Esporte

Atlético chega às quartas da Champions na garra e no sufoco

15/03/2016 19h46

Madri, 15 Mar 2016 (AFP) - Em partida tensa com suspense até o fim, o Atlético de Madri garantiu sua vaga para as quartas de final da Liga dos Campeões ao derrotar o PSV Eindhoven nos pênaltis (8-7), nesta terça-feira, no estádio Vicente Calderón, depois do empate sem gols no tempo normal e na prorrogação.

Como aconteceu na partida de ida, na Holanda, o jogo fui muito intenso, com várias chances para ambas as equipes, mas os goleiros brilharam e as redes não balançaram nos 210 minutos do confronto.

Com o apoio da sua torcida, o Atlético cresceu no segundo tempo, com a entrada de Fernando Torres, mas 'El Niño' só conseguiu encontrar o caminho do gol na disputa de pênaltis.

O meia Luciano Narsingh, que entrou a dois minutos do fim, só para bater pênalti, acertou o travessão, e o lateral Juanfran converteu a cobrança que deu a classificação nas quartas de final.

O 'Atleti' conhecerá seu adversário na sexta-feira, quando será realizado o sorteio dos confrontos.

Em Madri, o técnico Diego Simeone optou por um ataque mais solto, com os velozes Griezmann e Ferreira-Carrasco formando dupla lá na frente, deixando no banco 'El Niño' Fernando Torres e o argentino Vietto.

O único representante brasileiro na partida foi Filipe Luís, titular absoluto da lateral-esquerda 'colchonera'.

A torcida acolheu o time com um lindo mosaico, exibindo a mensagem "nunca deixe de acreditar". Um mantra que se aplica tanto para a Champions quanto para a Liga Espanhola, na qual os 'colchoneros' têm oito pontos a menos que o líder Barcelona.

Fato é que o público teve que mostrar fé até o fim para comemorar a classificação, que foi mais suada do que o esperado.

Goleiros protagonistasApesar desse incentivo, o 'Atleti' teve um início tímido na partida. O bloco defensivo, como sempre, estava muito compacto, mas os comandados de Diego Simeone mostravam certa dificuldade para criar jogada sair jogando.

O PSV tocava bem a bola, contando com a habilidade de Locadia para tentar desequilibrar a marcação cerrada dos anfitriões.

O time holandês estava melhor em campo, mas as chances mais claras foram dos anfitriões.

O Atlético começou a encontrar mais espaços pelo lado direito, com Juanfran e Koke aproveitando falhas de posicionamento de Willems e Moreno. Fui justamente com um passe no meio desses dois jogadores que Juanfran lançou Koke, que cruzou na medida para Griezmann.

O francês recebeu perto da marca do pênalti, mas o goleiro Zoet saiu bem e conseguiu tirar a bola com o pé.

Griezmann voltou a ter uma grande chance aos 38, em outra jogada iniciada por Juanfran. O lateral alçou a bola na área e Ferreira-Carrasco ajeitou para o francês cabecear forte, perto da pequena área, obrigando Zoet a salvar o PSV com defesa espetacular, de puro reflexo.

O Atlético começou a gostar do jogo e ensaiou uma forte pressão nos momentos finais da primeira etapa, incendiando a torcida.

'El Niño' devastadorO estádio Vicente Calderón vibrou ainda mais pouco depois do intervalo, quando Diego Simeone foi para o tudo ou nada ao tirar o volante argentino Augusto Fernández para a entrada do ídolo local, Fernando Torres, que mudou a cara do jogo, dando mais contundência ao ataque 'colchonero'.

Logo depois da entrada de 'El Niño', porém, o PSV criou sua melhor chance na partida, aos 13, com uma bomba de Locadia que o goleiro Oblak desviou para a própria trave. De Jong ainda apareceu no rebote, mas Filipe Luís conseguiu salvar em cima da linha.

O lateral brasileiro também apareceu no ataque, aos 17, com um chutaço que Zoet espalmou em cima de Ferreira-Carrasco, que chutou por cima.

Fernando Torres tentou resolver na base do talento individual. Aos 20, o atacante partiu para o contra-ataque, entortou dois marcadores, mas foi desarmado na hora da finalização.

'El Niño' ainda tentou um golaço por cobertura aos 30, e a bola passou muito perto da meta de Zoet.

Torres, sempre ele, teve outra grande chance aos 41, quando invadiu a área pela esquerda e chutou sem ângulo, para mais uma grande defesa do goleiro holandês, que manteve o PSV vivo e forçou a prorrogação.

O Atlético continuou pressionando no tempo extra, mas só finalizou uma vez com perigo, com um chute de Saul no meu do gol.

O suspenso continuou tomando conta do confronto na de pênaltis. Foram necessárias 16 cobranças, até que Narsingh esbarrou no travessão e Juanfran chutou no cantinho de Zoet.

O Vicente Calderón foi literalmente abaixo, comemorando a classificação como se fosse o título, depois de roer as unhas por mais de 120 minutos.

lg

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo