Esporte

Rio-2016 aquece motores com reunião do COI e decisão sobre atletas russos

30/07/2016 19h39

Rio de Janeiro, 30 Jul 2016 (AFP) - Os jogos Olímpicos do Rio-2016 entram em sua contagem regressiva com a reunião neste sábado e domingo do comitê executivo do COI, que centrará seus debates nos casos dos atletas russos excluídos do evento por doping.

Esta reunião da liderança do Comitê Olímpico do COI e a posterior sessão do congresso deste organismo, entre 1º e 4 de agosto, serão a antessala dos Jogos (5-21 de agosto).

Os escândalos de doping do esporte russo e as exclusões de competidores deste país em várias modalidades, particularmente no atletismo, onde sua delegação foi rejeitada em bloco do evento, ocuparão grande parte deste encontro.

A delegação russa, inicialmente anunciada com 387 atletas pelo Comitê Olímpico Russo (ROC) na semana passada, caiu para 266 em 29 modalidades, segundo os números fornecidos neste sábado pelo ministro russo do Esporte, Vitali Mukto, que ressaltou que a presença de vários deles ainda está em dúvida.

"Neste momento posso dizer que estaremos presentes em 29 modalidades de 34, com 266 pessoas", explicou.

Além dos 67 atletas excluídos pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF) após a explosão do escândalo, dezenas de outros competidores foram excluídos dos Jogos, especialmente no remo, natação ou luta.

Mutko explicou que a Rússia espera para este sábado um veredicto definitivo sobre sua equipe de natação.

Na sexta-feira, a Federação Internacional de Halterofilismo (IWF) anunciou a exclusão dos oito atletas russos que iriam competir no Rio.

Algumas federações internacionais transmitiram ao COI uma lista de atletas russos autorizados a participar dos Jogos, mas será o COI que decidirá sua presença, baseado na opinião de um especialista do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).

"A decisão final será do COI", explicou uma porta-voz deste organismo.

Nesta panorama, Richard McLaren, jurista canadense responsável pela elaboração do relatório que denunciou o esquema de doping estatal na Rússia, afirmou estar sendo confrontado "à enxurrada" de pedidos de informação provenientes das diversas federações internacionais e das autoridades russas, que buscam esclarecer a situação dos atletas investigados.

- Decisão final do COI -À espera da palavra final do comitê executivo do COI e de seu presidente, o alemão Thomas Bach, a incógnita persiste sobre o número de atletas russos que serão autorizados a competir.

A entidade anunciou neste sábado que a decisão final em relação a participação de atletas russos nos Jogos Olímpicos do Rio-2016 será confiada a três membros de sua comissão executiva.

"A comissão executiva do COI decidiu delegar a um grupo composto por três membros a decisão final em relação aos atletas russos", anunciou Mark Adams, porta-voz do COI, adiantando que a decisão final deverá ser publicada "antes do início dos Jogos, antes de sexta-feira (5 de agosto)".

Os atletas rejeitados de antemão, porém, têm a possibilidade de recorrer ao TAS para contestar sua exclusão, um caminho que os nadadores Vladimir Morozov e Nikita Lobintsev anunciaram ter escolhido neste sábado.

Ambos medalhistas de bronze nos Jogos de Londres-2012, os nadadores apresentaram recurso contra a decisão do COI de 24 de julho e contra a Federação Internacional de Natação (Fina).

Segundo a última contagem da AFP, 117 atletas russos já estão oficialmente excluídos dos Jogos do Rio, quase um terço da delegação prevista.

O presidente da Agência Mundial Antidoping (Wada) e vice-presidente do COI, Craig Reedie, apresentará neste sábado um relatório diante de seus 14 colegas.

Já o presidente do Comitê Organizador do Rio-2016, Carlos Nuzman, apresentará na tarde de domingo um último relatório sobre a preparação dos Jogos, após as dúvidas econômicas e políticas e as ameaças do zika vírus.

Enquanto isso, atletas de todos os países continuavam chegando ao aeroporto internacional do Rio de Janeiro.

As bandeiras de vários países começavam a ser penduradas nos balcões da Vila Olímpica da Barra.

Junto às bandeiras da Austrália, uma das primeiras delegações a chegar, são vistas na Vila Olímpica as bandeiras de Argentina, Chile, Suíça, Dinamarca, Alemanha, Angola, Noruega, Finlândia, Portugal, e inclusive da Coreia do Norte, muito próxima do edifício do "Time Brasil", o mais fácil de distinguir.

O edifício da delegação australiana na Vila Olímpica teve que ser evacuado na sexta-feira devido a um pequeno incêndio que foi rapidamente controlado.

O incêndio ocorreu cinco dias após a delegação declarar "inabitável" o alojamento por problemas com tubulações entupidas, cabos soltos, vazamento de gás e muitos escombros.

O edifício foi submetido a reparos de urgência e na quarta-feira começou a receber os primeiros atletas.

Os primeiros cavalos que participarão das provas de hipismo também chegaram na sexta-feira a bordo de um avião procedente de Londres.

O Brasil, que estará pendente sobretudo no futebol, já que o ouro olímpico é a única conquista que falta em seu extenso histórico neste esporte, soube na sexta-feira que sua estrela, Neymar, será o capitão do time e, portanto, o encarregado de alcançar este objetivo.

bur-psr/ra/iga/pr/ma

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo