Esporte

Brasil apela à união para evitar desastre no vôlei

14/08/2016 17h51

Rio de Janeiro, 14 Ago 2016 (AFP) - Proibido de entrar em pânico, o Brasil está por um fio no vôlei masculino, a torcida sofre e a equipe pede união para deixar para trás os fantasmas de uma eliminação que geraria uma comoção nos Jogos Rio-2016.

Após a seleção brasileira perder pela segunda vez seguida no sábado, com uma derrota para a Itália por três sets a um, os torcedores deixaram o Maracanãzinho em silêncio e com a preocupação estampada no rosto.

O Brasil precisa vencer a França de qualquer jeito para avançar para a fase eliminatória.

"Agora só pensamos em ficar unidos e assim encontrar soluções para os problemas que temos", comentou o técnico Bernardinho após a partida, mostrando serenidade.

A solução é se preparar e "manter a calma", advertiu.

Uma receita compartilhada por Bruninho, filho do treinador e armador titular da canarinha.

"Temos uma oportunidade, não há tempo para falar. Foi frustrante (perder para a Itália), mas já passou", comentou o jogador, em uma tentativa de virar a página e se preparar para a partida de segunda-feira contra a França.

Brasileiros, franceses, americanos e canadenses chegam ao último encontro da fase regular igualados em seis pontos e brigarão pelos três lugares disponíveis nas quartas de final.

O outro lugar foi conquistado por uma Itália, perfeita, com 12 pontos em quatro duelos.

Tensão máxima O Brasil carrega nos ombros o peso de duas finais olímpicas perdidas consecutivamente, em Pequim-2008 e Londres-2012, e mantém o sonho de recuperar o trono que ostentaram em Barcelona-1992 e Atenas-2004.

Os jogadores admitem que sentem essa pressão.

"Há muito nervosismo na equipe, carregamos um peso que não temos que carregar", comentou Bruninho, que pediu aos companheiros de equipe que joguem como sabem na partida decisiva contra a França, focados no jogo e deixando de lado os medos de uma eliminação precoce.

No final desta fase, os Estados Unidos não terão dificuldades para enfrentar um México eliminado e sem pontos, e o Canadá vai duelar com uma Itália já classificada para as quarta de final e que até poderia poupar alguns dos seus jogadores para a próxima fase.

O Brasil vai lutar até a morte contra a França, atual campeã europeia.

"Estamos jogando no Brasil, diante do nosso povo, e a pressão dos Jogos Olímpicos é grande, mas temos que estar relaxados e transformar essa pressão em entusiasmo", afirmou Bernardinho.

Os brasileiros têm as armas necessárias para brigar.

Wallace foi o jogador mais constante com alta pontuação, tendo terminado o jogo contra a Itália com 17 pontos, enquanto Lucarelli somou 15 pontos.

Mas isso não é suficiente. Lucas deverá ajustar seu saque, e o bloqueio da seleção deverá saltar para outro nível para neutralizar o ataque da equipe francesa, que perdeu para os Estados Unidos na sua quarta disputa.

Para Bernardinho e seus jogadores, Antoine Rouzier e Earvin Ngapeth serão os homens difíceis de controlar.

Finalizada a primeira fase, os quatro classificados de cada grupo irão para um sorteio que definirá quais equipes vão se cruzar nas quartas de final.

No Grupo B, os classificados são Argentina, Polônia, Rússia e Irã.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo