Esporte

Presidente da IAAF diz que 'objetivo é reintegrar Rússia'

10/08/2016 21h05

Rio de Janeiro, 11 Ago 2016 (AFP) - "O objetivo é reintegrar a Rússia", afirmou nesta quarta-feira o inglês Sebastian Coe, presidente da Federação Internacional do Atletismo (IAAF), no momento em que o país europeu - acusado de doping de Estado - está suspenso deste esporte.

Na próxima sexta-feira, o atletismo toma conta do Estadio Olímpico do Rio, sem a presença dos russos, que no entanto continuam no centro das atenções.

"Visitei a Vila Olímpica na segunda-feira e posso garantir que as conversas entre os atletas estão concentradas mais na qualidade da comida ou dos quartos do que na presença ou não dos russos", brincou Sebastian Coe.

Mas o britânico sabe que a ausência da recordista mundial do salto com vara, a russa Yelena Isinbayeva, que nunca foi flagrada em um exame antidoping, e a presença ao mesmo tempo do americano Justin Gatlin, duas vezes suspenso por doping, pode contaminar o ambiente na Rio-2016.

Sobretudo se Gatlin conquistar o título de campeão olímpico dos 100 metros no domingo, 12 anos depois de sua vitória na prova em Atenas-2004.

"Vocês sabem o que penso do caso Gatlin. Mas é selecionável, as regras são assim e deve receber a cortesia concedida a qualquer atleta que é selecionável", completou Coe.

O britânico foi muito crítico a respeito da Rússia, mas destacou que a meta é reintegrar o país.

Coe, que avaliou que a Rússia "abandonou de maneira cataclísmica seus atletas", destacou que "não existe uma base estabelecida quanto aos prazos para sua reintegração" à IAAF.

O bicampeão olímpico dos 1.500 metros em Moscou-1980 e Los Angeles-1984 avaliou que "a partir do momento em que tomamos a decisão de suspender a Federação Russa começou o processo. Foram estabelecidos critérios e a prioridade é reintroduzir esta federação, reintegrar a Rússia".

A suspensão da Federação Russa de Atletismo (ARAF) se traduziu pela ausência quase total de atletas russos nos Jogos do Rio, exceto pela "repescada" atleta do salto em distância Daria Klishina, que treina nos Estados Unidos desde o final de 2013.

No total, dos 68 atletas selecionados pela Rússia, 67 foram excluídos dos Jogos do Rio, incluindo a saltadora com vara Yelena Isinbayeva, jamais pega em exame antidoping. A decisão foi ratificada pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) em Lausanne.

A Federação Russa deve convencer o grupo de trabalho criado especialmente pela IAAF sobre sua capacidade de respeitar o código mundial antidoping.

Em 2017, a IAAF organiza o Mundial de Atletismo em Londres e a dúvida repousa sobre a presença dos russos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo