Esporte

Atlético segura pressão do Bayern em Munique e avança à final da Champions

03/05/2016 18h13

Munique, Alemanha, 3 Mai 2016 (AFP) - Fiel ao seu estilo, o Atlético de Madri garantiu sua vaga na final da Liga dos Campeões na base da garra, chegando à decisão pela terceira vez da sua história apesar de perder por 2 a 1 para o Bayern Munique, graças à vitória por 1 a 0 na partida de ida.

Os heróis da classificação 'colchonera' foram o atacante francês Antoine Griezmann, autor do gol fora de casa que acabou sendo decisivo, e o goleiro esloveno Oblak, que defendeu um pênalti no primeiro tempo.

A vaga veio gostinho de vingança para o Atlético, que foi derrotado pelo Bayern na final da Copa da Europa de 1974 (1-1, 0-4), na primeira vez que disputou a decisão da competição continental.

Já do lado alemão, a maior decepção ficou por conta de Guardiola, eliminado pela terceira vez seguida nas semifinais da competição e que se despede do Bayern sem o título que mais almejava, antes de assumir o Manchester City na próxima temporada.

O Atlético poderá ter outra revanche na decisão, se enfrentar o Real Madrid, seu algoz da final de 2014, se os 'merengues' passarem pelo Manchester City na quarta-feira.

- Domínio total alemão -Derrotado na ida, envolvido pela forte marcação do Atlético, que dominou a partida e mereceu a vitória no Vicente Calderón, o Bayern não teve outra opção a não ser atacar em busca de gols em casa, na Allianz Arena.

Com isso em mente, Guardiola optou por não inovar na escalação, entrando em campo com seus jogadores mais cascudos, acostumados com decisões e pressão.

Müller, artilheiro da equipe na Champions com 8 gols, deixado no banco em Madri para que o jovem Kingsley Coman jogasse aberto pela ponta -decisão muito criticada pela imprensa alemã após o primeiro jogo-, voltou à equipe, assim como Ribery.

Douglas Costa continuou encarregado de infernizar a vida da defesa espanhola com sua velocidade e habilidade, mais pelo meio devido à presença de Müller e Ribery, enquanto o Lewandowski foi novamente o centro-avante do time.

No Atlético, nenhuma necessidade de mudanças. Feliz com o rendimento da equipe que eliminou o 'bicho papão' Barcelona nas quartas de final e dominou o Bayern na ida, em Madri, Simeone manteve a base do time, inserindo apenas de volta à zaga o veterano uruguaio Diego Godin, recuperado de lesão.

Como era de se esperar, o Bayern partiu para cima desde o primeiro minuto de jogo, encurralando o Atlético em seu campo de defesa na base de trocas de passes rápidas.

Quem conhece o clube 'colchonero', porém, sabe que os comandados de Simeone não se sentem desconfortáveis nesta posição, só esperando o momento certo para contra-atacar.

As chances de agredir o gol de Manuel Neuer acabaram não aparecendo e o primeiro tempo foi um monólogo alemão. O Bayern acumulou quase 70% da posse de bola, criando diversas chances de abrir o placar, mas esbarrando no ótimo goleiro esloveno Oblak, que defendeu lindos chutes de Vidal e Ribéry, aos 10 e 20 minutos de jogo.

A pressão exercida pelo Bayern permitiu à zaga do clube alemão passar do meio de campo e ajudar na construção das jogadas e, aos 23, Boateng aproveitou para se aventurar no ataque e deixar Müller na cara do gol. O atacante só ajeitou para Lewandowski chutar, mas Oblak voou nos pés do polonês para defender.

Diante da melhor defesa do Campeonato Espanhol (16 gols sofridos em 36 jogos) e da Liga dos Campeões (5 gols sofridos), o Bayern precisou contar com a sorte para abrir o placar.

Aos 30 minutos, em cobrança de falta da entrada da área, Xabi Alonso finalizou, a bola desviou em Gímenez, que fazia parte da barreira, e enganou Oblak, que nada pôde fazer. Tudo igual no placar agregado.

Do jeito que Guardiola gosta, o Bayern continuou pressionando em busca de um segundo gol que valeria a classificação à final e, pouco após abrir o placar, teve o objetivo a seu alcance.

Aos 34, Martínez tentou se livrar da marcação dentro da área espanhola e foi claramente agarrado por Giménez. O árbitro viu e marcou pênalti para o Bayern. Na cobrança, Müller escolheu o canto, mas Oblak, mais uma vez, acertou o canto e voou para pegar.

- Atlético segura pressão -O tão esperado contra-ataque do Atlético não apareceu na primeira etapa, muito graças à solidez na recuperação de bola do Bayern, mas, na volta do intervalo, Simeone não precisou esperar muito para ver seu dois atacantes empatarem o jogo.

Aos 9 minutos, após escanteio do Bayern, Alaba não conseguiu ficar com o rebote e a bola sobrou para Griezmann, que tocou par Torres, saiu em disparada em direção ao gol alemão e recebeu lindo lançamento do companheiro, ficando cara a cara com Neuer. Com muita frieza, o atacante da seleção francesa só tirou do gigante goleiro, empatando a partida.

O gol do Atlético foi uma verdadeira ducha de água fria no Bayern, que passou a precisar de outros dois gols para se classificar. Se marcar um gol já foi um parto, imagina marcar outros dois?

Desesperado, o Bayern deixou de lado a famosa troca de passes objetiva e apostou no velho 'chuveirinho', alçando todas as bolas possíveis dentro da área espanhola em busca de uma cabeçada certeira ou de um rebote oportuno.

Aos 29, Alaba cruzou, Vidal subiu mais alto que o brasileiro Filipe Luis e tocou para Lewandowski empurrar para o gol, recolocando o Bayern a um gol da vaga.

Como era de se esperar, os 15 minutos finais de jogo foram dramáticos e, apesar da pressão, o Atlético conseguiu armar um contra-ataque que resultou em pênalti de Martínez em Torres, aos 35.

'El Niño' foi para a cobrança, mas Neuer imitou Oblak e defendeu, não permitindo que o Atlético tivesse paz nos minutos finais. Para se classificar dentro da Allianz Arena, os espanhóis teriam que sofrer.

A vaga acabou vindo após cinco minutos de acréscimos e uma tonelada de bolas áreas que o paredão defensivo de Simeone soube afastar com eficiência.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo