Esporte

Felipe França e João Gomes vão à final dos 100 m peito em noite de recordes

07/08/2016 01h00

Rio de Janeiro, 7 Ago 2016 (AFP) - A final dos 100 m peito dos Jogos do Rio tem tudo para ser histórica para o Brasil, com a participação de Felipe França e João Gomes Jr, mas quem fez história neste sábado (6) foi a húngara Katinka Katinka Hosszu, que pulverizou o recorde dos 400 m medley.

Esse primeiro dia da natação na Cidade Maravilhosa também ficou marcado pelo grande desempenho da Austrália, com duas medalhas de ouro, de Mack Horton nos 400 m livres e do revezamento 4x100 m livre feminino, com direito a recorde mundial.

Em um dia, os "Aussies" mostraram que não sofreram tanto com os problemas encontrados na Vila dos Atletas e já dobraram o total de ouros de Londres-2012, uma das piores safras da natação do país.

Os Estados Unidos ainda aguardam a estreia do superastro Michael Phelps, que pode acontecer no domingo, e tiveram de se "contentar" com três pratas.

Os recordes foram aplaudidos de pé pelo público carioca, mas a torcida só soltou a voz mesmo na presença dos brasileiros.

Primeiro com Daiene Marcal e Daynara de Paula, que de manhã se classificaram para as semifinais dos 100 m borboleta, mas não foram mais longe do que isso, terminando com o 14º e 16º (e último) tempo da noite, respectivamente.

Nos 100 m peito, os representantes do Time Brasil fizeram a alegria da torcida.

Felipe França terminou na quarta colocação de sua série com tempo de 59.35 segundos, atrás dos favoritos Adam Peaty (57.62), que neste sábado pela manhã quebrou o recorde da prova (57.55), e do atual campeão olímpico, o sul-africano Cameron Van der Burgh (59.21).

"A maior vontade que eu tinha aqui não era nem pegar medalha, totalmente o contrário de Londres. Minha vontade era de ir para uma final, porque era a barreira que tinha que ultrapassar", confessou o paulista de 29 anos, que foi campeão mundial dos 50 m peito, prova não olímpica, em Xangai-2011.

Já João Gomes, com batida em 59.40 segundos, foi o terceiro melhor de sua série, vencida pelo japonês Yasuhiro Koseki (59.23).

"Com Felipe, temos chances reais de medalha amanhã. Quem vai levar é quem estiver com mais garra. Podem ter certeza de que eu e Felipe teremos mais garra do do que ninguém, ainda mais com essa torcida aqui", resumiu.

Na grande final dos 100 metros peito, neste domingo, Felipe e João pularão na piscina lado a lado, nas 6ª e 7ª raias, respectivamente. Peaty, que vem nadando consistentemente quase dois segundos mais rápido do que os adversários, parece, porém, já ter reservado o lugar mais alto do pódio.

- Show da 'Dama de Ferro' -Antes da festa brasileira, quem abriu o baile foi o japonês Kosuke Hagino, primeiro campeão olímpico de natação dos Jogos do Rio ao levar o ouro nos 400 m medley. Em Londres-2012, nessa mesma distância, ele havia faturado o bronze.

Hagino, de apenas 21 anos, superou os dois favoritos da prova, o americano Chase Kalisz (4:06.75) e o também japonês Daiya Seto (4:09.71), atual bicampeão da modalidade, que tiveram de se contentar com prata e bronze, respectivamente.

Mas o grande momento da noite ficou por conta da "Dama de Ferro". Hosszu completou os 400 m medley feminino com o tempo estratosférico de 4 minutos, 26 segundos e 36 centésimos, mais de dois segundos abaixo do recorde anterior, estabelecido pela chinesa Shiwen Je (4:28.43) nos Jogos de Londres-2012.

"É simplesmente uma loucura. Consegui nadar dois segundos mais rápido do que todo mundo, é louco", vibrou a campeã depois da prova.

Dona de cinco títulos mundiais, a húngara nunca havia conquistado uma medalha olímpica.

Com essa façanha, o tempo dos atletas que completaram o pódio foi anedótico. A americana Maya Dirado ficou com a prata, em 4:31.15, mais de cinco segundos atrás de Hosszu, e a espanhola Mirelia Belmonte levou o bronze, em 4:32.39.

A festa australiana começou com Mack Horton. Em prova emocionante disputada braçada a braçada, o jovem nadador de 20 anos superou por apenas 13 centésimos o chinês Sun Yang, que tinha levado o ouro há quatro anos, em Londres.

Horton, de apenas 20 anos, completou a prova em 3 minutos, 41 segundos e 55 centésimos, contra (3:41.68) de Sun Yang. Já o bronze ficou com o italiano Gabrielle Detti (3:43.49).

No revezamento 4x100 m, as irmãs Cate e Bronte Campbell se destacaram na prova que deu o bicampeonato ao país, com direito a recorde mundial.

Com tempo de 3 minutos 30 segundos e 65 centésimos, as "Aussies" superaram por mais de um segundo a equipe dos Estados Unidos da estrela Katie Ledecky (3:31.89) e o Canadá (3:32.89).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo