Esporte

Argentina goleia EUA e chega à final da Copa América com recorde de Messi

22/06/2016 00h37

Houston, Estados Unidos, 22 Jun 2016 (AFP) - A seleção argentina garantiu sua vaga para a grande final da Copa América do Centenário ao golear os anfitriões Estados Unidos por 4 a 0, nesta terça-feira, em Houston, com mais uma atuação de gala de Lionel Messi, que se tornou o maior artilheiro da seleção do seu país.

O camisa 10 anotou seu 55º gol com a 'alviceleste' aos 32 minutos de jogo, com uma cobrança de falta magistral, batendo o recorde de Gabriel Batistuta, que balançou as redes 54 vezes de 1991 a 2002.

De quebra, o craque do Barcelona assumiu a artilharia da competição, com os mesmos cinco gols do chileno Eduardo Vargas, que marcou quatro de uma vez no último domingo, quando a 'Roja' massacrou o México por 7 a 0.

Messi também deu duas assistências, a primeira para Ezequiel Lavezzi, que abriu o placar logo aos 3 minutos de jogo, e a segunda para Gonzalo Higuaín, que marcou duas vezes, aos 4 e aos 41 da etapa final.

A Argentina tentará acabar com o incômodo jejum de 23 anos sem título no próximo domingo, em Nova Jersey, contra o vencedor do duelo entre o atual campeão, Chile, e a Colômbia, que se enfrentam na quarta-feira, em Chicago.

Será a terceira grande final de Messi e companhia em três anos, depois das desilusões da Copa do Mundo de 2014, no Brasil e da última edição da competição continental, no ano passado, no Chile.

Os 'Hermanos' não perdem na Copa América desde a final de 2007, quando foram derrotados por 3 a 0 pelo Brasil, e decidirão o torneio pela quarta vez em cinco edições.

Em 2011 e em 2015, amargaram o vice-campeonato, mas terminaram a competição invictos, ao perder as finais nos pênaltis, para Uruguai e Chile, respectivamente.

- Do outro mundo -A única mudança da Argentina em relação à vitória por 4 a 1 sobre a Venezuela nas quartas de final foi a ausência do meia Nicolás Gaitán, que cumpriu suspensão e foi substituído por Lavezzi, mantido na seleção apesar de atuar no futebol chinês.

'El Pocho', que já havia deixado sua marca na terceira rodada da fase de grupos, contra a Bolívia, precisou de menos de três minutos para justificar a confiança do treinador.

No primeiro lance de perigo da Argentina, o atacante do Hebei Fortune recebeu pela esquerda e recuou para Messi, que devolveu com extrema categoria, com toque genial por cima da defesa. Totalmente desmarcado, Lavezzi cabeceou com estilo, encobrindo o goleiro Guzan.

O ex-jogador do Paris Saint-Germain voltou a se destacar aos 7, com lindo toque de calcanhar para Rojo, que cruzou rasteiro para Messi, que finalizou por cima, em outra bela trama coletiva.

O craque do Barcelona teve outra chance aos 15, quando deixou dois marcadores para trás em contra-ataque fulminante e exigiu defesa complicada de Guzan.

Aos 31, porém, não teve jeito. O recorde de Batigol foi para o espaço com uma cobrança da falta do outro mundo.

A batida foi de muito longe, mas mesmo assim o craque conseguiu desenhar a curva perfeita, que parou no ângulo esquerdo de Guzan.

Apesar da seleção anfitriã estar jogando em casa, todo o estádio se rendeu ao talento de Messi, tanto que o reinício do jogo depois do intervalo sofreu pequeno atraso por causa de um torcedor que invadiu o gramado para tentar abraçar o craque.

- Susto de Lavezzi -Depois desse contratempo, a segunda etapa começou com a primeira: com gol da Argentina. Higuaín só precisou de quatro minutos para anotar seu segundo gol na competição, após receber ótimo cruzamento de Lavezzi. O camisa 9 finalizou de primeira, para a defesa parcial de Guzan, e pegou o rebote para fazer 3 a 0.

Lavezzi vinha fazendo uma grande partida, mas acabou saindo machucado aos 20, depois de cair de forma assustadora.

O atacante de 31 anos tentou impedir a saída de uma bola na lateral, mas perdeu a noção do espaço, não viu a placa de publicidade e caiu de cabeça, deixando todo o estádio preocupado.

Muitos temiam um problema na coluna, mas a princípio o jogador sofreu uma lesão no cotovelo.

Poucos minutos antes, a Argentina sofreu outro baque, quando o volante Augusto Fernández também saiu, lesionado, dando lugar a Lucas Biglia.

As lesões azedaram um pouco a festa argentina, mas Messi fez questão de levantar a torcida mais uma vez aos 41, com mais um passe preciso, para Higuaín fechar a goleada.

No lado americano, 90 minutos e nenhum chute a gol.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo