Topo

Esporte


Chuvas no RJ afetam estruturas esportivas e podem impactar Rio Open

Do UOL, em São Paulo

2019-02-07T18:11:40

2019-02-07T20:58:43

07/02/2019 18h11Atualizada em 07/02/2019 20h58

A forte chuva que caiu sobre o Rio de Janeiro na noite de quarta-feira (6) atingiu instalações esportivas e causou prejuízo em locais de prática de várias modalidades. O Parque Aquático Maria Lenk, duas das sedes do Instituto Reação e as instalações do Rio Open são alguns dos que tiveram algum tipo de prejuízo por causa do temporal. 

O ex-judoca Flávio Canto divulgou vídeo da sede do Instituto Reação, na Rocinha, sendo invadida pela água. Canto é o presidente do projeto que dá aulas da modalidade a pessoas carentes. A Rocinha foi uma das áreas mais atingidas pela chuva. 

O instituto tem ainda um polo na Cidade de Deus, que também sofreu prejuízos. Ambos os locais, que atendem cerca de 950 pessoas, não foram abertos nesta quinta (7). 

"Ainda estamos avaliando os estragos da chuva e as atividades estão suspensas nos polos Rocinha e Cidade de Deus. Nosso foco é preservar a segurança dos nossos alunos e colaboradores", informou por meio de nota o Instituto Reação. 

Reprodução/Band
Imagem: Reprodução/Band
A estrutura montada para o torneio de tênis Rio Open, na Gávea, ficou totalmente alagada. O evento começa dia 18 de fevereiro. "A organização do Rio Open está junto com técnicos avaliando eventuais impactos na área de realização do torneio. Tão logo tenhamos um diagnóstico, vamos nos manifestar", diz a nota divulgada pela organização.

Mais tarde, a organização do Rio Open divulgou nova nota: "Depois de uma vistoria minuciosa em toda a área do evento, foram constatados algumas avarias no Leblon Boulevard. As quadras não sofreram grande impacto. A produção do evento, junto com os fornecedores e parceiros, já está tomando todas as medidas cabíveis para restaurar as áreas afetadas e impactar o mínimo possível qualquer transtorno. Não prevemos nenhuma alteração na programação do Rio Open, por enquanto".

Também na Gávea, a sede do Flamengo precisou ser fechada por causa da chuva, que arrancou árvores, inundou estacionamento e deixou muito ferro contorcido no local. 

Localizado na Barra da Tijuca, o Parque Aquático Maria Lenk teve problemas em toldos e portas por causa dos fortes ventos, que chegaram a 110 km/h na cidade. As atividades no local foram retomadas na parte da tarde. "No espaço interno, houve entrada de água e, para evitar danos ao quadro elétrico, a energia foi desligada. Todos os procedimentos de segurança estão sendo orientados pelos brigadistas de plantão", diz nota do Comitê Olímpico Brasileiro.

Em todos os casos, os danos ainda estão avaliados e custos de reparo, estimados.

Leia mais:

Branca Feres, gêmea do nado, teve de saltar de carro no meio de enchente 

Mais Esporte