Topo

Esporte

Peninha pede desculpas após piada machista e comentarista chora ao lembrar

Reprodução
Duda Streb, jornalista da Rádio Gaúcha, foi vítima de machismo Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

27/04/2018 14h18

Na última quinta-feira (26), a comentarista Eduarda Streb foi vítima de uma piada machista do colega de trabalho Eduardo Bueno, o Peninha, durante o programa Sala de Redação, da “Rádio Gaúcha”. O jornalista disse que ela deveria “voltar para cozinha” e, após grande repercussão, ele decidiu se pronunciar e pedir desculpas nesta sexta.

“Passei a manhã na cozinha fazendo um almoço para a minha colega Duda Streb. Eu estou convidando a Duda para almoçar para me desculpar pela piada, não porque era uma piada assim tão ruim. Mas era velha, antiquada. Para mim, cozinha é um dos lugares mais sagrados da casa. Eu mesmo morei em Gramado por anos e ‘deixava minha mulher trabalhar’ e cuidava de casa. Foi uma piada, uma piada ruim, antiquada. Por mim a questão está encerrada porque é tola e boba. Minha obra fala por mim. Não tem nada que eu prefira mais que mulher no comando”, declarou Peninha.

Ainda muito abalada com a ofensa que sofreu, Duda também se pronunciou. A jornalista falou sobre a dificuldade de ser mulher em um ambiente de trabalho extremamente machista e, apesar de triste, aceitou o pedido de desculpas do colega de mesa.

“É difícil ser mulher. Graças a Deus essa redação está cheia de mulher. Eu realmente tinha dúvida se tinha condições de falar. Eu não sou de me vitimizar, não combina comigo. Acho mesmo que foi uma brincadeira do Peninha. Na hora, nem levei a sério, mas essa brincadeira não tem nenhuma graça. Porque nós mulheres sabemos o tamanho da nossa luta, o tamanho do nosso esforço e o quanto o mundo esportivo é machista. Encaro essa brincadeira como infeliz”, falou Duda, chorando muito.

“E por mim está tudo certo. Que esse episódio sirva de lição para a gente, para nós todos. Esse mundo precisa de amor, mais cuidado. Estou aqui por mérito, fui convidada pela RBS, aceitei esse espaço. É uma escolha minha ficar trabalhando como repórter longe de uma cozinha. Trabalhando em Olimpíada, Copa do Mundo, Mundial de Clubes, em muitos eventos que eu cobri por mérito. Desde ontem tenho recebido muitas manifestações de carinho. Foi uma brincadeira infeliz. Não vou almoçar contigo, mas está tudo certo”, encerrou.

Durante o ocorrido, Duda defendia o lado do Internacional de Porto Alegre e Peninha defendia o lado do Grêmio. Uma polêmica sobre arbitragem foi instaurada e o jornalista disse “Quem colocou essa menina aqui? Volta para a cozinha que é o lugar que tu nunca deveria ter saído”.

Assista ao diálogo em questão:

Sindicato repudia comentário e questiona rádio

Em comunicado, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (SindJors) repudiou "com veemência e indignação" a declaração feita por Peninha. O comentário foi classificado pela entidade como "ofensivo, machista e preconceituoso".

"O SindJors lamenta profundamente tamanha agressão, tenha ela sido feita seriamente ou em tom de brincadeira, o que também não se justifica. E condena que posições deste tipo, ao acentuarem as desigualdades sociais tão combatidas pelo movimento feminista, evidenciam falta de ética profissional e atentam contra o relacionamento civilizado em nossa sociedade, ainda sejam expostas em um programa de rádio de tamanha audiência", diz a nota.

"A entidade estranha que a Rádio Gaúcha, integrante do Grupo RBS, permita afirmações de cunho misógino, exatamente no momento em que profissionais das empresas assinam o movimento nacional #DeixaElaTrabalhar, lançado no dia 25 de abril, com o objetivo de lutar contra o assédio moral e sexual sofrido pelas jornalistas que atuam na cobertura de esportes no exercício da profissão. O SindJors reitera que o preconceito e a discriminação precisam, com urgência e seriedade, serem combatidos dentro dos meios de comunicação", completa.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte