciária, no entanto, ele descobriu um programa do governo tailandês que pode diminuir a pena daqueles que se dedicarem às lutas. Para isso, é preciso ter uma experiência anterior em boxe ou muay thai e ter sido condenado a pelo menos dez anos de prisão, justamente a sentença de Sawadsuk.

Como lutou muay thai dos 8 aos 15 anos, o tailandês preenchia todos os requisitos. Passou a treinar diariamente das 9h às 18h, com duas horas de intervalo, e logo começou a lutar no presídio. Os adversários eram detentos de outras cidades, funcionários ou boxeadores estrangeiros em busca de experiência.

“Quem poderia imaginar que uma pessoa ruim como eu poderia ter a chance de ter uma boa família novamente? Acho que o amor é a reabilitação”, comentou ao “The New York Times”.

Graças às vitórias nos ringues dentro do presídio e ao bom comportamento impulsionado pela rotina de treinamentos, Sawadsuk teve sua pena reduzida para três anos e ganhou a liberdade antes do que esperava.

Ele tem uma namorada, Saranya Meesuk, e saiu de Bangkok com ela para se afastar de pessoas e situações que o ligavam ao crime. O lutador agora se prepara em uma academia especializada e aprende um estilo mais internacional de muay thai.

“Tudo isso foi uma grande mudança na minha vida. Acho que o programa me ajudou a ter mais foco e a desacelerar. Agora penso mais nas coisas e sou mais racional. Cresci muito”, avalia.

O passado, no entanto, ainda está vivo em sua memória. Ele diz que se lembra do rosto de todas as pessoas que matou e de como elas imploraram para continuar vivas. Sawadsuk afirma que reza toda noite por elas. O restante do tempo é dividido entre a namorada e a rotina de lutas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo