Esporte

Bolt permanece no topo com tri inédito nos 100 m

14/08/2016 23h24

Rio de Janeiro, 15 Ago 2016 (AFP) - Depois de passar por Pequim, Londres e agora o Rio de Janeiro, Usain Bolt se tornou para sempre uma lenda do esporte, ao se consagrar neste domingo o primeiro velocista da história a vencer três vezes seguidas a prova olímpica dos 100 metros rasos.

O jamaicano completou a final da prova nos Jogos Olímpicos Rio-2016 em 9 segundos e 81 centésimos, sua melhor marca do ano, superando seu grande rival, Justin Gatlin (9.89), que ficou com a medalha de prata.

O jovem canadense Andre De Grasse levou o bronze (9.91), deixando fora do pódio o também jamaicano Yohan Blake, que havia faturado a prata nos Jogos de Londres-2012.

Bastou o 'Raio' aparecer na pista do estádio Olímpico Nilton Santos para causar um estrondo nas arquibancadas.

O estádio, por incrível que pareça, não estava totalmente lotado, mas os gritos de "Bolt, Bolt Bolt" provocavam um barulho ensurdecedor.

Na hora da largada, fez-se silêncio no estádio, com muita tensão no ar. O astro teve uma temporada complicada, com uma lesão muscular às vésperas dos Jogos e muitos tinham dúvidas se ele estava realmente a 100%.

Como de costume, o jamaicano saiu atrás dos rivais na largada. Gatlin saiu muito bem do bloco, abrindo uma vantagem que parecia inalcançável, mas impossível não combina com Bolt.

O multicampeão conseguiu alcançá-lo com sua passada impressionante, antes de bater no peito na altura da linha de chegada.

- Gatlin vaiado -Mais do que nunca, o 'Raio' tem tudo para realizar o sonho do 'triplo-tricampeonato'.

O jamaicano de 29 anos já defendeu o título dos 100 m, onde tem a maior concorrência. Resta fazer o mesmo nos 200 m, na próxima sexta-feira, e no revezamento 4x100 m no sábado.

Seu primeiro título no revezamento, porém, foi manchado pelo doping do companheiro de equipe Nesta Carter, em Pequim-2008, o que eventualmente pode obrigar o astro a devolver sua medalha.

No Mundial de Pequim-2015, Bolt também havia chegado cercado de incertezas, diante de um Gatlin que era visto como o vilão da história, por já ter sido flagrado duas vezes por doping. Isso não o impediu de vencer as três provas que disputou, somando 11 títulos mundiais.

Mais uma vez, o americano foi vaiado copiosamente cada vez que aparecia no telão, enquanto o jamaicano era aclamado a cada movimento.

O grito de comemoração da torcida com a vitória de Bolt foi de dar inveja a qualquer craque de futebol que faz um gol do título ao seu time.

No país do futebol, o Rio tem um novo Rei. Ele mesmo disse que só poderia ser comparado a lendas como Pelé ou Muhammad Ali se defendesse seus três títulos na Cidade Maravilhosa. A resposta virá na próxima semana.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo