Esporte

França vence com gols no fim e avança às oitavas da Euro

15/06/2016 18h56

Marselha, 15 Jun 2016 (AFP) - Como aconteceu na estreia contra a Romênia, a França precisou esperar até o finalzinho da partida para garantir a vitória por 2 a 0 sobre a Albânia, nesta quarta-feira, em Marselha, resultado que garantiu a classificação antecipada para as oitavas de final.

Antoine Griezmann, que começou no banco, abriu o placar de cabeça aos 45 minutos do segundo tempo e Dimitri Payet selou o resultado ao acertar lindo chute nos acréscimos.

Payet já tinha sido o herói dos 'Bleus' na última sexta-feira, no Stade de France, quando anotou um golaço no apagar das luzes para garantir a vitória sobre os romenos na partida de abertura do torneio.

"Vamos tentar acabar com esses roteiros malucos. Jogando desde o início como fizemos no primeiro tempo, podemos fazer um gol mais cedo e ter uma partida mais serena", comentou o meia do West Ham.

Com o resultado, os comandados de Didier Deschamps somam seis pontos e têm certeza de terminar entre os dois primeiros colocados do grupo A.

"Fizemos o necessário, todo mundo jogou com coração. Foi ótimo buscar a classificação antecipada", comemorou o treinador.

Mais cedo, a Suíça chegou aos quatro pontos ao empatar em 1 a 1 com a Romênia, terceira colocada, com dois.

A Albânia continua zerada e praticamente não tem mais chances de se classificar.

- 'Punição' motivadora -No estádio Vélodrome, onde foi campeão como jogador e como treinador com o Olympique de Marselha, Didier Deschamps optou por uma escalação ousada, poupando as duas maiores estrelas da equipe, o meia Paul Pogba e o atacante Antoine Griezmann, que decepcionaram na estreia.

Além de descansá-los, a decisão também serve de aviso, mostrando que não existe titular indiscutível. A estratégia deu certo, já que ambos entraram em campo motivados no segundo tempo e Griezmann acabou sendo decisivo.

"O gol que marquei soa como uma revanche em relação ao primeiro jogo", vibrou 'Grizzi'. "Vivi fortes emoções e estou muito feliz. Presisávamos da vitória para nos classificar, missão cumprida", resumiu.

Na Copa do Mundo de 2014, no Brasil, Deschamps tinha feito exatamente a mesma coisa, tirando Griezmann e Pogba na segunda partida, contra a Suíça (5-2), depois de ambos serem titulares na estreia contra Honduras.

Com essas mudanças, os 'Bleus' trocaram o esquema em 4-3-3 por um 4-2-3-1, deixando o time mais leve, com Payet jogando mais recuado, na armação das jogadas, e os jovens Kingsley Coman e Anthony Martial atuando pelas pontas, ao lado de Giroud.

Do lado albanês, o capitão Lorik Cana perdeu a oportunidade de jogar no estádio onde se destacou com o Olympique por ter sido expulso na estreia, contra a Suíça (1-0).

Empurrada pela sempre fervorosa torcida de Marselha, a seleção francesa tentou partir para o ataque, mas não encontrava brechas na boa marcação albanesa.

Sem espaços, acabou apelando para as bolas alçadas para Giroud na área, sem muito sucesso.

Aos 34, Coman levantou a torcida com um lindo drible de giro que lembrou os melhores tempos de Zidane, mas foi um dos únicos lampejos de um primeiro tempo morno.

Os anfitriões levaram um susto pouco antes do intervalo, com uma cobrança de falta de Memushaij que passou raspando o travessão de Lloris.

- Pé calibrado -Deschamps resolveu mexer no intervalo, colocando Pogba no lugar de Martial.

A França quase abriu o placar logo no primeiro minuto do segundo tempo, quando Coman se jogou de peixinho para aproveitar o desvio de cabeça de Matuidi em cruzamento de Payet.

A Albânia voltou a ameaçar aos 6, novamente com Memushaj, que acertou a trave ao se adiantar à marcação de Sagna em cruzamento forte da direita.

Aos 23, foi a vez da França bater na trave, com Giroud, que por muito pouco não marcou de cabeça seu segundo gol na competição.

Logo depois dessa chance perdida, Deschamps colocou Griezmann no lugar de Coman e a mudança surtiu efeito quando todo mundo parecia conformado com o empate.

O zagueiro Adil Rami apareceu como elemento surpresa no ataque e cruzou na medida para o atacante do Atlético de Madri cabecear para as redes.

A torcida foi ao delírio e soltou mais um grito de gols cinco minutos depois, com um lindo disparo de Payet, que já tinha mostrado na estreia que a pontaria está em dia. A diferença é que a bomba contra os romenos foi de canhota e, dessa vez, o chute colocado saiu do pé direito. O gol saiu aos 50 do segundo tempo, o mais tardio de toda a história do torneio, segundo a Uefa.

Primeira classificada para as oitavas de final, a França voltou a sofrer diante de um adversário muito inferior tecnicamente, mas mostrou que tem força mental para lutar até o fim por mais um título em casa, depois da Euro-1984 e da Copa do Mundo de 1998.

kn-nip/agu/pgr/lg

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo