Esporte

País de Gales pinta zebra com virada histórica sobre Bélgica nas quartas de Euro

01/07/2016 18h53

Lille, França, 1 Jul 2016 (AFP) - Depois da Islândia, foi a vez do País de Gales protagonizar uma zebra histórica nas quartas de final da Eurocopa ao derrotar a favorita Bélgica de virada por 3 a 1, nesta sexta-feira, em Lille, e disputará com Portugal uma vaga na grande decisão.

A seleção galesa disputará a primeira semifinal da sua história em um grande torneio na próxima quarta-feira, em Lyon, no reencontro de Gareth Bale com Cristiano Ronaldo, seu companheiro de ataque no Real Madrid.

Na última quinta-feira, CR7 e companhia eliminaram a Polônia nos pênaltis, depois do empate em 1 a 1 no tempo normal. Na ocasião, os poloneses também marcaram um gol cedo, com Lewandowski, mas acabaram ficando pelo caminho, como os belgas.

O melhor resultado dos 'Dragões' até então tinha sido uma participação nas quartas de final da Copa do Mundo de 1958, quando perderam por 1 a 0 para o Brasil, com um golaço de Pelé.

Depois de vibrar com a eliminação da arquirrival Inglaterra pela Islândia nas oitavas, os comandados de Chris Coleman pintaram outra zebra ao eliminar a 'geração dourada' da Bélgica.

"Estamos muito felizes. Há anos trabalhamos duro para isso. Deixamos nosso país muito orgulhoso de nós. No início da campanha éramos considerados azarões, mas sabíamos que tínhamos qualidade. Não vamos comemorar ainda porque temos outros jogos pela frente", analisou Hal Robson-Kanu, autor do segundo gol galês.

Com o triunfo inesperado, a fanática torcida galesa, que incendiou o estádio de Lille, pode sonhar em imitar a Grécia, que surpreendeu a todos ao conquistar a Eurocopa de 2004, em Portugal.

- Bélgica sem defesa -Já a Bélgica adiou mais uma vez o sonho de disputar mais uma semifinal em um grande torneio, desde a Copa do Mundo de 1986, quando terminou em quarto lugar.

Sem poder contar com Thomas Vermaelen, suspenso, nem com Jan Vertonghen, lesionado, o técnico belga Marc Wilmots, que já teve que disputar a Euro sem os zagueiros titulares Kompany e Lombaerts, precisou escalar uma defesa improvisada e rejuvenescida, o que acabou pesando na hora do vamos ver.

Jordan Lukaku, de 21 anos, substituiu Vertonghen na lateral esquerda, enquanto Jason Denayer, que tem a mesma idade, formou a dupla de zaga com Toby Alderweireld (27). Thomas Meunier (24) completou o quarteto defensivo mais jovem da Euro.

Do lado galês, não houve surpresas na escalação. O técnico Chris Coleman manteve o esquema 3-5-2, com Robson-Kanu no lugar de Vokes para apoiar Bale no ataque.

Muito superior tecnicamente, a Bélgica partiu para cima logo de início, com Hazard infernizando a zaga galesa na ponta esquerda.

O craque do Chelsea, que era dúvida para a partida por sentir dores musculares, mostrou com suas arrancadas que as especulações sobre sua presença ou não na partida eram um mero blefe de Wilmots.

O camisa 10 estava em forma e deu sua quarta assistência do torneio aos 13, ao recuar de primeira para Nainggolan, que acertou uma bomba no ângulo.

O volante da Roma já tinha anotado um gol semelhante na última rodada da fase de grupos, com um foguete que garantiu a vitória por 1 a 0 sobre a Suécia, resultado que 'aposentou' o astro Zlatan Ibrahimovic da seleção nórdica.

Com a vantagem no marcador, os 'Diabos Vermelhos' começaram a se acomodar e a reação galesa começou aos 26, com as duas maiores estrelas da companhia. Bale rolou para Ramsey, que chutou rasteiro e obrigou Courtois a fazer uma grande defesa.

O gol de empate acabou saindo aos 31, quando Ashley Williams testou firme, sem chances para o goleiro do Chelsea, uma cobrança de escanteio de Ramsey.

- Pintura galesa -Insatisfeito com o relaxamento da sua equipe, Wilmots mexeu no intervalo, colocando Fellaini no lugar de Carrasco.

Muito contestado pelas atuações abaixo do esperado, o meia do Manchester United mostrou serviço logo aos 3 da etapa final, com ótimo lançamento para Meunier, que cruzou para Lukaku cabecear rente à trave.

Parecia que a Bélgica iria acordar de vez na partida, mas Robson-Kanu contrariou todas as expectativas ao assinar uma verdadeira pintura.

O atacante recebeu cruzamento de Ramsey na entrada da área, dominou com categoria, deu um giro sensacional no meio de três dois marcadores e fuzilou Courtois para iniciar a improvável virada belga.

Fellaini quase empatou de cabeça aos 29, mas não era o dia da Bélgica.

Robson-Kanu saiu ovacionado aos 34, dando lugar a Vokes, que fechou o caixão dos 'Diabos Vermelhos' ao cabecear para as redes em cruzamento de Gunter.

A população do Pais de Gales votou em sua maioria a favor da saída do Reino Unido da União Europeia, mas Bale e companhia não querem saber de Brexit na Euro. Por ironia do destino, a vítima foi justamente a Bélgica, sede das principais instituições da UE.

lg

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo