Esporte

França tenta apagar vulcão islandês nas quartas da Euro

02/07/2016 17h38

Saint-Denis, França, 2 Jul 2016 (AFP) - Com o apoio da sua torcida, a França enfrenta neste domingo a Islândia, sensação da Eurocopa, com a missão de reencontrar seu melhor futebol para espantar a zebra e garantir sua vaga nas semifinais.

Estreante na competição, a seleção do pequeno país de 330.000 habitantes chegou em terras francesas com rótulo de azarão, mas surpreendeu a todos nas oitavas, ao eliminar ninguém menos que a Inglaterra, com vitória de virada por 2 a 1.

Sem nada a perder e com a confiança em alta, os Vikings da terra dos vulcões prometem incendiar o Stade de France.

Antes desconhecidos, jogadores com nomes praticamente impronunciáveis, como Kolbeinn Sigthorsson, Gylfi Sigurdsson, Birkir Bjarnason ou Aron Gunnarsson, já estão na boca do povo nos quatro cantos da Europa.

Na Islândia, as lojas já não conseguem mais suprir a demanda de camisas da seleção e mais de 10.000 torcedores devem estar no Stade de France. No telão instalado na capital Reykjavik, são esperadas 30.000 pessoas, quase 10% da população total do país.

"Uma derrota seria complicada para a França. Não para nós, nem para o povo islandês", ressaltou Heimir Hallgrimsson, dentista de formação, que comanda a seleção nórdica ao lado do experiente sueco Lars Lagerbäck.

"Pouco a pouco, as montanhas parecem menos altas. Quando você é azarão, precisa usar todas as suas qualidades e se manter confiante e relaxado. Tenho certeza que ainda não vimos a melhor versão da Islândia", avisou.

O certo é que a França claramente não mostrou sua melhor versão, longe disso. Apesar de ser considerado um dos grandes favoritos, a seleção anfitriã passou sufoco em todas as partidas que disputou.

Na estreia, só conseguiu vencer a Romênia com um gol marcado por Dimitri Payet a um minuto do fim. No segundo jogo, garantiu a vitória sobre a modesta Albânia com dois gols nos minutos finais, antes de empatar sem gols com a Suíça, quando já tinha a vaga no mata-mata garantida.

Nas oitavas, contra a Irlanda a decisão não foi no apagar das luzes, mas os 'Bleus' tiveram que superar um gol relâmpago de pênalti para vencer de virada por 2 a 1, com dois gols de Antoine Griezmann.

"Vai ter uma hora em que não vai ser ter mais como levar sustos como esses", alertou o técnico Didier Deschamps.

- Prova de fogo -De fato, os franceses precisam controlar os nervos para se consagrar em casa, como a geração de Michel Platini, na Euro-2016, e de Zinedine Zidane, na Copa do Mundo de 1998.

"O que faz a diferença é a questão mental", comentou o capitão Hugo Lloris. "Falta um pouco de regularidade, de intensidade, mas no fim das contas conseguimos ganhar os jogos graças ao jogo coletivo, às vezes com mudanças de esquema, às vezes com substituições de jogadores", enfatizou.

Esse jogo será uma prova de fogo para o jovem zagueiro Samuel Umtiti, de 22 anos, cotado para ser titular na sua primeira partida com a seleção, na ausência de Adil Rami, que terá que cumprir suspensão.

Revelado no Lyon, Umtiti já acertou sua transferência para o Barcelona e terá uma grande oportunidade de mostrar que é capaz de jogar no mais alto nível.

A França toda também espera uma grande atuação de Paul Pogba, que ainda não correspondeu às expectativas e terá muito trabalho num meio de campo desfalcado com a ausência de Kanté, também suspenso.

Com a ausência do volante do Leicester, Deschamps tem a opção de colocar Yohan Cabaye, que joga na mesma posição, ou mudar o esquema de 4-3-3 para 4-2-3-1.

Nesse caso, o meia Sissoko ou o atacante Kinsley Coman jogariam, abertos pela direita, na frente da dupla Pogba-Matuidi, com Griezmann na ponta esquerda, Payet como camisa 10 e Giroud de centroavante.

Qualquer que seja a formação, a França vai ter que jogar no seu mais alto nível para não passar vexame diante da seleção da moda na Europa, que Bacary Sagna chegou a comparar ao Leicester, surpreendente campeão inglês.

"É o Leicester da Europa. Uma equipe de qualidade que pode ser subestimada. Somos favoritos e temos que estar atentos desde o início da partida", avisou o lateral francês do Manchester City, que sentiu na pele a ascensão meteórica dos 'Foxes' na Premier League.

-- Prováveis escalações:

França: Hugo Lloris (cap) - Bacary Sagna, Samuel Umtiti, Laurent Koscielny, Patrice Evra - Blaise Matuidi, Yohan Cabaye (Sissoko), Paul Pogba - Antoine Griezmann, Olivier Giroud, Dimitri Payet. T: Didier Deschamps.

Islândia: Hannes Thór Halldórsson - Birkir Saevarsson, Kári Árnason, Ragnar Sigurdsson, Ari Skúlason - Johann Berg Gudmundsson, Aron Gunarsson (cap), Gylfi Sigurdsson, Birkir Bjarnason - Kolbeinn Sigthórsson, Jon Dadi Bodvarsson. T: Lars Lagerback e Heimir Hallgrimsson.

Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo