Esporte

Brasil goleia Dinamarca por 4-0 e encara Colômbia nas quartas do Rio-2016

11/08/2016 00h49

Rio de Janeiro, 11 Ago 2016 (AFP) - Com atuação impecável, a seleção brasileira masculina de futebol goleou por 4 a 0 a Dinamarca, nesta quarta-feira em Salvador, espantando as críticas pelos recentes péssimos resultados e, de quebra, se classificando às quartas de final do Jogos Olímpicos Rio-2016 para enfrentar a Colômbia.

O astro e capitão do time, Neymar, não fez gol mas participou ativamente do jogo e comandou em campo o Brasil, que voltou para o vestiário no intervalo com vantagem de dois gols, marcados por Gabigol e Gabriel Jesus, aos 26 e 40 minutos.

No segundo tempo, a seleção manteve o ritmo e repetiu o placar, balançando as redes com Luan, aos 4, e novamente Gabigol, aos 35.

O resultado foi um grande alívio para os jogadores e comissão técnica do Brasil, muito criticados após as duas primeiras partidas dos Jogos do Rio, empates sem gols com África do Sul e Iraque.

Além da recuperar a confiança da torcida, a vitória deu ao Brasil a liderança do Grupo A, com 5 pontos, que leva a um duelo com a Colômbia nas quartas de final, no sábado (13) na Arena Corinthians, em São Paulo, às 22h00 (horário de Brasília).

Apesar da derrota, a Dinamarca terminou em segundo lugar na chave (4 pontos) e terá pela frente a Nigéria em Salvador, também no sábado. Iraque (3 pontos) e África do Sul (2) empataram em 1 a 1 nesta quarta-feira e foram eliminados.

Se passar pelos colombianos, o Brasil pegará o vencedor do jogo entre Honduras e Coreia do Sul. No último duelo das quartas, Alemanha e Portugal fazem clássico europeu.

- Mudança tática e de atitude -Das péssimas apresentações contra África do Sul e Iraque, ficou apenas uma lição para o técnico Rogério Micale: o time precisava ser modificado, porque simplesmente não funcionou.

A troca, porém, não foi das mais empolgantes. Entraram Walace no lugar do suspenso Thiago Maia e Luan na vaga de Felipe Anderson, uma mudança que o técnico vinha fazendo durante os jogos, sem sucesso.

Na frente, o Brasil manteve Gabriel Jesus, Neymar e Gabigol, o tão badalado e criticado trio que chegou ao duelo contra a Dinamarca somando 180 minutos sem balançar as redes nos Jogos do Rio.

As mudanças podem não ter empolgado a torcida, mas a atitude da seleção desde o pontapé inicial foi digna de elogios.

Mais aguerrida, a equipe incomodou muito a retranca dinamarquesa com intensa movimentação e troca de posições entre o trio ofensivo e Luan, espécie de curinga do time, responsável por flutuar pelo campo, confundindo a marcação.

Com essa mentalidade, o Brasil rondou a área da Dinamarca e quase abriu o placar aos 5 minutos, em chute de Gabigol travado pela zaga, e aos 13, quando Neymar cruzou e Rodrigo Caio apareceu na segunda trave para finalizar, mas o goleiro Höjbjerg pegou.

Assim como nos dois jogos anteriores, o gol brasileiro teimava em sair. A diferença, porém, é que contra os dinamarqueses a seleção não tentou resolver no individualismo. Mantendo a calma e a disciplina o Brasil desencantou na Olimpíada.

Aos 26 minutos, Douglas Santos subiu pela esquerda e cruzou rasteiro. A bola cruzou toda a área da Dinamarca e Gabigol, na segunda trave, mandou no contrapé de Höjbjerg, que nada pôde fazer. Após exatos 206 minutos de tempo regulamentar nas Olimpíadas, o Brasil marcou seu gol.

Na comemoração, os jogadores extravasaram toda a pressão das críticas recebidas na última semana e foram comemorar nos braços da torcida baiana.

O gol tirou um enorme peso dos ombros dos jogadores, que continuaram jogando com leveza e não demoraram para ampliar, desta vez com Gabriel Jesus, talvez o jogador mais criticado nos recentes tropeços do Brasil.

Aos 40, o novo atacante do Manchester City mandou para as redes de primeira um cruzamento preciso de Luan, destaque da seleção no primeiro tempo pela grande movimentação e participação no jogo.

- Neymar 'garçom' -Nem o intervalo foi capaz de esfriar a seleção. Na volta do vestiário, os comandados de Micale mantiveram o ritmo e o terceiro gol veio logo aos 4 minutos.

No lance, Neymar, que vinha se destacando na partida como 'garçom', distribuindo passes e deixando os companheiros na cara do gol, aprontou mais uma, lançando Douglas Santos. O lateral do Atlético Mineiro dominou e só rolou para Luan marcar com tranquilidade.

O craque do Barcelona, mais recuado e livre para organizar o jogo, continuou fazendo a festa e, aos 35, foi a vez de lançar Gabriel Jesus pela ponta esquerda.

O palmeirense tentou cruzar, mas a zaga cortou e a bola sobrou para Gabigol encher o pé, fechando com chave de ouro a primeira atuação convincente do Brasil nos Jogos Olímpicos em casa.

Na saída de campo, a torcida reconheceu o esforço da seleção gritando a plenos pulmões: "o campeão voltou!", na esperança de que o canto seja um presságio para uma inédita medalha de ouro.

am

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo