Esporte

Com CR7 de volta, Real encara City em busca de mais uma final da Champions

03/05/2016 14h03

Madri, 3 Mai 2016 (AFP) - Quatro meses depois de assumir o comando do Real Madrid, Zinedine Zidane está perto de disputar sua primeira final de Liga dos Campeões como treinador, e para isso conta com o 'reforço' de Cristiano Ronaldo, nesta quarta-feira, contra o Manchester City, no estádio Santiago Bernabéu.

O astro português, que arrasta uma lesão muscular na coxa há duas semanas, ficou fora da partida de ida, um insosso empate sem gols que deixa a semifinal totalmente em aberto.

CR7 voltou a treinar no domingo e Zidane garantiu que o três vezes melhor do mundo estará "a 100%". Em compensação, o treinador não contará com o atacante francês Karim Benzema nem com o volante brasileiro Casemiro, que vinha dando um bom equilíbrio à equipe com seu poder de marcação no meio de campo.

Um dos grandes méritos de 'Zizou' foi devolver o ânimo a Cristiano, que vinha de uma temporada abaixo do seu padrão estratosférico e não se dava bem com o antecessor do francês, Rafael Benítez.

O craque luso já soma 16 gols nesta edição da Champions e pode bater na quarta-feira seu o próprio recorde, estabelecido na temporada 2013-2014, quando o Real conquistou 'La Décima', com Zidane na função de auxiliar do técnico Carlo Ancelotti.

Na artilharia histórica do torneio, CR7 está disparado na frente, com 94 gols, 11 a mais que o grande rival Lionel Messi, que terá que esperar a próxima temporada para tentar reduzir a diferença.

Cristiano nunca escondeu a admiração por Zidane. "É um técnico que eu queria ver ficar por um bom tempo no Real Madrid. Com Zidane, sentimos que somos bem considerados. Sentimos o afeto dele. Sabemos que está passando por um período de adaptação, mas as coisas foram fluindo rapidamente", disse o português em entrevista ao site da Uefa.

"Para mim, é importante que um jogador possa falar dessa maneira", reagiu 'Zizou' nesta terça-feira. "Isso mostra que estou fazendo bem meu trabalho e que minha mensagem está passando, isso é o mais importante", completou.

O trabalho do francês chegou a ser colocado em dúvida em fevereiro, quando sofreu a primeira derrota ao perder por 1 a 0 em casa no dérbi com o Atlético de Madri, mostrando-se incapaz de reagir diante tático imposto pelo colega argentino Diego Simeone.

O mês de abril, no entanto, devolveu a esperança ao torcedor 'merengue', com a vitória por 2 a 1 em pleno Camp Nou no clássico com o Barcelona, e a 'remontada' histórica diante do Wolfsburg nas quartas de final da Champions (vitória por 3 a 0, com três gols de CR7, depois da derrota por 2 a 0 na Alemanha).

- Real mais descansado -Autor do gol antológico que deu ao Real sua nona 'Tala Orelhuda', em 2002, Zidane sonha agora em levar o clube à 'undecima'.

Mas antes de se ver na 14ª final da sua história na competição, os 'Merengues' precisam passar pelo City, que disputa as semifinais pela primeira vez, mas tem um elenco com craques consagrados, como o artilheiro argentino 'Kun' Aguero ou o meia belga Kevin De Bruyne.

Apesar do poder financeiro do petrodólares de Abu Dhabi, o 'novo rico do futebol inglês foi mero coadjuvante na Premier League, assistindo ao título do azarão Leicester, que tem orçamento muito inferior.

Os 'Citizens' correm até risco de ficar fora da próxima edição da Champions, já que ocupam a quarta posição do campeonato nacional e ainda podem se alcançados pelo arquirrival United, que tem quatro pontos a menos a duas rodadas do fim.

A vaga na competição continental poderia ter sido carimbada no último domingo, mas o técnico Manuel Pellegrini resolveu poupar titulares e sofreu as consequências com uma contundente derrota de 4 a 2 para o Southampton.

Além de ter um dia a mais de descanso, por ter jogado no sábado, o time 'merengue' lidou melhor com os desfalques, ao vencer a Real Sociedad por 1 o 0 em Anoeta, com um gol de Gareth Bale, único integrante do trio 'BBC' em campo, na ausência de Benzema e Cristiano Ronaldo.

O City tem a vantagem de poder se classificar com empate com gols, mas o Real ainda não sofreu nenhum em casa nesta temporada na Champions.

-Escalações:

Real Madrid: Keylor Navas - Carvajal, Pepe, Ramos, Marcelo - Modric, Kroos, Isco (ou James Rodriguez) - Lucas Vazquez (ou Jesé), Cristiano Ronaldo, Bale

T: Zinédine Zidane (FRA)

Manchester City: Hart - Sagna, Kompany, Mangala, Clichy - Yaya Touré (ou Fernando), Fernandinho - Navas, de Bruyne, Sterling - Agüero

T: Manuel Pellegrini (CHI)

Árbitro: Damir Skomina (SLO).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo