Esporte

Com dois gols de Griezmann, França vence Irlanda de virada e vai às quartas da Euro

26/06/2016 12h45

Lyon, 26 Jun 2016 (AFP) - Pressionada pelo 'gol relâmpago' de Robbie Brady, a França encontrou forças para reagir, derrotando por 2 a 1 a Irlanda, neste domingo em Lyon, graças aos dois gols de Antoine Griezmann, que ajudou os 'Bleus' a avançarem às quartas de final de sua Eurocopa.

A França precisou remar contra a maré, após o gol de pênalti marcado por Brady, logo aos 2 minutos de jogo. Para sorte dos anfitriões, um inspirado Griezmann apareceu no segundo tempo para virar a partida e dar à vitória à França, balançando as redes aos 12 e 16 minutos.

"Desde o momento que o árbitro apitou pênalti, tivemos que correr atrás do resultado, o que é bem cansativo. Mas no intervalo conversamos e a equipe mudou de mentalidade. Custamos a entrar no jogo e isso precisa mudar", declarou após a partida Griezmann, herói do jogo para os franceses.

Por uma vaga nas semifinais, a França enfrentará no próximo domingo, no Stade de France de Saint-Denis, subúrbio de Paris, o vencedor do duelo entre Inglaterra e Islândia, que medem forças nesta segunda-feira em Nice.

A Irlanda esteve perto de protagonizar a maior surpresa da Eurocopa, ficando à frente do placar por cerca de uma hora, após converter pênalti cometido por Paul Pogba no primeiro ataque do jogo.

Os irlandeses, porém, não conseguiram resistir à pressão dos donos da casa e ainda se viram em inferioridade numérica durante os últimos 30 minutos de jogo, após a expulsão do zagueiro Duffy, acabando com qualquer possibilidade de reação.

- Gol e pressão -Como na partida de abertura, uma vitória de virada sobre a Romênia (2-1), os 'Beus' foram anestesiados pelo gol sofrido no início do jogo, mas pressionaram em busca do resultado, impulsionados mais pelo medo da eliminação do que pela qualidade técnica.

Desta vez, o gol sofrido aconteceu logo aos 2 minutos de jogo, depois de um atabalhoado Paul Pogba atropelar Shane Long dentro da área, cometendo pênalti claro que Brady não desperdiçou, anotando o segundo gol mais rápido da história de Euro, atrás apenas do gol marcado pelo russo Dimitri Kirichenko em 2004 (1 minuto e 7 segundos.

A França demorou para responder ao golpe e a primeira jogada de perigo veio aos 18 minutos, em cobrança de falta alçada na área que Griezmann cabeceou, mas o goleiro Randolph segurou.

A Irlanda, bem postada, sabia muito bem o que queria e como jogar, fechando os espaços e tentando surpreender os anfitriões no contra-ataque. A estratégia quase deu certo aos 21 com Daryl Murphy, que acertou um chute colocado da entrada da área, obrigando Lloris a defender com a ponta dos dedos.

Aos 23, a França respondeu com uma cobrança de falta de Pogba que Randolph mandou para escanteio, no último lance perigoso dos franceses num primeiro tempo de pouco futebol.

- Griezmann brilha -No intervalo, Deschamps optou por um sistema mais ofensivo e colocou em campo o habilidoso atacante Kinglsey Coman no lugar do volante N'Golo Kanté. A mudança fez efeito e os franceses rondaram a área irlandesa incessantemente.

Aos 3, o zagueiro Laurent Koscielny não alcançou por pouco uma falta cruzada por Payet e, sete minutos depois, foi Blaise Matuidi que arriscou de longe, obrigando o goleiro Randolph a fazer grande defesa.

O prêmio para os franceses chegou pouco depois, em excelente abertura de jogo pela direita de Payet para o lateral Sagna, que cruzou na medida para Griezmann cabecear colocado, para o fundo das redes.

O atacante do Atlético de Madri voltou a fazer a diferença quatro minutos depois, finalização com um chute rasteiro um toque de cabeça de Olivier Giroud que o deixou cara a cara com o goleiro irlandês.

Para completar a grande atuação, Griezmann ainda foi responsável pela expulsão de Shane Duffy, que se viu obrigado a derrubar o atacante dos 'Bleus' antes que este invadisse a área sozinho. O árbitro não teve outra opção a não ser mostrar o cartão vermelho direto para o zagueiro.

Nos últimos 15 minutos, Descamps tirou um cansado Giroud e colocou outro centro-avante, André-Pierre Gignac, que logo teve duas grandes chances de ampliar a vantagem francesa: primeiro em bomba que Randolph pegou e em seguida em chute colocado que foi parar no travessão.

Nas quartas de final, contra Inglaterra ou Islândia, o técnico Didier Deschamps não poderá contar com dois jogadores importantes, o volante Kanté e o zagueiro Adil Rami, ambos suspensos por acúmulo de cartões amarelos.

am

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo