Esporte

O legado dos Jogos no leste de Londres: adeus aos mais humildes

05/08/2016 17h06

Londres, 5 Ago 2016 (AFP) - No bairro de Stratford, no leste de Londres, os Jogos Olímpicos trouxeram a recuperação da área, mas ao preço de um aburguesamento que acabou expulsando a muitos dos seus moradores de sempre.

No plano esportivo, entretanto, não há discussão: a escolha de Londres para sediar o evento foi uma das mais bem-sucedidas da história. O ministro dos Esportes da época, Hugh Robertson, colocou como exemplo que muitos britânicos se animaram a fazer esportes graças aos Jogos e que há 1,5 milhão de praticantes suplementares desde então.

Para Robertson, o balanço é excelente também para o bairro de Stratford, totalmente transformado graças aos investimentos, que trouxeram edifícios modernos onde não havia nada além de casas antigas e estacionamentos.

"Em 2005, estávamos no meio do parque (olímpico) vendo como o guindaste empilhava um monte de concreto na baía próxima para destruí-la, criando uma enorme nuvem de poeira", explicou Robertson à AFP.

"Estávamos perto de trailers abandonados, e o resto era um depósito industrial (...) Se hoje você for ao mesmo lugar, vê uma área totalmente transformada", acrescentou.

É verdade, admite, que nem todos os moradores do local se beneficiaram, mas acredita que a culpa é mais do governo que dos organizadores dos Jogos.

Se os novos empregos criados "não foram para os habitantes, é mais por uma questão de qualificação das pessoas do bairro. E isso é algo que requer atenção do governo, e não é culpa dos Jogos Olímpicos".

"Todos teremos que ir embora"A socióloga Penny Bernstock, especialista em moradias e mudança social no leste da capital britânica, reconhece que foram produzidos avanços notáveis em matéria de transportes.

Mas ao mesmo tempo, o número de pessoas sem moradia aumentou 151% em Newham (distrito que inclui Stratford) entre 2012 e 2015, enquanto no resto da cidade foi de 51%.

E os empregos criados foram, sobretudo, no setor de serviços e comércio, mas sem a remuneração suficiente para viver na área.

"Muitos apartamentos à venda neste bairro, que se apresenta como acessível, somente são acessíveis para pessoas que ganham 73.000 libras ao ano" (97.000 dólares), considerou.

A área conta somente com 675 moradias sociais, e o preço médio de uma apartamento de dois quartos é de 600.000 libras (800.000 dólares).

Segundo um estudo da organização Property Partners, o preço das moradias aumentou 64% desde 2012 nos seis bairros que cercam o parque olímpico, 11% mais que no resto da capital britânica.

Hugh Robertson considera "legítimas" as críticas, mas assegura que conseguiram transformar o bairro outrora bagunçado em "um lugar que não é um jardim do Éden, mas tem infraestrutura e uma extraordinária oferta de moradias".

Mas Andrew e sua esposa não estão convencidos. "O legado dos Jogos é que teremos que ir embora. Gostamos da proximidade do parque e do estádio, mas por culpa deles vamos perder nossa casa", disse o homem.

"Estou triste, não quero ir", prosseguiu. "Terei que ir com minha esposa (a um local) a meia hora ou uma hora daqui. Somos aposentados, e quanto mais envelhecemos menos vontade temos de ir embora do local onde crescemos".

pi-rba/oaa/al/cb

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo