Esporte

Copa América do Centenário começa com desfalques e incertezas

02/06/2016 18h03

Nova York, 2 Jun 2016 (AFP) - Neymar não convocado para priorizar o sonho olímpico, Suárez e Messi às voltas com lesões e problemas extra-campo: a Copa América do Centenário começa nesta sexta-feira, nos Estados Unidos, com seleções dizimadas por lesões e astros sem garantia de estar a 100%.

A bola começa a rolar às 18h30 locais (22h30 de Brasília), com o duelo entre a ambiciosa seleção anfitriã e uma Colômbia rejuvenescida.

O palco da partida de abertura será o Levi's Stadium de Santa Clara, onde foi disputada a última edição do Superbowl, a finalíssima do futebol americano.

Inaugurada em 2014, a moderna arena com capacidade para 68.500 torcedores é a casa do San Francisco 49ers, uma das franquias mais tradicionais da NFL.

O Brasil estreia no sábado, contra o Equador, em outro estádio californiano: o Rose Bowl de Pasadena, perto de Los Angeles, que recebeu a final da Copa do Mundo de 1994, quando Dunga, hoje técnico da seleção, ergueu a taça do tetra.

Torneio de seleções mais antigo do mundoÉ a primeira vez que a Copa América é disputada fora da América do Sul, com a participação de 16 seleções, quatro a mais do que nas últimas edições.

Além das dez equipes sul-americanas, Estados Unidos, Panamá, Haiti, México, Costa Rica e Jamaica participarão dessa edição especial do centenário, que acontece excepcionalmente um ano depois da anterior, vencida em casa pelo Chile.

O mais antigo torneio entre seleções do mundo foi disputado pela primeira vez em 1916, na Argentina, como parte dos festejos pela independência do país. Apenas quatro equipes participaram (Argentina, Brasil, Peru e Uruguai) e os uruguaios foram os campeões.

A realização da edição comemorativa dos cem anos da Copa América e da Conmebol chegou a ser ameaçada, em maio do ano passado mega-escândalo da Fifa evidenciou vários casos de corrupção na venda dos direitos de transmissão de competições continentais na América latina.

O evento foi confirmado, mas nem todos podem participar da festa.

Além de Neymar, que ficou fora da seleção por conta de um acordo da CBF com o Barcelona para que seja liberado para disputar as Olimpíadas do Rio-2016, o Brasil teve nada menos de cinco jogadores cortados por lesão (Ricardo Oliveira, Douglas Costa, Ederson, Rafinha e Kaká, que já não fazia parte da convocação inicial).

Como se não bastasse, Luiz Gustavo pediu dispensa nesta quinta-feira, alegando problemas pessoais.

Uma situação nada invejável para quem quer reconquistar a confiança da torcida depois da humilhação do 7 a 1 e de mais um vexame na Copa América, com eliminação nos pênaltis pelo Paraguai nas quartas de final.

Pistoleiro baleadoOs rivais também estão longe de contar com sua força máxima, a começar pela favorita argentina, que ainda não sabe se vai pode contar com o craque Lionel Messi em plenas condições.

O cinco vezes melhor do mundo sofreu uma lesão nas costas no último amistoso, contra o Honduras (vitória por 1 a 0), na última sexta-feira, e está longe dos Estados Unidos atualmente.

Nesta quinta-feira, foi ouvido por um tribunal de Barcelona, onde está sendo julgado nesta semana por fraude fiscal. Os 'Hermanos' esperam ter Messi a 100% para acabar com a seca de 23 anos sem títulos.

O terceiro membro do trio 'MSN' do Barça, o uruguaio Luis Suárez, também preocupa.

Mais acostumado do que os outros dois a se envolver em polêmicas extra-campo, o 'Pistoleiro' está bem mais tranquilo desde a mordida que deu no italiano Chiellini há dois anos, durante a Copa do Mundo no Brasil. Está mais focado no jogo, mas a temporada espetacular que fez com seu time está cobrando seu preço.

Pouco depois de ganhar a chuteira de ouro ao se tornar o maior artilheiro dos campeonatos europeus, com 40 gols marcados, o atacante se lesionou na final da Copa do Rei, vencida por 2 a 0 na prorrogação contra o Sevilla, no dia 22 de maio.

Com problema muscular na coxa, 'Luisito' só deve poder jogar caso a 'Celeste' chegue às quartas de final.

Já o atual campeão Chile perdeu na quarta-feira seu único meia de criação, Matias Fernández, da Fiorentina, já que o técnico Juan Antonio Pizzi preferiu não convocar o veterano Valdivia, ídolo do Palmeiras, que joga hoje no futebol árabe.

Com os favoritos cheios de incertezas, a seleção americana tentará aproveitar o fator casa para conquistar seu primeiro grande título e fazer com que o esporte finalmente caia nas graças da torcida local.

Por enquanto, a Copa América passa desapercebida. A cinquenta quilômetros de Santa Clara, na Oracle Arena de Oakland, o Golden State Warriors de Stephen Curry disputa nesta quinta-feira o primeiro jogo da final da NBA contra o Cleveland Cavaliers, de LeBron James, monopolizando o noticiário esportivo.

Mesmo assim, o técnico alemão Jürgen Klinsmann deixou claro que "a Copa América é uma oportunidade única na vida" para os jogadores americanos e para o futebol dos Estados Unidos em geral. "O mundo nos olha como potencial candidato para organizar a Copa do Mundo de 2026", enfatizou o treinador.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo