Esporte

Itália dá troco na Espanha e pega Alemanha nas quartas da Euro

27/06/2016 15h31

Paris, 27 Jun 2016 (AFP) - A seleção italiana fez valer mais uma vez o peso da camisa ao se classificar para as quartas de final da Eurocopa com vitória por 2 a 0 sobre a atual bicampeã Espanha, na revanche da final da última edição, vencida por 4 a 0 pela 'Roja'.

A 'Nazionale' saiu na frente aos 32 minutos de jogo, com um gol do zagueiro Giorgio Chiellini, que pegou a sobra de uma cobrança de falta do brasileiro naturalizado italiano Éder.

A Espanha teve várias chances de empatar no segundo tempo, mas acabou levando o tiro de misericórdia nos acréscimos, em lindo chute de primeira de Graziano Pellè.

Foi mais um fracasso da seleção bicampeã europeia de 2008 e 2012 e campeã mundial em 2010, que não conseguiu se renovar depois do fracasso do Mundial de 2014, quando caiu logo na primeira fase.

"É uma decepção que precisamos aceitar. Eles foram mais eficientes e nos dominaram. No segundo tempo, mostramos algo, mas no primeiro jogamos em função deles. Isso nos penalizou. Temos que pensar em outra coisa", lamentou Andres Iniesta, melhor jogador da 'Fúria'.

A Itália volta a campo no sábado, em Bordeaux, para disputar uma vaga nas semifinais com a Alemanha, que no domingo atropelou a Eslováquia por 3 a 0.

"Mostramos que a Itália não é só 'catenaccio'", comemorou o técnico italiano Antonio Conte, referindo-se ao estilo defensivo pelo qual a Itália é conhecida.

"A Alemanha vai ser um adversário dificílimo, talvez o mais difícil até hoje", elogiou o treinador.

A seleção tetracampeã mundial guarda ótima lembrança do último confronto com a 'Mannschaft' em jogos oficiais, com vitória por 2 a 1 na semifinal da última Euro, com dois gols do polêmico atacante Mario Balottelli, que sumiu do radar da 'Nazionale'.

- Maldição do uniforme branco -Como aconteceu na estreia, contra a Bélgica (2-0), a Itália deu uma aula de tática e só não saiu vencendo de goleada porque David De Gea fez defesas milagrosas.

Mesmo assim, o goleiro do Manchester se despediu da Euro com quatro gols sofridos, um a mais do que Iker Casillas nas últimas duas edições do torneio. 'San Iker' ficou no banco, e De Gea, envolvido num escândalo sexual, deve ter uma volta conturbada à Espanha.

Para os supersticiosos, a péssima atuação da 'Roja' não foi por acaso: ao invés do tradicional uniforme vermelho, a seleção espanhola jogou com a mesma camisa branca com a qual foi derrotada por 2 a 1 pela Croácia na última rodada da primeira fase.

Foi justamente por causa desse revés que ficou em segundo lugar do grupo E e teve que enfrentar a Itália nas oitavas.

A Espanha também jogou de branco quando passou o maior vexames dos últimos anos, a goleada de 5 a 1 para a Holanda na estreia da Copa do Mundo no Brasil.

O uniforme mudou, mas o técnico Vicente Del Bosque repetiu a mesma escalação das três partidas da primeira fase, mantendo o trio de ataque formado por Nolito, Morata e David Silva.

Do lado italiano, o meia Antonio Candreva, lesionado, deu lugar a Mattia de Sciglio para ocupar a ponta esquerda, atrás da dupla Éder-Pellè.

- Duelo de gerações -Muitos esperavam uma Itália na retranca, esperando o adversário, mas era sem contar com a inteligência tática de Antonio Conte.

A 'Nazionale' pressionou muito bem a saída de bola espanhola, impedindo os bicampeões europeus de desenvolver seu jogo de passes, e criou várias chances logo de cara.

Para se ter uma ideia do bombardeio italiano, o goleiro De Gea precisou fazer três defesas milagrosas em pouco mais de dez minutos.

A primeira foi logo aos 5, em chute desviado de Éder, e a segunda aos 8, quando imitou o lendário Gordon Banks ao se esticar todo em cabeceio certeiro de Pellè, o 'quase xará' do Rei do Futebol, que esbarrou no goleirão inglês em lance parecido na Copa do Mundo de 1970.

Não parou por aí. Aos 11, foi a vez de Emanuele Giaccherini ameaçar a meta espanhola de bicicleta. De Gea espalmou e a bola ainda bateu na trave.

O 'paredão' do Manchester United vinha sendo o grande destaque da partida, mas acabou falhando aos 32. Em cobrança de falta venenosa de Éder, tentou encaixar a bola, mas deu rebote para Chiellini abrir o marcador.

A defesa espanhola continuava totalmente exposta e De Gea precisou fazer mais um milagre aos 44, em chute de Giaccherini, que fez fila na esquerda da área e por muito pouco não deixou a Itália com vantagem maior ainda antes do intervalo.

Irreconhecível, a Espanha teve apenas uma finalização no primeiro tempo, aos 27, quando Iniesta, seu melhor jogador, chutou fraco, nas mãos do veterano Buffon.

Os comandados de Vicente Del Bosque voltaram melhor para o segundo tempo, mas Éder quase aproveitou mais uma bobeada da zaga.

Aos 10, o catarinense recebeu lindo passe de calcanhar de Pellè e ficou na cara do gol, mas chutou em cima de De Gea.

O goleiro espanhol se desdobrou para evitar a goleada, mas quem levou a melhor no duelo de gerações foi o veterano Gianluigi Buffon, de 38 anos, treze a mais que o jovem do United, que tem 25.

A lenda vida da Juve só teve trabalho no final da partida, mas fez defesas decisivas em chutes de Iniesta e Piqué.

A Espanha estava cada vez mais perto do gol de empate, mas Pellè acabou selando de vez a vitória italiana nos acréscimos, quando ficou sozinho na segunda trave para mandar um passe de Darmian para as redes.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo