Topo

Esporte

Rafaela Silva chega às semis e fica a uma vitória da medalha

08/08/2016 14h12

Rio de Janeiro, 8 Ago 2016 (AFP) - Campeã mundial no Rio em 2013, Rafaela Silva ficou mais perto de outra consagração em casa, precisando de apenas uma vitória para garantir a primeira medalha do Brasil nos Jogos, depois de avançar de forma convincente às semifinais.

No caminho do ouro, a brasileira terá pela frente a atual vice-campeã Corina Caprioriu, da Romênia.

Nas três lutas que disputou na manhã nesta segunda-feira, na categoria até 57 kg, a carioca de 24 anos empolgou a torcida, vencendo a primeira por ippon e as outras duas com wazari.

Cada vez que entrava no tatame, a mesma cena se repetia: o público cantava "olê, olê, olê, olá, Rafa, Rafa". Cada ataque era comemorado como um gol de futebol, mas a brasileira sempre mantinha o semblante fechado, com concentração máxima, quando centenas de pessoas gritavam seu nome.

Na estreia, Rafa enfrentou a mesma adversária contra a qual iniciou sua campanha em Londres-2012, a alemã Myriam Roper.

Apesar desse retrospecto, Roper é uma atleta qualificada, que também subiu ao pódio no Mundial de 2013, quando ficou com o bronze.

Isso não impediu Rafaela de se impor de forma arrasadora. Com apenas 14 segundos de luta, a brasileira conseguiu derrubar a adversária e marcar um wazari, levando a torcida ao delírio.

Com a vantagem, ela poderia muito bem ficar controlando a luta, mas não faz parte da mentalidade de menina nascida e criada na Cidade de Deus, a poucos quilômetros do Parque Olímpico. Trinta segundos depois, Rafa partiu de novo para o ataque e encerrou a luta com um ippon espetacular.

- Talento e agressividade -No segundo combate, Rafa enfrentou outra adversária duríssima, a coreana Kim Jandi, número 2 do ranking mundial, mas mostrou mais uma vez todo seu talento.

O início da luta foi bastante disputado e as duas atletas levaram um shido por falta de combatividade, com pouco mais de um minuto de luta.

Rafaela passou a ser mais agressiva e foi premiada por um wazari, faltando 1 minuto e 12 segundos para o fim do combate.

Os segundos finais foram tensos, com a brasileira levando dois shidos. Se levasse mais um, seria desclassificada. A torcida cantou a contagem regressiva e vibrou intensamente quando o soou o gongo.

Nas quartas, a vítima da vez foi a húngara Hedvig Karakas, medalhista de bronze no Mundial de Roterdã-2009.

Foi contra a húngara que Rafa viveu o pior momento da sua carreira, nos Jogos de Londres-2012, quando foi desclassificada por conta de um golpe ilegal e em seguida foi vítima de injúrias raciais nas redes sociais.

Depois da desilusão, ela passou por um quadro de depressão e cogitou abandonar o judô. O duelo com a húngara foi uma grande oportunidade de vencer seus demônios.

Depois de um início tenso, com um shido para cada judoca, Rafa conseguiu encaixar o golpe decisivo a pouco mais de dois minutos do fim.

Karakas até esboçou uma reação, mas a judoca da casa conseguiu se manter firme, bloqueando todos os ataques e impondo sua força física.

No masculino, Alex Pombo foi eliminado logo na primeira rodada pelo chinês La Saiyinjirgala, ao levar um yuko controverso no último segundo de luta.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte