Esporte

Comitê Internacional Paralímpico vai mais longe que o COI e suspende a Rússia

07/08/2016 17h05

Rio de Janeiro, 7 Ago 2016 (AFP) - O Comitê Paralímpico Internacional (CPI) suspendeu a Rússia e a excluiu dos Jogos Paralímpicos Rio-2016, dando o passo que o COI não quis dar nos Jogos Olímpicos depois das revelações do relatório McLaren sobre o caso de doping de Estado.

"Acredito que o governo russo tenha abandonado catastroficamente seus atletas paralímpicos. Suas medalhas desprovidas de qualquer moral me enojam". Poucas vezes um dirigente esportivo foi tão claro.

Philip Craven, presidente do CPI, não pode ser acusado de falta de diplomacia. Mas suas palavras e explicações mostraram neste domingo a distância entre a decisão do CPI e a do Comitê Olímpico Internacional (COI), que autorizou os atletas russos a participarem dos Jogos caso cumprissem algumas condições.

"O CPI e o COI são duas estruturas completamente diferentes e seus funcionamentos são diferentes", argumentou Craven. O CPI serve também como federação internacional para muitos esportes, ao contrário do COI, que gere apenas os comitês olímpicos nacionais.

"O dia mais obscuro""O dia da publicação do relatório McLaren é para mim o mais obscuro da história do esporte. Durante os dias seguintes, e as inúmeras noites sem dormir, estabelecemos a exatidão dos fatos para que nossa decisão estivesse baseada (nos fatos) e não fosse influenciada por diversas organizações", explicou no Rio de Janeiro.

A Rússia não estará, portanto, nos próximos Jogos Paralímpicos do Rio-2016, que ocorrerá entre os dias 7 e 18 de setembro.

"Nossa decisão se baseou no fato de saber se a Rússia poderia respeitar suas obrigações com respeito ao Código Mundial Antidoping. E a Rússia não cumpre com esses critérios", explicou Craven.

Foi anunciada, entretanto, uma batalha judicial posto que a Rússia dispõe de 21 dias para apelar dessa decisão diante do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).

Mas será mais fácil se livrar agora diante da instância máxima da justiça esportiva mundial com critérios impostos pelo COI aos atletas permitidos.

A ira russa promete ser temível. "Na minha opinião, isso já passa do compreensível. É uma decisão sem precedentes. Não entendo no que ela se baseia", reagiu o ministro russo dos Esportes, Vitali Mutko.

Tanto ele como o presidente do Comitê Paralímpico Russo, Vladimir Lukin, anunciaram sua intenção de apresentar um recurso diante do TAS. "Vamos acioná-los judicialmente, vamos processar o Comitê Paralímpico Internacional diante do TAS", declarou a agência de notícias Interfax.

Os fatos apresentados pelo CPI são claros.

"Duro de lidar"O relatório McLaren, divulgado em 18 de julho e que tratou do doping organizado na Rússia por ocasião dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi em 2014, também incluiu 35 amostras de atletas paralímpicos traficados para testar negativo.

"As equipes do prof. McLaren nos transmitiram as identidades de 35 atletas envolvidos. Apareceram depois que outras dez amostras estavam envolvidas. Ao todo, e apenas agora, há 45 amostras trocadas de 44 atletas paralímpicos", indicou o presidente do CPI.

Diante de "tal enganação, o CPI decidiu re-analisar todo o conjunto de amostras dos atletas paralímpicos russos coletadas no auge dos Jogos Paraolímpicos em Sochi", concluiu.

Para o presidente do CPI, essas decisões deviam ser tomadas: "É muito duro de lidar, mas tínhamos que fazer isso, pelo bem do movimento paralímpico (...) Tenho a maior simpatia pelos atletas russos que perderão os Jogos Paralímpicos do Rio (...) Tragicamente não se trata de atletas que burlam um sistema, mas sim um sistema de Estado que criou armadilhas com os atletas".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo