Esporte

Mayra Aguiar supera decepção da semi e repete bronze de Londres

11/08/2016 21h23

Rio de Janeiro, 11 Ago 2016 (AFP) - A judoca brasileira Mayra Aguiar superou a decepção da derrota na semifinal e foi buscar a medalha de bronze da categoria até 78 kg dos Jogos do Rio, com vitória sobre a cubana Yalennis Castillo, repetindo o desempenho de Londres-2012.

Esta foi a terceira medalha do Brasil na Cidade Maravilhosa, depois do ouro de Rafaela Silva, também no judô, e da prata de Felipe Wu, no tiro esportivo.

Na semi, a gaúcha de 25 anos tinha sido derrotada pela francesa Audrey Tcheuméo, que tinha derrotado há dois anos, na final do Mundial de Chelyabinsk-2014.

Tcheuméo acabou ficando com a prata, derrotada na final pela rival eterna de Mayra, a americana Kayla Harrisson, que se sagrou bicampeã olímpica e anunciou depois da cerimônia do pódio que resolveu pendurar o quimono.

"Este é meu legado, eu me aposento com essa duas medalhas de ouro e sou uma das maiores da história", se orgulhou a americana. Existem rumores de que ela pretende iniciar uma nova carreira no MMA, para seguir os passos de Ronda Rousey, que foi medalhista de bronze em Pequim-2008 e virou uma superestrela do UFC.

"Sobre MMA, nunca diga nunca, mas por enquanto, vou focar apenas em ser bicampeã olímpica. Vou decidir se quero socar pessoas na cara mais tarde. Tenho 26 anos, mas me sinto como se tivesse 56. Isso é o que judô faz com seu corpo", brincou.

A outra medalha de bronze ficou com eslovena Anamari Velensek.

Em Londres, Kayla derrotou a brasileira na semifinal, antes de conquistar a primeira medalha de ouro do país na modalidade.

Na ocasião, Mayra também soube se recuperar da derrota na semi para buscar o pódio, uma experiência que serviu de aprendizado nesta quinta-feira.

"Em Londres, aconteceu isso também. Perdi uma semifinal e tive que voltar e conquistar a medalha. Vi que valeu muito a pena. Aquilo transformou minha vida. Sou uma medalhista olímpica, hoje com duas medalhas", vibrou a gaúcha, que era só sorrisos quando subiu ao pódio.

Além dos dois bronzes olímpicos, a gaúcha também soma quatro medalhas em Mundiais, um ouro, duas pratas e um bronze.

- 'Esse bronze é teu ouro' -Apesar de ser considerada forte candidata ao ouro, a brasileira saboreou a conquista.

"Essa medalha conquistada em casa vai ficar marcada na minha vida, é uma coisa que vou guardar para sempre. Medalha olímpica não tem cor, é medalha olímpica. Não dava para sair daqui sem ela", ressaltou.

"A primeira coisa que a gente aprende no judô, é cair, para depois se levantar. Caí, caí feio, me abalou muito, mas eu tinha que voltar e conquistar essa medalha", enfatizou.

Mayra começou sua campanha em grande estilo, ao despachar a australiana Miranda Giambelli em menos de quarenta segundos, com wazari seguido de imobilização.

Nas quartas de final, o duelo com a alemã Luise Malzahn foi mais equilibrado do que se esperava. A torcida gritava "Uh, vai morrer" para intimidar a alemã, que só perdeu por levar uma punição.

A semifinal contra Tcheuméo foi truncada, com as duas judocas tentando se impor mais com a força física do que com a técnica.

Mayra foi punida com um shido e tentou atacar mais para reverter o quadro. O juiz puniu a francesa faltando 50 segundo para o fim, deixando a luta empata, para a alegria da torcida, que começou a gritar ainda mais bater com os pés na arquibancada, fazendo um barulho ensurdecedor.

A empolgação não durou muito. Vinte segundos depois, a brasileira levou mais um shido. O público vaiou, mas de nada adiantou.

Mayra tentou de tudo, mas Tcheuméo aguentava firme na pegada para se manter fora de alcance.

Visivelmente abatida, a gaúcha, considerada uma das principais chances de pódio do judô brasileiro, foi amparada pela técnica Rosicleia Campos.

Além de Rosi, que a socorreu foi Antônio Carlos Pereira, o Kiko, seu treinador desde os 11 anos. "Ele falou: 'Mayra, essa é tua, vamos com tudo. Esse bronze é o teu ouro. Não saia daqui sem ele", relatou.

"O tempo entre as duas lutas é muito curto, mas eu consegui trocar esse sentimento ruim por algo positivo, muito forte, de garra, de vontade", lembrou.

- Tcheco vence disputa masculina -De fato, menos de meia hora depois, Mayra teve que retornar ao tatame, e voltou 'pilhada'.

Bastaram apenas dez segundos para derrubar a cubana, antes de emendar com a imobilização.

A luta já parecia ganha, mas Castillo, que foi medalhista de prata em Pequim-2008, conseguiu se desvencilhar e o juiz marcou apenas yuko pela queda.

A cubana precisava atacar para tentar a virada, mas foi o contrário que aconteceu. Incentivada por um público em polvorosa Mayra fez de tudo para acabar a luta mais cedo. Na defensiva, a cubana levou dois shidos por falta de combatividade.

A torcida cantou "vamos ganhar Mayra", até a luta chegar aos segundos finais: estava na hora da contagem regressiva, "5,4,3..", até o gongo soar, decretando a segunda medalha do judô brasileiro nesses Jogos.

No masculino, Rafael Buzacarini venceu com autoridade sua primeira luta, contra o uruguaio Pablo Aprahamian, mas foi eliminado nas oitavas de final, apesar de lutar de igual para igual com o japonês Ryonosuke Haga, atual campeão mundial, que acabou ficando com o bronze.

O outro bronze da categoria até 100 kg foi para o francês Cyrille Maret. Na final, Lukas Krpalek derrotou por ippon o azerbaijano Elmar Gasimov e faturou o ouro, garantindo a primeira medalha olímpica da República Tcheca no judô olímpico.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo