Esporte

Ginga carioca

13/08/2016 22h17

Rio de Janeiro, 14 Ago 2016 (AFP) - Confira abaixo as principais curiosidades registradas neste sábado, 13 de agosto nos Jogos Olímpicos Rio 2016:

. Natação ou atletismo...O início das provas de atletismo sem dúvida perturbou o motorista do ônibus olímpico que conduziria as atletas na sexta-feira para disputar as semifinais dos 50 m livre na natação. Ao invés de seguir na direção da piscina, ele se encaminhou para o Estádio Olímpico, o Engenhão, onde começaram as provas do principal modalidade esportiva das Olimpíadas. Resultado: o locutor da piscina foi obrigado a anunciar a alteração do programa, inserindo duas cerimônias protocolares de entregas de medalha no lugar. O incidente não impediu a britânica Fran Halsall de marcar o melhor tempo (24,41 segundos em sua semifinal).

. Um veterano de grande coraçãoO veterano Anthony Ervin, consagrado nos 50 m livre nos Jogos do Rio, 16 anos após seu primeiro título em Sydney, nas Olimpíadas de 2000, não foi apenas um exemplo de perseverança, de paciência e de ecletismo. O mais velho campeão olímpico da natação, de 35 anos, também é um homem de grande coração. Ele vendeu na internet sua medalha de ouro em Sydney para ajudar as vítimas do tsunami no Oceano Índico em 2004. "Esta eu vou guardar por enquanto", afirmou, sorrindo. Ele foi guitarrista de uma banda chamada 'Weapons of Mass Destruction', ganhou a vida em um salão de tatuagens, sobreviveu a uma tentativa de suicídio, tentou o budismo e lutou para deixar o álcool e as drogas. "É claro que vou continuar tentando ser selecionado na equipe americana", assegurou. "Eu não acredito que minha idade me impeça de continuar a nadar, nem o medo da derrota".

. Torcida brazuca para o handebol francêsO francês Valentin Porte aprecia o clima na quadra de handebol dos Jogos do Rio. Apesar da derrota, no sábado, para a Croácia (26-25), ele achou a torcida calorosa, o que para ele não parece ser o caso de todas as equipes francesas. "Há poucos franceses nas arquibancadas e os brasileiros acompanham o jogo e começam a torcer por nós", declarou logo após a partida. "É bom porque, em comparação com os outros esportes, nós temos a chance de desfrutar de um clima bom".

. O fator SimoneA comparação dos desempenhos da lenda da ginástica Nadia Comaneci e a estrela emergente da modalidade Simone Biles esbarra em uma dificuldade objetiva: a mudança no sistema de notas, em 2006, que revisou a nota máxima. "Não há mais o '10 perfeito', há duas notas: dificuldade e execução", explicou à AFP Nellie Kim, presidente do comitê técnico feminino na Federação Internacional de Ginástica. "Um ginasta pode conseguir um 10 perfeito em execução, mas nós adicionamos uma nota de dificuldade. Nós elevamos o teto. Quando dois ou três ginastas têm a mesma execução perfeita, como diferenciá-los? Só a dificuldade pode estabelecer uma classificação", acrescentou. Desde 2006, há, portanto, a margem que serve para adicionar eventuais elementos de dificuldade a uma performance de ginástica, enquanto antes vários ginastas alcançaram o teto do 10, depois do primeiro "10 perfeito" olímpico alcançado por Comaneci nos Jogos Olímpicos de Montreal-1976.

. Deixem-me sóNão estranhem se Simone Biles se isolar nos meses que se seguirem à sua façanha em terras cariocas, recomendou à AFP Nellie Kim, cinco vezes campeã olímpica de ginástica artística e rival histórica de Nadia Comaneci. "Já é uma estrela nos Estados Unidos, ela faz anúncios publicitários, está em todas as revistas", afirmou à AFP. "Toda estrela passa por um momento em que a gente se cansa da mídia, das fotos, dos autógrafos e que o que se quer é simplesmente estar sozinha, fechar a porta. Ela vai passar por isso, mas vai passar. E quando estiver assim, ela pode ser desagradável para algumas pessoas, não por sua personalidade, mas simplesmente porque ela estará esgotada".

. Fair-play por água abaixoO COI está novamente confrontado com a língua afiada de alguns esportistas nos Jogos do Rio depois que a goleira americana Hope Solo dirigiu-se às suecas como "bando de frouxas". "Ser frouxa e ganhar, está bom pra mim", replicou Pia Sundhage, técnica da Suécia, que eliminou a seleção feminina dos Estados Unidos. "As pessoas são livres e nós não vamos impedi-las de se expressar, evidentemente dentro dos limites e com respeito aos valores olímpicos", explicou Mark Adams, porta-voz do COI. Ele já tinha dado as mesmas declarações depois que o australiano Mack Horton, campeão olímpico dos 400 m nado livre, tratou o chinês Sun Yang, consagrado em 2012 em Londres, de "dopado". Nos Estados Unidos, as reações foram ainda mais ferozes. Comentário no Washington Post: "Hope Solo, tolerada e desculpada sem a vitória, implodiu na derrota olímpica!"

. Cingapura vai à loucuraA cidade-Estado festejou com entusiasmo e orgulho a primeira medalha de ouro olímpica do país após a vitória de Joseph Schooling nos 100 m borboleta, derrotando o "rei" Michael Phelps. "É simplesmente um feito incrível que, enfrentando os melhores do mundo, permanecer concentrado para, finalmente, vencer", escreveu o primeiro-ministro Lee Hsien Loong. Os cingapurianos correram para comprar bilhetes de loteria com o número "5039", em alusão aos 50 segundos e 39 da vitória de Schooling no Rio. O nadador renderá um prêmio de milhão de dólares cingapurianos (665.761 euros).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo