Esporte

Phelps mantém hegemonia; Ágatha e Bárbara avançam no vôlei de praia no Rio-2016

08/08/2016 16h34

Rio de Janeiro, 8 Ago 2016 (AFP) - Michael Phelps, recordista em número de medalhas na história olímpica, volta às piscinas nesta segunda-feira nos Jogos Rio-2016, após avançar às semifinais dos 200 metros borboleta, prova que lhe garantiu o ouro em Atenas-2004 e Pequim-2008.

Os brasileiros Léo De Deus e Kaio Marcio Almeida também se classificaram para as semifinais da prova, que serão disputadas esta noite.

No judô, Rafaela Silva tentará a medalha de ouro esta tarde na categoria até 57 kg.

Outros dois brasileiros, Juan Nogueira e Alex Pombo, não tiveram a mesma sorte. Pombo levou um yuko e foi desclassificado na luta contra o chinês La Saiyyinjirgala, enquanto Nogueira foi eliminado após perder para o campeão mundial dos pesos pesados, o russo Evgeny Tishchenko.

Ainda nos esportes individuais, a esgrimista brasileira Marta Baeza sofreu uma lesão no joelho e precisou abandonar a disputa na categoria sabre quando perdia de 4 a 2 para a polonesa Bogna Jozwiak.

Na ginástica, os meninos do Brasil, que já fizeram história ao se classificar para as finais por equipes, terão agora a oportunidade de buscar a medalha, algo impensável há alguns anos, quando o país sequer tinha equipe masculina.

Esta segunda-feira também foi marcada pela estreia nos Jogos das competições de vela, sempre cercada de grande esperança de medalha para o Brasil.

O multicampeão e medalhista Robert Scheidt (classe Laser), o experiente Ricardo Winicki, o 'Bimba' (RSX) e Fernando Horn (Laser radial) disputaram as primeiras regatas de suas respectivas classes nas tão faladas águas da Baía de Guanabara.

Nos esportes coletivos, a dupla Ágatha e Bárbara brilharam no vôlei de praia sobre as argentinas Ana Gallay e Georgina Klug (parciais de 21-11 e 21-17), aproximando-se da classificação para as oitavas.

As meninas do handebol e do vôlei, que iniciaram a competição com boas vitórias, voltam à quadra na fase de grupos do torneio de seus esportes para enfrentar Romênia e Argentina, respectivamente.

Phelps, a lendaMas o desempenho de Phelps não foi a única atração deste terceiro dia de natação, onde já foram batidos seis recordes mundiais desde que o torneio começo, no sábado.

A rivalidade entre o 'bad boy' chinês Sun Yang e o australiano Mack Horton continua dentro e fora d'água.

Alguns veículos chineses classificaram de "arrogante cínico" e "imoral" o australiano nesta segunda-feira, depois que ele chamou Sun Yang de "dopado".

Horton faturou no sábado o ouro dos 400 m livre à frente de Sun, vencedor da prova há quatro anos na capital britânica.

"Não tenho tempo para dopados", disse Horton após ter explicado que não retribuiu a um cumprimento do chinês durante um treinamento.

Também causou frisson a classificação da russa Yulia Efimova à final desta segunda-feira dos 100 m peito, que reacendeu o debate sobre o doping na Rússia.

A detentora do título, a lituana Ruta Meilutyte, se referiu abertamente a essa questão. "Nunca é agradável" ter que competir com uma nadadora que testou positivo duas vezes.

"Os nadadores de todo o mundo treinam duro todos os dias para conseguir resultados e representar nossos países. Treinamos com limpeza e quando algo como isto acontece, não é agradável, é uma falta de respeito. Estes não são os valores do esporte", destacou.

Phelps 19, Djokovic 0Voltando a Phelps. Se o 'tubarão de Baltimore' continuou aumentando sua coleção com a décima nona medalha de ouro - 23 no total -, o sérvio Novak Djokovic não conseguiu exorcizar seus demônios olímpicos.

E 'Djoko', o senhor do tênis masculino há dois anos - está há 108 semanas à frente do ranking da ATP -, continua sem poder se consagrar em Olimpíadas, após ter conquistado apenas o bronze em Pequim-2008.

No domingo, ele sofreu uma das maiores derrotas em sua carreira, ao ser eliminado na primeira rodada do Rio-2016 pelo argentino Juan Martín Del Potro.

Potro venceu por 7-6 (7/4) e 7-6 (7/2) e voltou a frustrar o sérvio, como fez quatro anos atrás, quando o derrotou em Londres-2012 na disputa pelo bronze.

Rivalidade futebolística fora de campoE a tradicional e às vezes violenta rivalidade futebolística entre Brasil e Argentina salpicou os Jogos Olímpicos nesta segunda-feira.

A partida entre Del Potro e o português João Sousa, pela segunda rodada de simples masculina, foi interrompida por alguns minutos por briga no alambrado entre torcedores brasileiros e argentinos, constatou um jornalista da AFP.

Cada vez que um torcedor argentino incentivava o compatriota, os brasileiros respondiam com vaias e assobios.

Mas as coisas ficaram mais intensas no começo do terceiro game do primeiro set, quando um grupo de argentinos enfrentou a tapas alguns brasileiros que recriminavam sua torcida para Del Potro.

O incidente acabou com a intervenção da Força Nacional de Segurança, que acabou levando os argentinos, despedidos por toda as arquibancadas aos gritos de "expulsão, expulsão".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo