Esporte

Prêmio de Aubameyang causa polêmica na África

08/01/2016 19h11

Paris, 8 Jan 2016 (AFP) - A eleição do gabonês Pierre-Emerick Aubameyang como melhor jogador africano de 2015 causou revolta do marfinense Yaya Touré e do ganês Andre Ayew, que consideram que o atacante do Borussia Dortmund não mereceu o prêmio, por não ter brilhado na Copa Africana de Nações (CAN), principal competição do continente.

"É triste ver a África reagir desta forma, não dar importância às coisas africanas", lamentou Touré, em entrevista à rádio RFI.

O volante do Manchester City foi capitão da seleção marfinense que se sagrou campeã da CAN, em fevereiro, ao derrotar a Gana de Ayew nos pênaltis na decisão.

Eleito melhor jogador africano nos quatro anos anteriores, Touré não digeriu o fato de 'Auba' ter sido premiado apenas pelo desempenho com seu clube.

O atacante gabonês é o maior artilheiro da atual temporada em todos os grandes campeonatos europeus, com 18 gols marcados em 17 rodadas da Bundesliga, mas sua seleção foi eliminada logo na primeira rodada da CAN.

"Acho que isso é uma vergonha para a África, é indecente! Mas o que podemos fazer. Nós, africanos, não mostramos que a África é importante aos nossos olhos. Damos mais importância ao exterior do que ao nosso próprio continente", lamentou.

Ayew também criticou a escolha de Aubameyang, em entrevista ao site do jornal L?Équipe.

"Yaya e eu fomos finalistas da CAN. Ele ganhou, eu fui o artilheiro da competição. Aubameyang é um amigo e teve um ótimo ano. Se a CAN não tivesse acontecido, seria até discutível, mas temos que privilegiar nossas competições. Francamente, nesse ano, o prêmio tinha que ser meu ou do Yaya", opinou o filho de Abedi Pelé, lendário jogador ganês da década de 90.

Aubameyang recebido como heróiTouré chegou até a levantar suspeitas sobre a Confederação Africana: "nem a Fifa, que tem todas as histórias de corrupção, faria uma coisa dessas, como aconteceu hoje, a CAF também vai cair".

De acordo com o marfinense, o prêmio de melhor jogador africano está seguindo a tendência da Bola de Ouro, que passou a valorizar mais as estatísticas individuais em relação aos títulos.

"Vou dar um exemplo: Lionel Messi conquistou todos os troféus neste ano, com o Barcelona, mas o que você diria se Cristiano Ronaldo (que não ganhou um título sequer com o Real Madrid) ficasse com o prêmio da Bola de Ouro (que será entregue na segunda-feira)?! Seria injusto"!

Alheio às polêmicas, Aubameyang foi recebido como herói no seu país, nesta sexta-feira, na capital Libreville.

O presidente da República do Gabão, Ali Bongo Ondimba, postou no Twitter fotos da chegada do atacante de 26 anos, que recebeu no Palácio Presidencial, onde foi condecorado com a Ordem Nacional do Mérito.

"Estou feliz e orgulhoso com este prêmio, que é de todo o povo gabonês", comemorou 'Auba'.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo