Topo

Futebol


Eles largaram o futebol, mas tentam ganhar a Copa do Mundo... De videogame

divulgação/FIFA eNations Cup
Ebio Fernandes ("Ebinho") e Victor "Tore" representarão o Brasil na Copa do Mundo de FIFA Imagem: divulgação/FIFA eNations Cup

Ana Carolina Silva e Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

2019-04-13T04:00:00

13/04/2019 04h00

A seleção brasileira pode conquistar uma Copa do Mundo com chancela da Fifa neste fim de semana. Hoje e amanhã (13 e 14), Ébio Fernandes ("Ebinho") e Victor "Tore" disputam a versão de videogame do torneio em Londres, na Inglaterra, e tentam levar para o FIFA 19 um pouco do que aprenderam como jogadores de futebol em gramados reais.

Ebinho, de 22 anos, passou pelas categorias de base da Portuguesa, e Tore, de 17, também tentou seguir carreira com a bola no pé. A experiência que tiveram como volantes não deu certo, mas houve um caminho alternativo: agora os dois são, respectivamente, jogadores profissionais de videogame no inglês Wolverhampton e no holandês Ajax. Ambos se classificaram para a competição que começa hoje.

"Acho que eu e o Tore temos um estilo de jogo parecido na vida real, e dentro do jogo deve ser também. (...) Dentro do jogo, muitas coisas que eu faço são coisas que faço quando vou jogar bola com meus amigos. E tem coisas que vejo dentro do jogo e acabo levando para fora também, quando jogo com meus amigos", explicou Ebinho ao UOL Esporte.

reprodução/Instagram
Ebinho é um dos brasileiros na disputa Imagem: reprodução/Instagram

"Nunca fui um cara muito rápido, sempre fui mais forte, mais 'cheinho'. Nunca tive um preparo físico muito bom, então eu tinha de ser um cara muito mais técnico. Tentava ter um pouco mais de qualidade. É claro que faltava um pouco de velocidade, mas eu tentava compensar", completou ele, que pensa que seria "muito complicado" tentar a sorte novamente no futebol de campo.

Na verdade, a dupla nem precisa tentar voltar a competir nos gramados. Afinal, a grande maioria dos atletas de futebol na vida real nunca terá a chance de disputar a Copa do Mundo, mas o game FIFA abriu as portas para os dois.

"É o maior sonho. É claro que quero ser campeão no individual também, mas a Copa Mundo é o maior sonho. É o Brasil", afirmou Ebinho, orgulhoso.

Ao receber a camisa da seleção das mãos de Manoel Flores, diretor de competições da CBF, o rapaz não resistiu e caiu no choro. Seu pai estava internado com um problema cardíaco, mas, agora, está liberado para torcer por ele na disputa. "Foi um momento de colocar tudo para fora. Eu parei para pensar no que estava acontecendo e no que tinha conquistado. Foi o momento de extravasar", disse.

No entanto, não será fácil conquistar a Copa do Mundo de FIFA. São 20 países no total - ou seja, 40 jogadores -, divididos em quatro chaves. O Brasil ficou no Grupo C e encontrará boa dose de rivalidade, pois enfrentará Argentina, Alemanha, Noruega e Suécia. Os alemães aproveitaram a oportunidade para fazer algo que os gamers chamam de "trash talk" e provocaram os brasileiros com o fantasma do 7 a 1.

divulgação/FIFA eNations Cup
Mohammed "Mo Auba" e Michael "Megabit" representarão a Alemanha na Copa do Mundo de FIFA Imagem: divulgação/FIFA eNations Cup

Quando os grupos foram definidos, um jogador alemão de FIFA (que não se classificou para o torneio) apostou no Twitter que Brasil e Argentina seriam os adversários mais fortes de seus compatriotas. Mas o perfil da divisão de eSports da Federação Alemã de Futebol (DFB) relembrou o 7 a 1 e questionou: "Por que deveria ser diferente no console e nos gramados? Queremos ver".

A provocação divertiu Ebinho, que fez questão de dizer aos rivais que seu país é pentacampeão do mundo. "Quem são os responsáveis pelo 7 a 1 são os caras que estavam em campo naquele momento. A gente tirou foto com as taças no museu da CBF (veja acima) para mostrar que só nós temos cinco. A gente vai jogar contra eles, e esperamos que seja 7 a 1 para nós", disse.

divulgação/FIFA eNations Cup
Nicolas (número 1 do ranking mundial de PlayStation) e Yago representarão a Argentina na Copa do Mundo Imagem: divulgação/FIFA eNations Cup

A rivalidade com a Argentina também pode aparecer, mas com respeito e cautela; afinal, um dos argentinos que disputarão o torneio é Nicolas (conhecido como "nicolas99fc"), atual número 1 do ranking mundial de FIFA 19 no PlayStation 4. Ao lado dele estará Yago, que joga no Xbox One e é descrito pela entidade máxima do futebol mundial como "um dos talentos emergentes".

Torneio teve polêmica com brasileiro antes de começar

Laís Torres/CBF
Paulo Neto chegou a receber uma camisa da seleção das mãos de Manoel Flores, mas foi desclassificado Imagem: Laís Torres/CBF

Inicialmente, Victor Tore não seria o parceiro de Ebinho na Copa do Mundo de FIFA. O participante de 17 anos entrou como substituto de Paulo Neto, que foi desclassificado pela Electronic Arts (empresa desenvolvedora do game FIFA) há menos de 10 dias por não cumprir um dos requisitos do torneio: a idade.

O regulamento de FIFA determina que os jogadores só podem disputar campeonatos se tiverem 16 anos completados até 31 de outubro do ano anterior; neste caso, trata-se de 31 de outubro de 2018. Paulo tinha 15 na data-limite, e este problema foi notado pela Electronic Arts quando o garoto entregou o passaporte para que as passagens fossem emitidas.

"Nunca houve nenhuma alteração de documentos e identidade. Simplesmente eu não sabia que precisava ter feito 16 anos até 31 de outubro de 2018 (erro meu em não ter me atentado a isso) e acreditava que era necessário ter 16 anos para jogar os campeonatos", explicou Paulo em nota publicada no Twitter, na qual deseja sorte ao substituto Tore.

"No FUT Champions de Atleta, eu mandei toda a minha documentação corretamente, inclusive passaporte, e ninguém da EA veio me proibir de jogar, o que deu a entender que eu era elegível para jogar qualquer campeonato. (...) Minha consciência está limpa, pois em nenhum momento forjei qualquer documento. A EA que errou ao não se atentar e permitir que eu jogasse em Atlanta", disse.

Assim como ocorreu com Ebinho, ele já havia até recebido uma camisa da seleção brasileira das mãos de Manoel Flores, diretor de competições da CBF. Paulo Neto não esconde a frustração com o caso, mas quer dar a volta por cima logo. "Isso me abalou muito, pois eu estava no meu melhor momento e com mais dois torneios garantidos a disputar, mas não ficarei lamentando para sempre", afirmou ao UOL Esporte.

Entenda como funciona a Copa do Mundo de FIFA

divulgação/FIFA
Imagem: divulgação/FIFA

Com um prêmio de US$ 40 mil (mais de R$ 150 mil) para os campeões, a Copa do Mundo de FIFA terá 20 seleções, divididas em quatro grupos. O Brasil está na mesma chave de Alemanha, Argentina, Noruega e Suécia, e os jogos ocorrem entre hoje (13) e amanhã (14).

Vence quem levar a melhor em três partidas: um jogo no Xbox One (com um jogador de cada seleção, no modo 1 x 1), um jogo no PlayStation 4 (também no 1 x 1) e um jogo de duplas (neste caso, a plataforma utilizada varia a cada disputa).

A distância entre os dois brasileiros foi um obstáculo que atrasou o treinamento desta disputa em dupla; os dois só puderam praticar quando se encontraram em Londres. "O Tore não tem Xbox, e eu não tenho PlayStation. A adaptação ao console é mais complicada do que a adaptação ao seu parceiro de equipe", explicou Ebinho.

Apesar de ser uma Copa do Mundo, os elencos utilizados pelos participantes são compostos por nomes de variados países. Ou seja, o time usado por um dos brasileiros pode ter o espanhol De Gea no gol, o brasileiro Ronaldinho Gaúcho no meio e o português Cristiano Ronaldo no ataque. Não há uma nacionalidade definida para cada equipe.

A mescla de países acontece porque o tipo de jogo da competição é o "Ultimate Team", modo dentro do FIFA no qual o player adquire e coleciona cartas de atletas e ex-atletas reais para montar sua equipe.

Mais Futebol