Esporte

Neymar e cia evitam vexame e avançam às quartas de final

11/08/2016 00h29

Rio de Janeiro, 11 Ago 2016 (AFP) - O quinto dia de competições nos Jogos do Rio foi marcado pela vitória da seleção brasileira de futebol sobre a Dinamarca, por 4 a 0, o que levou a equipe liderada por Neymar às quartas de final do torneio, evitando o vexame da desclassificação.

Com atuação impecável, a seleção marcou com Gabigol e Gabriel Jesus, aos 26 e 40 minutos da primeira etapa, e com Luan e novamente Gabigol, aos 4 e 35 do segundo tempo.

O astro e capitão do time, Neymar, não fez gol mas participou ativamente do jogo e comandou em campo um Brasil com raça e talento na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Nas quartas de final, no sábado, o Brasil enfrentará a Colômbia, no Itaquerão, em São Paulo.

O dia reservou uma grata surpresa: o atleta de tiro esportivo do Kuwait Fehaid al-Deehani, que compete no Rio sem representar seu país, suspenso pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), conquistou na prova de fossa dupla a primeira medalha de ouro de um atleta independente em uma Olimpíada.

Atletas independentes já haviam faturado uma prata e dois bronzes, todos no tiro esportivo, na edição de Barcelona-1992.

A medalha de prata ficou com o italiano Marco Innocente, enquanto o britânico Steven Scott foi bronze.

Na ginástica artística, o japonês Kohei Uchimura confirmou seu reinado no concurso individual geral obtendo o bicampeonato olímpico, ao final de um duelo emocionante com o ucraniano Oleg Verniaiev.

O britânico Max Whitlock completou o pódio.

Aos 27 anos, Uchimura soma sete medalhas olímpicas no total, três de ouro e quatro de prata. Ele se tornou o primeiro ginasta a defender o título no individual geral desde seu compatriota Sawao Kato (1968 e 1972)

No Rio, ele já tinha cumprido sua principal meta ao conquistar o único título que lhe faltava, o ouro olímpico por equipes.

No judô, mais ouro para o Japão com Mashu Baker, na categoria até 90 kg, e Haruka Tachimoto, até 70 kg.

Baker, de apenas 21 anos, de pai americano e mãe japonesa, derrotou na final o georgiano Varlam Liparteliani. O sul coreano Gwak Dong-han e o chinês Cheng Xunzhao ficaram com as medalhas de bronze.

Haruka Tachimoto venceu na final a colombiana Yuri Alvear. As medalhas de bronze foram para a britânica Sally Conway e para a alemã Laura Vargas Koch.

O Cazaquistão também viveu um dia dourado nesta quarta-feira, com as conquistas na natação e levantamento de peso.

Contrariando todas as expectativas, o jovem cazaque Dmitriy Balandin obteve o ouro nos 200 m peito, deixando para trás grande nomes e conquistando a primeira medalha olímpica do seu país na natação.

O nadador de 21 anos fechou a prova em 2:07.46, superando o americano Josh Prenot, dono da melhor marca do ano, que ficou com a prata, com o tempo de 2:07.53, e o russo Anton Chupkov, bronze, com 2:08.12.

No levantamento de peso, Nijat Rahimov conquistou o título olímpico na categoria até 77 kg após uma acirrada disputa com o chinês Lyu Xiaojun.

Os dois levantaram o peso total de 379 kg, mas o cazaque venceu por ser mais leve.

O bronze foi conquistado pelo egípcio Mohamed Mahmoud.

Voltando à natação, o australiano Kyle Chambers, de apenas 18 anos, venceu a prova dos 100 metros nado livre, com o tempo de 47.58, à frente do belga Pieter Timmers, prata, com 47.80.

O americano Nathan Adrian, medalhista de ouro em Londres-2012, teve que se contentar com o bronze (47.85).

A equipe feminina dos Estados Unidos revalidou seu título do revezamento 4x200 m nado livre e a jovem prodígio Katie Ledecky garantiu sua terceira medalha de ouro nos Jogos do Rio, dando o troco na Austrália, que no sábado venceu os 4x100 m.

As americanas, com Allison Schmitt, Leah Smith, Maya Dirado e Ledecky, venceram a prova em 7:43.03, quase dois segundos à frente da Austrália (7:44.87). O Canadá completou o pódio (7:45.39).

Violência no RioUma equipe da Força Nacional foi atacada a tiros por traficantes no Complexo de Favelas da Maré, e dois de seus homens ficaram feridos, em mais um incidente violento durante os Jogos.

"Três policiais da Força Nacional entraram de carro por engano na favela Vila do João. Seu veículo foi atingido por tiros de traficantes. Um deles foi atingido na cabeça. Ele sofreu uma cirurgia e foi colocado em observação. Um outro ficou ligeiramente ferido, o terceiro está ileso", informou o ministério da Justiça.

O capitão Rodrigues Ferreira foi levado para o Hospital Municipal Evandro Freire, na Ilha do Governador, e já recebeu alta, mas o soldado Hélio Andrade foi operado no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, e seu estado é grave.

O episódio aconteceu em uma das comunidades mais pobres que formam o Complexo da Maré, uma das maiores e mais perigosas favelas do Rio, a caminho do aeroporto internacional do Galeão.

Os policiais feridos fazem parte do efetivo de 5.000 homens que integram a Força Nacional, enviados ao Rio para complementar a segurança na cidade durante os Jogos Olímpicos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo