Esporte

Juan Nogueira vibra de alegria com sua primeira vitória no boxe do Rio-2016

06/08/2016 14h37

Rio de Janeiro, 6 Ago 2016 (AFP) - O paulista Juan Nogueira vibrou de alegria ao conhecer o veredicto que anunciou sua vitória por decisão unânime na disputa contra o australiano Jason Whateley na divisão de 91 quilos do torneio de boxe nos Jogos Olímpicos Rio-2016.

Incentivado por seus compatriotas, maioria entre os 10.000 torcedores na arena Riocentro, o corpulento Nogueira foi para cima do australiano, muito maior, mas mais esbelto.

"É uma grande vitória. Eu me senti apoiado pela minha gente e Deus", declarou o lutador de São Paulo.

Nogueira acertou golpes mais potentes e em várias ocasiões fez cambalear seu adversário, mas a pouca técnica de seu boxe o impediu de liquidar a luta antes do limite de três rounds.

Nogueira, de 28 anos e 1.86 m de altura, conquistou este ano uma medalha de bronze no prestigiado torneio Cordova Cardin de Cuba.

Seu boxe é pouco ortodoxo, falta-lhe polir detalhes técnicos, mas é cheio de agressividade, o que lhe permitiu tomar a iniciativa ante Whateley, que esteve prestes a beijar a lona ainda no primeiro assalto.

O 'aussie' se agarrou a seu adversário como um homem se afogando a uma prancha flutuante, e assim resistiu aos três rounds, mas em algumas ocasiões conseguiu penetrar com bons golpes de direita a defesa de Nogueira.

A alegria do brasileiro com sua vitória faz sentido quando se conhece sua via crúcis no boxe.

Palhaço e garçomNogueira teve de pôr de lado o boxe há dois anos para trabalhar como palhaço em festas infantis e como garçom em um bar.

"Eu tive que trabalhar para ajudar em casa e comprar o meu próprio material. Um amigo me convidou para interpretar personagens e animar festas infantis", conta o brasileiro na zona mista.

Quando ele foi chamado para a seleção nacional, dois anos antes destes Jogos Olímpicos, pode passar a dedicar-se inteiramente ao esporte de sua escolha.

Agora, tem o incentivo de participar em competições profissionais organizadas pela AIBA, que o paga um salário mais elevado que aquele que obtida com seus trabalhos anteriores.

"O boxe se tornou o meu trabalho", diz o pugilista de 28 anos, para quem este primeiro triunfo olímpico, é a recompensa do enorme esforço.

Em sua próxima luta enfrentará o russo Evgeny Tishchenko, um gigante de 1.96 m que foi campeão do mundo este ano, em Doha, e que já venceu três grandes torneios europeus antes dos Jogos Olímpicos.

"Não tem duas pernas e dois braços como eu? Mas talvez não tenha um coração tão grande", diz Nogueira, convencido de não ter nada a perder.

"Ninguém é invencível", diz ele, com o mesmo sorriso fácil que conquistou os corações das crianças em sua época de palhaço.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo