Esporte

Com Temer vaiado e Vanderlei acendendo a pira, Rio abre Jogos exaltando diversidade

06/08/2016 01h33

Rio de Janeiro, 6 Ago 2016 (AFP) - "Depois desse maravilhoso espetáculo, eu declaro abertos os Jogos da 31ª Olimpíada". Com essa simples frase, o presidente interino Michel Temer deu início oficialmente aos primeiros Jogos realizados em solo sul-americano, mas recebeu uma sonora vaia, na cerimônia de abertura realizada na noite de sexta-feira, no Maracanã, com festa que exaltou a diversidade do Brasil.

Quem foi ovacionado de pé pelo público que lotou o templo do futebol foi o ex-maratonista Vanderlei de Lima, que acendeu a pira olímpica no final da cerimônia.

O 'Rei Pelé', que marcou seu milésimo gol nesse estádio, chegou a ser cotado para ter essa honra, mas rejeitou o convite por motivos de saúde.

"O melhor lugar do mundo é aqui e agora", resumiu o presidente do Comitê Organizador Rio-2016 Carlos Arthur Nuzman, que se disse "o homem mais orgulhoso do mundo" e deu "boas-vindas ao mundo de braços abertos".

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, fez questão de relembrar o momento conturbado vivido pelo país, em meio à crise econômica e o afastamento da presidente Dilma Rousseff, substituída por Temer.

"Vocês conseguiram organizar esse lindo evento em um momento difícil para a história do Brasil, sempre acreditamos em vocês", comentou o dirigente.

O secretário-geral da ONU, Ban-Ki-Moon, que apareceu no telão pouco antes da contagem regressiva para o início da festa, fez um apelo para se respeitar a "trégua olímpica", como nos tempos da antiguidade.

Não foi suficiente para evitar as vaias a Temer, apesar de todo o cuidado de não apresentá-lo no início da cerimônia, junto com Bach e Nuzman, como estava previsto no protocolo.

Temer estava acompanhado na tribuna de honra por apenas 37 representantes estrangeiros, a metade de Pequim-2008 e Londres-2012, entre eles o secretário de Estado americano, John Kerry, e os presidentes de França e Argentina, François Hollande e Mauricio Macri, respectivamente.

Gisele incendeia o públicoEmbora o contexto não seja dos mais favoráveis, foi uma grande oportunidade de mostrar ao mundo a imagem de um Brasil vibrante, em toda sua diversidade.

Foi seguindo essa linha que o espetáculo começou com a interpretação emocionante do hino nacional por Paulinho da Viola.

Como aconteceu há quatro anos, em Londres-2012, seguiram-se uma série de quadros que apresentaram a história do país, com lindas projeções em 3D, começando com os indígenas, representados por 72 dançarinos vindos de Parintins, no Amazonas.

Outra projeção mostrou as caravelas, marcando a chegada dos europeus e dos africanos, sem deixar de lembrar as cicatrizes ainda vivas do passado de escravidão.

O espetáculo colorido também veio como um apelo para preservar o planeta.

A era moderna foi representada pela construção de arranha-céus, ao som de "Construção", de Chico Buarque, e a entrada no estádio do avião 14 Bis, de Santos Dumont.

O palco estava montado para um dos momentos mais aguardados da noite, o desfile da supermodelo Gisele Bundchen, enquanto o público batia palmas no ritmo da "Garota de Ipanema", de Vinícius de Moraes e Tom Jobim, cuja imagem era projeta ao fundo.

Duetos inspiradosFoi apenas um aperitivo para a grande festa, exaltando a diversidade do Brasil.

Uma mistura de ritmos, a começar por um dos primeiros grande sucessos do funk carioca, o "Rap da Felicidade", interpretado por Ludmila.

O primeiro grande momento de emoção foi ver a diva Elza Soares, ainda no ritmo do funk, emendando com "Canto de Ossanha", clássico da Bossa de Vinícius de Moraes.

Sozinha no palco, sentada em uma cadeira, sua voz rouca deixou todo o público arrepiado, como há mais de 40 anos os dribles do grande amor da sua vida, o eterno craque Garrincha, que brilhou tantas vezes no Maracanã.

A mistura de ritmos continuou com "Deixa a vida me levar", cantada em dueto pelo sambista Zeca Pagodinho e o rapper Marcelo D2.

O movimento Hip Hop, de D2, muitas vezes criticado por ter letras consideradas machistas, entrou na contramão dos clichês, com o empoderamento feminino representado por Karol Conca, e a pequena MC Soffia, de apenas 12 anos.

Ao final das apresentações musicais, só restou pular e dançar ao som de "País Tropical", do Mestre Jorge Ben Jor.

- Desfile animado -Nada melhor que uma grande festa para dar início ao desfile das 207 delegações, começando pela Grécia, berço do Olimpismo.

O esperado desfile também teve um apelo ambiental. Cada atleta recebeu uma semente e um tubete com substrato para semear uma árvore nativa do Brasil, para colocá-lo em torres espalhadas pelo palco.

Como era de se esperar, a delegação brasileira, que entrou por último, foi acolhida por uma ovação de arrepiar, logo depois do público homenagear merecidamente o primeiro time de refugiados da história dos Jogos.

Yane Marques, medalhista de bronze do pentatlo moderno em Londres-2012, interpretou seu papel de porta-bandeira na maior tradição das escolas de samba, rodopiando, puxando uma fila de atletas pulando e dançando, felizes de vida.

A apoteose, nome da praça que marca o final dos desfiles do carnaval, foi a presença de todas as 12 escolas de Samba do grupo especial do Rio, juntas, para uma batucada antológica, pouco depois do show de Caetano Veloso e Anitta.

Só faltava a chama olímpica, que chegou nas mãos de um Gustavo Kuerten que não segurou a emoção ao entrar no estádio aos gritos de "Guga, Guga!"

O tricampeão de Roland Garros passou a tocha para Hortência, rainha do basquete, que a entregou para Vanderlei Cordeiro de Lima.

Um símbolo de superação, reverenciado por continuar correndo rumo ao bronze depois de ser empurrado por um espectador quando liderava a maratona de Atenas-2004. A pira foi acesa com muita emoção e o fogo olímpico se mantém vivo até o dia 21 de agosto, data da cerimônia de encerramento.

lg

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo