Esporte

Campeão olímpico congela esperma por medo do vírus da zika no Rio

08/06/2016 05h57

Londres, 8 Jun 2016 (AFP) - O britânico Greg Rutherford, campeão olímpico do salto em distância, decidiu congelar seu esperma por temer o vírus da zika nos Jogos Olímpicos do Rioo de Janeiro em agosto.

A esposa de Rutherford, Susie Verrill, disse que o casal estava cada vez mais preocupado com o vírus, transmitido pelo mosquito Aeades aegypti, e que pode acabar provocando microcefalia nos bebês.

O vírus também pode ser transmitido por via sexual e provocar problemas neurológicos em adultos, como a síndrome de Guillain-Barre, que causa paralisia e morte.

Verrill disse que o vírus da Zika teve muito peso em sua decisão de não acompanhar o marido ao Rio de Janeiro ao lado de seu filho, Milo.

"Não somos pessoas que nos preocupamos desnecessariamente, porém mais de 100 especialistas médicos aconselharam a transferência dos Jogos para evitar que a propagação da doença se tornou um grande fator para que decidíssemos ficar".

"Além disso, decidimos congelar o esperma de Greg. Gostaríamos de ter mais filhos", completou.

O ministro dos Esportes do Brasil, Leonardo Picciani, afirmou na terça-feira à AFP que é "impossível" adiar os Jogos Olímpicos e que acredita que em agosto não existirão mais casos do vírus no Rio.

"É impossível, não há a menor possibilidade" que se suspenda ou transfira os Jogos, disse Picciani. "O Brasil está seguindo todas as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) contra o vírus", afirmou.

"As autoridades brasileiras estão tendo sucesso nessa luta, tivemos uma redução significativa de casos. Primeiro foram registrados 4.000 casos, em maio já havia baixado para 700 e esperamos que cheguem perto de zero em agosto", estimou o ministro do governo interino de Michel Temer.

A doença provoca inquietação entre os atletas. O jogador de basquete espanhol Pau Gasol disse que considera a possibilidade de não disputar os Jogos e os golfistas Marc Leishman e Vijay Singh desistiram por este motivo.

A zika pode causar malformações congênitas, como a microcefalia, que faz com que os bebês nasçam com o cérebro e a cabeça menores que o normal. Quase 1.300 bebês nasceram no Brasil com malformações irreversíveis desde que o mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue, começou a transmitir o zika no ano passado.

bur-al.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo