Esporte

Rafaela Silva chega às semis e fica a uma vitória da medalha

08/08/2016 14h12

Rio de Janeiro, 8 Ago 2016 (AFP) - Campeã mundial no Rio em 2013, Rafaela Silva ficou mais perto de outra consagração em casa, precisando de apenas uma vitória para garantir a primeira medalha do Brasil nos Jogos, depois de avançar de forma convincente às semifinais.

No caminho do ouro, a brasileira terá pela frente a atual vice-campeã Corina Caprioriu, da Romênia.

Nas três lutas que disputou na manhã nesta segunda-feira, na categoria até 57 kg, a carioca de 24 anos empolgou a torcida, vencendo a primeira por ippon e as outras duas com wazari.

Cada vez que entrava no tatame, a mesma cena se repetia: o público cantava "olê, olê, olê, olá, Rafa, Rafa". Cada ataque era comemorado como um gol de futebol, mas a brasileira sempre mantinha o semblante fechado, com concentração máxima, quando centenas de pessoas gritavam seu nome.

Na estreia, Rafa enfrentou a mesma adversária contra a qual iniciou sua campanha em Londres-2012, a alemã Myriam Roper.

Apesar desse retrospecto, Roper é uma atleta qualificada, que também subiu ao pódio no Mundial de 2013, quando ficou com o bronze.

Isso não impediu Rafaela de se impor de forma arrasadora. Com apenas 14 segundos de luta, a brasileira conseguiu derrubar a adversária e marcar um wazari, levando a torcida ao delírio.

Com a vantagem, ela poderia muito bem ficar controlando a luta, mas não faz parte da mentalidade de menina nascida e criada na Cidade de Deus, a poucos quilômetros do Parque Olímpico. Trinta segundos depois, Rafa partiu de novo para o ataque e encerrou a luta com um ippon espetacular.

- Talento e agressividade -No segundo combate, Rafa enfrentou outra adversária duríssima, a coreana Kim Jandi, número 2 do ranking mundial, mas mostrou mais uma vez todo seu talento.

O início da luta foi bastante disputado e as duas atletas levaram um shido por falta de combatividade, com pouco mais de um minuto de luta.

Rafaela passou a ser mais agressiva e foi premiada por um wazari, faltando 1 minuto e 12 segundos para o fim do combate.

Os segundos finais foram tensos, com a brasileira levando dois shidos. Se levasse mais um, seria desclassificada. A torcida cantou a contagem regressiva e vibrou intensamente quando o soou o gongo.

Nas quartas, a vítima da vez foi a húngara Hedvig Karakas, medalhista de bronze no Mundial de Roterdã-2009.

Foi contra a húngara que Rafa viveu o pior momento da sua carreira, nos Jogos de Londres-2012, quando foi desclassificada por conta de um golpe ilegal e em seguida foi vítima de injúrias raciais nas redes sociais.

Depois da desilusão, ela passou por um quadro de depressão e cogitou abandonar o judô. O duelo com a húngara foi uma grande oportunidade de vencer seus demônios.

Depois de um início tenso, com um shido para cada judoca, Rafa conseguiu encaixar o golpe decisivo a pouco mais de dois minutos do fim.

Karakas até esboçou uma reação, mas a judoca da casa conseguiu se manter firme, bloqueando todos os ataques e impondo sua força física.

No masculino, Alex Pombo foi eliminado logo na primeira rodada pelo chinês La Saiyinjirgala, ao levar um yuko controverso no último segundo de luta.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo