Esporte

Fraser-Pryce destronada, Farah mantém a majestade

14/08/2016 01h01

Rio de Janeiro, 14 Ago 2016 (AFP) - A primeira grande noite do atletismo nos Jogos do Rio coroou uma nova rainha dos 100 m, a jamaicana Elaine Thompson, que frustrou o sonho do tricampeonato da compatriota Shelly-Ann Fraser-Pryce, neste sábado, no estádio Olímpico Nilton Santos.

O britânico Mo Farah levou um tombo assustador, mas que também poderia ter lhe custado o título, mas o britânico conseguiu se levantar para vencer de forma espetacular e garantir o bicampeonato nos 10.000 m.

Do lado brasileiro, a única satisfação do dia foi a classificação de Thiago Braz à final do salto com vara, marcada para terça-feira. O jovem paulista de 22 anos avançou com autoridade, saltando 5,70 m, mas também levou um grande susto ao errar duas tentativas a 5,45 m.

"Foi um pouco difícil no início, mas depois consegui pensar no que eu tinha que fazer, não no que poderia acontecer se eu errasse naquele momento. Mantive a tranquilidade e pude fazer o que faço sempre nos treinos", relatou Thiago.

Já Rosângela Santos disputou a semifinal dos 100 m rasos, mas ficou apenas com o 18º tempo e não conseguiu se classificar para a final.

- Nova geração -Quando chegou o momento dessa final, a mais aguardada da noite, muitos esperavam o tricampeonato de Fraser-Pryce, a 'Bolt de saias', que como seu ilustre compatriota abocanhou o ouro nessa prova nos Jogos de Pequim-2008 e Londres-2012.

Mas era de se imaginar que o resultado seria diferente, com os problemas de lesão que a jamaicana arrasta há um ano e o surgimento de uma nova estrela, Elaine Thompson.

A jovem velocista de 24 anos venceu a prova em 10.73, oito centésimos de vantagem sobre a americana Tori Bowie, que ficou com a prata (10.83). Fraser-Pryce chegou logo atrás, com 10.86.

Vice-campeã mundial da prova, a holandesa Dafne Schippers ficou fora do pódio, com o quinto tempo (10.90).

Com passadas largas e corpo esguio, Thompson tem um estilo de corrida elegante, mais parecido com Bolt do que a explosão pura de Fraser-Pryce.

Na final, a nova campeã não se abalou com a largada impressionante de Bowie (tempo de reação de 112 milésimos) e assumiu a ponta nos 60 m, para garantir a vitória com grande vantagem.

A nova rainha da velocidade também é uma atleta muito forte nos 200 m, como Bolt, e tentará a dobradinha no Rio.

Fraser-Pryce não é a única a ter perdido sua coroa. Poucos minutos depois, foi a vez da britânica Jessica Ennis-Hill, medalhista de ouro em casa nos Jogos de Londres-2012, ser derrotada pela belga Nafissatou Thiam, nova campeã olímpica do heptatlo.

Thiam, de apenas 21 anos, venceu a competição com 6810 pontos, contra 6775 da medalhista de ouro de Londres-2012, que ficou com a prata, depois de uma duelo acirrado em cada uma das sete provas. A canadense Brianne Theisen-Eaton completou o pódio, com 6.653 pontos.

- Rei Mo cai e levanta -Mo Farah, por sua vez, não perdeu o encontro marcado com a história. O atleta de 33 anos venceu os 10.000 m em 27:05.17, superando na reta final o queniano Paul Tanui, que ficou com a prata (27:05.64). O etíope Tamirat Tola (27:06.26) completou o pódio.

Sua próxima meta é repetir o feito de Londres-2012, quando completou a dobradinha 5.000-10.000. A final dos 5.000 m está marcada para o dia 20 de agosto, penúltimo dia de competição.

Uma das imagens mais marcantes da noite foi o tombo que levou pouco antes da metade da prova, quando ficou encaixotado por outros corredores.

A imagem foi assustadora, mas o britânico se levantou logo e, depois de ficar um tempo no meio do pelotão, voltou a ficar entre os líderes e acabou superando Tanui na reta final.

"Eu pensei: 'Oh meu Deus, aconteceu'. Queria logo voltar na cola dos caras e continuar forte na frente. Nunca é fácil e pensei no trabalho duro que fiz no treino, não poderia ter desistido, pensei na minha família", comentou um emocionado Farah, que desabou depois de cruzar a linha de chegada e fez questão de beijar a pista do Engenhão.

- Bolt estreia com passeio -O Grã-Bretanha ganhou outra medalha neste sábado, mas não da cor esperada. O ruivo Greg Rutherford foi outro rei de Londres a perder sua coroa, ao ficar com bronze no salto em distância, prova vencida pelo americano Jeff Anderson.

Henderson, de 27 anos, venceu com a marca de 8,38 m logo na primeira tentativa, que acabou repetindo na última.

O sul-africano Luvo Manyonga por pouco não conseguiu superá-lo, mas ficou um centímetro atrás, com saltos de 8,37 m que repetiu na primeira e na penúltima tentativa.

Rutheford garantiu o bronze, com marca de 8.29. O ruivo de 29 anos causou polêmica recentemente por conta de relatos de que teria congelado o esperma por medo do vírus zika.

Mas a maior polêmica deste sábado ficou por conta do americano Jarrion Lawson, quarto colocado da prova, que pensou ter alcançado uma marca que renderia uma medalha na última tentativa, mas valeu apenas 7,78 m porque os juízes consideraram que ele tocou na areia com o braço antes de cair. Revoltado, o atleta reclamou muito e quase partiu para cima dos árbitros.

A sessão da manhã foi marcada pela estreia de Bolt, que iniciou sua campanha rumo ao 'triplo tricampeonato' (100, 200 e revezamento 4x100 m) no Rio com um passeio nas séries.

lg

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo