Esporte

Sem CR7, Real empata sem gol com City em jogo de poucas emoções

26/04/2016 17h52

Manchester, Reino Unido, 26 Abr 2016 (AFP) - Sem o brilho do astro Cristiano Ronaldo, Real Madrid e Manchester City proporcionaram um espetáculo indigno de uma semifinal de Liga dos Campeões e não mexeram no placar na Inglaterra, deixando a decisão para a partida de volta, no dia 5 de maio, no estádio Santiago Bernabéu.

CR7, que sofreu uma lesão muscular na coxa na semana passada, viajou para a Inglaterra mas acabou sendo vetado pelo departamento médico. O português, que foi ídolo do Manchester United, arquirrival do City, assistiu ao jogo da arquibancada e foi mostrado inúmeras vezes pela câmeras, que não tinham muita coisa para registrar dentro de campo.

O Etihad Stadium também teve a presença do 'xará' do craque do Real, Ronaldo 'Fenômeno', que na década passada defendeu os 'merengues' ao lado de Zinedine Zidane, hoje técnico do Real. Perto do brasileiro estava Liam Gallagher, vocalista da banda inglesa Oasis, torcedor fanático do City.

O problema foi justamente que havia mais estrelas fora do que dentro das quatro linhas.

- Muita falta, pouco espetáculo -Na ausência de Cristiano, Zidane escalou o espanhol Lucas Vázquez, uma das revelações do Real na temporada, para formar o trio de ataque com os demais integrantes do trio 'BBC', Gareth Bale e Karim Benzema.

No meio de campo, o brasileiro Casemiro voltou a ser titular, ao lado do alemão Toni Kroos e do croata Luka Modric.

Marcelo foi titular na lateral esquerda, enquanto Danilo ficou no banco, dando lugar ao espanhol Dani Carvajal.

O City também teve um desfalque de peso, o volante marfinense Yaya Touré, o que levou o técnico Manuel Pellegrini a escalar no meio de campo a dupla brasileira Fernando e Fernandinho.

A torcida fez uma linda festa na entrada dos jogadores em campo, estendendo ao redor do estádio longas faixas das cores do City, azul claro e branco, lembrando cenas da Copa do Mundo de 1978, na Argentina.

Ciente da importância de conseguir um resultado positivo antes de viajar à Espanha, o time inglês começou pressionando, adiantando a marcação para atrapalhar a saída de bola 'merengue'.

O início de jogo se resumiu a uma batalha para controlar o meio de campo, com os brasileiros Casemiro e Fernandinho trocando agressões em cada dividida perto do círculo central.

'Motorzinho' do Real, Modric tinha dificuldade para articular as jogadas e os visitantes não conseguiam chegar até a área do City.

O City tinha até mais facilidade para jogar no campo do adversário, mas sem encontrar espaços na marcação compacta dos visitantes, liderada por Sergio Ramos.

Única válvula de escape do Real, Bale até tentou dar algumas arrancadas, mas era sempre parado com falta.

A primeira vítima desse jogo ríspido foi o meia espanhol David Silva, dos 'Citizens', que sentiu a coxa e foi substituído ao 40 minutos de jogo pelo jovem nigeriano Ineanacho.

Nada menos de 16 faltas foram cometidas no primeiro tempo, dez delas pelo time da casa.

O Real voltou do intervalo com uma mudança. Benzema, que era dúvida para a partida, foi substituído por Jesé, jogador mais veloz que o camisa 9 francês.

- Segundo tempo mais animado -A primeira etapa terminou sem que nenhum dos dois times criasse chances de gol, mas o segundo já começou mais animado.

Logo no primeiro minuto, Agüero soltou a bomba da entrada da área, raspando o travessão de Keylor Navas.

O Real respondeu logo em seguida, com Bale trombando com Otamendi na área do City, mas o juiz não marcou pênalti.

O jogo melhorou um pouco na media em que o Real se soltava mais em campo, com Modric e Kroos encontrando espaços no meio da defesa inglesa.

Sergio Ramos teve uma grande oportunidade de abrir o placar aos 8, quando apareceu sozinho para cabecear em cobrança de escanteio, mas a bola saiu fraco e parou nas mãos do goleiro.

Aos 21, foi a vez de Kroos ameaçar a meta de Joe Hart, com um chute seco da entrada da área que foi pela linha de fundo.

A maior chance pintou aos 25. Num bom contra-ataque puxado por Bale, Carvajal avançou pela direita e cruzou na medida para Jesé, que cabeceou no travessão.

O caminho do Real era pelo alto, e Casemiro também teve sua oportunidade balançar as redes, aos 33, mas Hart fez defesa milagrosa com o pé.

Recordista de títulos da competição, com dez 'Taças Orelhudas', o gigante espanhol é favorito para garantir a vaga em casa, contra um time que disputa sua primeira semifinal de Liga dos Campeões, mas a presença ou não de CR7 pode ser determinante no Bernabéu.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo