Esporte

Brasil conquista 1ª medalha no Rio-2016, mas judô decepciona

07/08/2016 00h53

Rio de Janeiro, 7 Ago 2016 (AFP) - Há quatro anos, em Londres, o Brasil teve o inícios dos sonhos no judô, com três medalhas, uma de cada cor. Neste sábado, no Rio, a prata veio, mas no tiro esportivo com Felipe Wu, já que Sarah Menezes e Felipe Kitadai, ouro e bronze na capital inglesa, deixaram o tatame sem pódio.

Se o dia foi de decepção para a torcida brasileira na Arena Carioca 2, palco do judô nos Jogos do Rio, no Centro Olímpico de Tiro, em Deodoro, a festa do público local foi contagiante com a conquista de Felipe Wu, dono da primeira medalha do Brasil nos Jogos Rio-2016.

Líder do ranking mundial, Wu, paulista de apenas 24 anos, precisava se mostrar à altura das expectativas depositadas nele e não decepcionou, brigando tiro a tiro com o vietnamita Xuan Vinh Hoang, que na última tentativa ultrapassou o brasileiro, vencendo por míseros 0.4 pontos de vantagem e garantindo o ouro.

Enquanto o público comemorava o feito de Wu cantando o hino à capela em Deodoro, a torcida que compareceu ao Parque Olímpico para assistir ao judô voltou para casa decepcionada.

Sarah Menezes e Felipe Kitadai acabaram derrotados na repescagem e ficaram de fora da briga pela medalha de bronze, perdendo respectivamente para a cubana Dayaris Alvárez e o uzbeque Diyorbek Urozboev.

Nos esportes coletivos, o destaque brasileiro do dia foi a grande estreia da seleção feminina de handebol, que dominou a atual bicampeã olímpica Noruega, vencendo por 31 a 28, com show da dupla Duda e Ana Paula.

No vôlei, tanto de quadra como de praia, o Brasil mostrou sua força.

A seleção feminina, atual bicampeão olímpica, derrotou com imensa facilidade por 3 a 0 Camarões no Maracanãzinho (25-14, 25-21 e 25-13) na estreia no grupo A da competição.

Já nas areias da praia de Copacabana, Alison e Bruno despacharam os adversários canadenses (2-0), enquanto Agatha e Bárbara precisaram de três sets para superar as rivais tchecas (2-1).

Da praia de Copacabana para as águas do Parque Aquático da Barra da Tijuca, onde Felipe França e João Gomes garantiram vaga na grande final dos 100 m peito, marcada para este domingo.

A FAÇANHA: FELIPE WUNão podia ser outra. O paulista brilhou em sua primeira Olimpíada, colocando o Brasil oficialmente no quadra de medalhas. De quebra, Wu se tornou o primeiro atleta brasileiro a conquistar uma medalha no tiro esportivo em Jogos Olímpicos desde Guilherme Paraense, ouro em Antuérpia-1920, há 96 anos!

A DECEPÇÃO: ORGANIZAÇÃO DO JOGOSO dia começou com filas quilométricas nas entradas do Parque Olímpico, com os espectadores tendo que esperar em média duas horas na fila para passar pelo forte esquema de segurança. Resultado: eventos esportivos com pouca presença de público pela manhã. Depois de conseguir entrar no Parque, porém, nem tudo foi flores para os torcedores, que sofreram para encontrar pontos de venda de comida e, quando achavam, precisavam passar outra hora ou mais na fila para se alimentar de amendoim e batatas fritas...

AS FRASES- "Sinceramente, não achava que torcida poderia fazer diferença no tiro esportivo, porque você fica muito concentrado, focado no seu mundinho. Mas essa barulheira toda me passou uma energia muito boa. É incrível", admitiu Felipe Wu, que nunca havia tido o nome gritado pela torcida antes. Neste sábado, os gritos de "WUUUU! WUUUU!" eram ensurdecedores.

- "Taticamente, ela não entrou bem na luta e foi surpreendida logo no começo. Errou na forma de segurar o quimono, deveria ir com as duas mãos, entrou com uma mão de cada vez", analisou Ney Wilson, gestor técnico de alto rendimento da Confederação Brasileira de Judô, referindo-se à fraca atuação de Sarah Menezes nas quartas de final.

A HISTÓRIAConsiderado o favorito ao ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008 na prova do solo, o ginasta Diego Hypolito cometeu um erro ao final de sua apresentação e não subiu ao pódio naquela ocasião. O sonho da medalha também não veio em Londres-2012, com outro erro que acabou custando caro.

Neste sábado, porém, o ginasta, aos 30 anos, deu a volta por cima, enfrentou seus demônios e fez bela apresentação nas classificatórias, recebendo a segundo maior nota do dia, ficando atrás apenas do astro japonês Kohei Uchimura.

Diego se mostrou muito emocionado e foi ovacionado pelo público da Arena Olímpica do Rio. Agora, se prepara para disputar a competição por equipes com o Brasil, na segunda-feira.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo