Esporte

Sevilla bate Liverpool de virada e conquista tri histórico na Liga Europa

18/05/2016 18h11

Basiléia, Suíça, 18 Mai 2016 (AFP) - O Sevilla ignorou o peso da camisa do Liverpool e se tornou nesta quarta-feira o primeiro time da história a conquistar três títulos consecutivos na Liga Europa, com vitória por 3 a 1 na decisão, disputada no estádio St. Jakob Park, na Basileia.

Bem que o técnico Unay Emery tinha avisado que a Liga Europa era a "segunda namorada" do torcedor 'Sevillista'.

Seu time saiu atrás no marcador, depois de sofrer um golaço de Sturridge, mas teve uma reação arrasadora no segundo tempo, com dois gols do capitão Coke e outro do francês Gameiro.

Verdadeiro bicho-papão da segunda maior competição de clubes do continente nos último dez anos, o clube andaluz se consolidou como o maior vencedor da competição, ao levantar o quinto troféu, depois do bicampeonato de 2006 e 2007.

Na próxima temporada, o Sevilla poderá tentar alçar voos mais altos, já que a conquista desta quarta-feira garantiu ao clube a classificação para a Liga dos Campeões, apesar do medíocre sétimo lugar no Campeonato Espanhol.

Já o Liverpool, que tinha a oportunidade de igualar a marca do rival, continua empatado com Inter de Milão e Juventus, com três títulos (1973, 1976 e 2011).

O técnico alemão Jürgen Klopp, que assumiu o comando do Liverpool em outubro, perdeu a segunda final em menos de três meses, depois de ser derrotado nos pênaltis pelo Manchester City na decisão da Copa da Liga inglesa.

No total, Klopp amargou o quinto vice-campeonato seguido, depois de três finais perdidas com o Borussia Dortmund (Liga dos Campeões em 2013 e Copa da Alemanha em 2013 e 2014).

Na terça-feira, o alemão admitiu que a Espanha "é o melhor país de futebol do momento", o que foi confirmado na final da Basileia.

O país conquistou todos os títulos continentais dos últimos três anos, com a supremacia do Sevilla na Liga Europa e os títulos de Real Madrid (2014) e Barcelona (2015) na Liga dos Campeões.

A 'Taça Orelhuda' da Champions também permanecerá na Espanha, já que a final do dia 28 de maio, em Milão, será decidida por Real e Atlético, como em 2014.

- Golaço de Sturridge -O jogo começou morno, com o leve domínio do Sevilla. Nervosos, os 'Reds' cometeram muitas faltas no início da partida, dando oportunidades ao adversário na bola parada.

A primeira chance do jogo, porém, foi do Liverpool. Aos 11, Sturridge cabeceou em cruzamento de Clyne, mas Daniel Carriço afastou de bicicleta em cima da linha.

O lance acordou a torcida inglesa, que reclamou da arbitragem dois minutos depois, por um toque de mão do mesmo Carriço na área para desarmar Firmino.

Sturridge teve outra boa oportunidade aos 25, quando recebeu ótimo lançamento de Lallana, mas perdeu o duelo cara a cara com o goleiro Soria.

O Sevilla reagiu aos 31, numa bicicleta espetacular de Gameiro que passou rente à trave de Mignolet.

Depois do susto, a torcida foi ao delírio aos 35, com a pintura de Sturridge.

A jogada teve participação brasileira, com Firmino levando a bola pelo meio e rolando na esquerda para Coutinho, que tocou na área para o atacante. O camisa 15 venceu a marcação de Mariano e acertou um chute sensacional de três dedos no cantinho de Soria.

O torcedor dos 'Reds' soltou mais um grito de gol aos 39, quando Lovren cabeceou para as redes, mas o árbitro anulou a jogada por entender que Sturridge, que estava impedido, atrapalhou a ação do goleiro.

- Reação arrasadora -O Liverpool foi para o intervalo com muita moral, mas foi surpreendido logo no primeiro lance do segundo tempo.

O Sevilla precisou de apenas 17 segundos para empatar, envolvendo os 'Reds' com passes rápidos.

O time inglês tocou apenas uma vez na bola, quando Lovren tentou afastar o perigo de cabeça, mas Mariano ficou na sobra e acabou praticamente sozinho com a defesa adversária. O brasileiro deu uma caneta em Moreno, invadiu a área e cruzou na medida para Gameiro escorar para as redes.

Os 'Reds' sentiram o golpe e a virada andaluz veio logo aos 18, com uma bomba da entrada da área de Koke, após triangulação com Vitolo e Banega.

Klopp resolveu mexer no Liverpool aos 23, tirando Firmino para a entrada do jovem atacante belga Divock Origi.

A mudança não adiantou em nada. A equipe inglesa continuou perdida em campo e o terceiro gol saiu logo aos 25, novamente dos pés de Coke. A jogada começou com Banega, que tentou cruzar rasteiro para o meia da área e viu a bola ser desviada pela zaga. Coke, que estava mais uma vez no lugar certo na hora certa, pegou a sobra e fuzilou Mignolet.

Acostumado a proporcionar fortes emoções ao seu torcedor com viradas épicas, como nas quartas de final, contra o Borussia Dortmund, o Liverpool não conseguiu reagir e deixou o Sevilla comemorar o tricampeonato inédito.

lg

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo