Topo

Esporte


Time de críquete foge ao ouvir tiros e escapa de ataque na Nova Zelândia

Ataques deixaram ao menos 49 mortos - REUTERS TV
Ataques deixaram ao menos 49 mortos Imagem: REUTERS TV

Do UOL, em São Paulo

15/03/2019 07h50

O time de críquete de Bangladesh escapou por pouco de ataques a duas mesquitas que deixaram ao menos 49 mortos hoje em Christchurch, na Nova Zelândia. A delegação da equipe que está no país para uma série de amistosos e jogos tinha acabado de chegar a um dos locais atacados para orações quando teve início o tiroteio.

De acordo com relatos, os jogadores e a comissão técnica estavam ainda no ônibus quando ouviram os primeiros disparos. Eles permaneceram dentro do veículo e, depois de cerca de 10 minutos, correram para o estádio de críquete que fica perto do local. Um jornalista da ESPN que acompanha a equipe acompanhou a volta dos jogadores para o hotel.

Em entrevista, o técnico Khaled Mashud Pilot contou como foram os momentos de pânico. "Assistimos a tudo do ônibus, como um filme, pessoas sangrando ao saírem da mesquita".

Em nota em seu Twitter, a federação de críquete confirmou que todos os membros da delegação chegaram em segurança no hotel horas depois.

"Todos os membros da Equipe de Críquete do Bangladesh, em Christchurch, estão em segurança de volta ao hotel após o incidente. O Bangladesh Cricket Board está em constante contato com os jogadores e com a gerência da equipe", escreveu em comunicado.

Pelo Twitter, um dos jogadores da equipe, Tamim Iqbal Khan, escreveu que a experiência foi assustadora. "Equipe inteira está salva do ataque. Experiência assustadora e por favor, mantenha-nos em suas orações".

A equipe de Bangladesh está em turnê pela Nova Zelândia desde março. As atividades desta sexta-feira previstas para a seleção foram canceladas.

Os ataques

Um ataque a tiros em duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, deixou pelo menos 49 mortos. Testemunhas afirmaram que, por volta das 13h40 local (21h40 de quinta no horário de Brasília), um homem branco vestido com trajes militares invadiu a mesquita Masjid Al Noor, no centro da cidade, e começou a atirar. Foram contabilizados também 48 feridos.

Depois houve registros de tiros em uma segunda mesquita A polícia não descartou a hipótese de outros locais terem sido alvo de ataques. Casos semelhantes são pouco comuns no país: o último massacre a tiros registrado aconteceu em 1990.

Mais Esporte