Esporte

França dá o pontapé inicial da 'sua' Eurocopa

09/06/2016 17h34

Paris, 9 Jun 2016 (AFP) - Chegou o dia que todo um país estava esperando: nesta sexta-feira, a seleção francesa inicia sua campanha na Eurocopa contra a Romênia, no Stade de France, com a missão de fazer a torcida vibrar apesar dos desfalques.

Depois da boa participação na Copa do Mundo no Brasil-2014, quando chegaram às quartas de final, 'Les Bleus' só disputaram amistosos.

O retrospecto de nove vitórias em dez partidas nesta temporada não significa muita coisa e os comandados de Didier Deschamps precisam mostrar que são capazes de dar conta do recado na hora do vamos ver, com a pressão de corresponder às expectativas da torcida.

O país ainda está traumatizado com os atentados de novembro, paralisado por tensões sociais e a Euro é vista como uma forma de levantar o astral de uma população com moral em baixa.

A festa só será completa se a seleção local imitar as antecessoras que se sagraram campeãs em casa, na Eurocopa de 1984 e na Copa do Mundo de 1998.

Desde o início da preparação para o torneio, os jogadores receberam muito carinho por onde passaram, em Biarritz (sudoeste), onde fizeram a primeira sessão de treinos, em Nantes (oeste) e Metz (nordeste), onde fizeram amistosos, e no CT de Clairefontaine, perto de Paris, onde permanecerão concentrados durante a competição.

Resta saber se a equipe estará à altura. Deschamps não pode contar com sua força máxima, tanto por conta de lesões (Varane, Mathieu, Diarra) quanto por motivos extra-esportivos (Benzema, Valbuena e Sakho).

O clima ficou mais pesado com as acusações do próprio Benzema contra o treinador, que acusa de "ter cedido à parte racista da França" por não tê-lo convocado para a competição.

O atacante do Real Madrid foi afastado da seleção em dezembro, depois de ser indiciado pela justiça francesa pelo envolvimento no caso de suposta extorsão e chantagem com vídeo íntimo contra Valbuena.

Já Sakho, que era titular na zaga, foi flagrado em exame antidoping.

Fantasma de 2008Capitão da seleção campeã mundial de 1998, Deschamps sabe da importância de uma boa estreia. Na época, a equipe estava desacreditada, mas ganhou o apoio da torcida com vitória convincente de 3 a 0 sobre a África do Sul, em Marselha.

"Não podemos entrar em campo esmagados pela pressão. Estamos nos preparando há dois anos e temos que encarar a competição com vontade e determinação. Quanto menos o ambiente externo influenciar os jogadores, melhor", afirmou o treinador em entrevista coletiva.

"O importante é não pensar pensar demais e entrar confiança. Temos que ter aquele friozinho na barriga, mas sem pressão, sem fragilidade", completou.

Para uma estreia tranquila, porém, ainda falta combinar com os romenos. Donos da melhor defesa das eliminatórias, estão de volta à Eurocopa depois de oito anos de ausência, na pele do velho conhecido indigesto.

Em 2008, a França também estreou contra a Romênia e empatou sem gols, dando início a uma campanha pífia, com eliminação na primeira fase.

"Enfrentar a seleção francesa é sempre especial, queremos mostrar que podemos jogar no nível deles. A expectativa é de um jogo intenso, diante de um adversário muito ofensivo e agressivo, mas sei que meus atletas têm a capacidade de superar essa pressão", comentou o técnico Anghel Iordanescu.

Griezmann e Pogba em altaPara furar a retranca romena, Deschamps pode contar com vários talentos ofensivos.

Mesmo sem Benzema, os 'Bleus' têm poder de fogo considerável, com Antoine Griezmann, Dimitri Payet, Kingsley Coman, Anthony Martial e até Olivier Giroud.

Titular como centroavante no lugar do camisa 9 do Real, o jogador do Arsenal nunca foi o queridinho da torcida, que chegou a vaiá-lo no primeiro amistoso de preparação (vitória 3-2 contra Camarões), mas começou a ganhar apoio com boas atuações (sete gols nos últimos jogo com a seleção).

Mas os grandes destaques ofensivo dos 'Bleus' é Griezmann, que fez uma grande temporada com o Atlético de Madri. Resta saber se conseguiu deixar para trás a desilusão da derrota na final da Liga dos Campeões para o Real Madrid, quando desperdiçou um pênalti no início do segundo tempo.

A grande força da França é o meio de campo, com um Paul Pogba em estado de graça, muito bem acompanhado por Blaise Matuidi.

Lassana Diarra, titular habitual na posição de primeiro volante, foi cortado de última hora por lesão, mas foi substituído à altura por N?Golo Kanté, uma das revelações da temporada na Inglaterra, com o Leicester, surpreendente campeão da Premier League.

A principal preocupação é com a defesa, totalmente remodelada por conta dos desfalques em série.

Convocado de última hora, Adil Rami, campeão da Liga Europa com o Sevilla, deve formar a dupla de zaga com Laurent Koscielny, do Arsenal.

-Prováveis escalações:

França: Lloris (cap.) - Sagna, Rami, Koscielny, Evra - Pogba, Kanté, Matuidi - Griezmann, Giroud, Payet

Romênia: Tatarusanu - Sapunaru, Chiriches (cap.), Grigore, Rat - Pintili, Hoban - Popa, Stanciu, Stancu - Andone

Árbitro: Viktor Kassai (HUN).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo