Esporte

Brasil perde para Suécia nos pênaltis e disputará o bronze no futebol feminino

16/08/2016 17h49

Rio de Janeiro, 16 Ago 2016 (AFP) - Em jogo de ataque contra defesa, a seleção feminina de futebol do Brasil não conseguiu furar a retranca da Suécia com bola rolando e empatou em 0 a 0 no tempo regulamentar e prorrogação, antes de ser derrotada nos pênaltis (4-3), nesta terça-feira pelas quartas de final dos Jogos Rio-2016.

Apesar do caloroso apoio de quase 70 mil torcedores que lotaram o Maracanã, as brasileiras encontraram pela frente uma ótima defesa sueca, que nas quartas de final foi capaz de segurar e eliminar a poderosa seleção dos Estados Unidos, e não conseguiram passar pela inspirada goleira Hedvig Lindahl.

Com a derrota, as meninas do Brasil, medalhistas de prata em Atenas-2004 e Pequim-2008, veem o sonho da conquista do inédito ouro olímpico acabar, mas voltarão a campo nesta sexta-feira para disputar o bronze.

"A gente devia ter dado tudo de nós nessa partida, assim como quando a gente ganhou contra a Austrália (nos pênaltis nas quartas de final). Mas nada vai tirar o brilho desse trabalho, estamos na briga pela medalha de bronze. A gente precisa tentar juntar os pedaços de tudo isso e entrar com tudo na briga pelo bronze", explicou a craque Marta, muito abatida, após a derrota.

Já as suecas terão pela frente na grande final Alemanha ou Canadá, que se enfrentam ainda nesta terça-feira no Mineirão, pela outra semifinal.

- Lindahl segura pressão -As duas equipes já haviam se enfrentado na fase de grupos e o resultado foi uma goleada brasileira por 5 a 1 com show de Marta, que levou as zagueiras suecas à loucura com seus dribles, passes e dois gols.

Naquele jogo, porém, o Brasil foi capaz de abrir o placar no início, aos 20 minutos com Bia, obrigando a Suécia a sair da defesa em busca do resultado, o que facilitou a vida das atacantes brasileiras.

Nesta terça-feira, o gol não saiu e o paredão escandinavo armado pela técnica bicampeã olímpica Pia Sundhage ficou de pé por 120 minutos.

Lesionada na coxa na primeira fase, Cristiane, maior artilheira da história das Olimpíadas, foi novamente poupada pelo técnico Vadão, que preferiu deixar a atacante no banco em caso de emergência.

O primeiro tempo foi de amplo domínio brasileiro. Com posse bola na casa dos 70%, o Brasil rondou a área da Suécia insistentemente, em busca de uma brecha ou de uma falha da ótima defesa escandinava.

O primeiro lance de perigo do Brasil aconteceu aos 22 minutos de jogo, quando Debinha cabeceou após cruzamento de Tamires e a goleira Lindahl pegou. Começava aí o duelo Brasil x Lindahl, no qual a sueca sairia vencedora.

Aos 37, outro ataque perigoso terminou em cabeçada de Beatriz, que nem precisou pular. A bola foi parar nas mãos de Lindahl.

Muito fechada, a Suécia sabia exatamente o que queria: resistir à pressão brasileira e achar um gol em contra-ataque. Quase deu certo aos 39, quando Blackstenius recebeu lançamento longo pela direita, invadiu a área e, ao invés de tentar finalizar, cruzou para ninguém, para sorte do Brasil.

Aberta pela ponta direita, Marta constantemente recebia a bola em condição de mano a mano com Rubensson e passava pela marcadora como queria, mas, assim como toda seleção, faltava caprichar no último passe.

- Jejum e fim do sonho - Na volta do vestiário, Vadão promoveu uma mudança na equipe, colocando a meia Andressa, especialista na bola parada e de ótimo passe, no lugar da volante Thaisa.

A pressão continuou forte e as suecas se seguravam como podiam e só não estavam atrás no placar porque as brasileiras pecavam na hora de finalizar.

Como é de costume, as melhores chances do Brasil eram criadas quando Marta tocava na bola e a cinco vezes melhor do mundo teve grande oportunidade de abrir o placar aos 28.

No lance, a camisa 10 recebeu na esquerda e deixou as marcadoras para trás, invadiu a área, cortou para dentro, mas o chute saiu fraco, nas mãos de Lindahl.

A forte marcação pressão das comandadas do técnico Vadão acabou pesando no físico da equipe, que a partir da metade do segundo tempo já não conseguia atacar com a mesma energia. Com isso, a prorrogação era inevitável.

No tempo extra, Vadão finalmente atendeu aos pedidos insistentes das arquibancadas do Maracanã, que berravam em coro pela entrada de Cristiane, esperança de gol brasileiro.

A atacante, porém, entrou fria e sem tempo de bola, sentindo os três jogos que ficou de fora por lesão, e o Brasil ficou novamente refém de momentos de genialidade de Marta.

A um minuto para o fim da prorrogação, a xodó da torcida teve a chance de colocar o Brasil na final dos Jogos Olímpicos, quando Lindahl falhou primeira vez, o que quase lhe custou caro.

A goleira saiu mal no gol em cruzamento na área e a bola sobrou limpa para Marta pegar de primeira, mas a bola foi em cima da camisa 1, que espalmou. No rebote, Cristine tentou voleio mas mandou para fora as chances de decidir o jogo com bola rolando.

O apito final marcou também um grande jejum de gol para o Brasil: três jogos sem balançar as redes, desde a goleada contra as próprias suecas, na segunda rodada da fase de grupos.

Nos pênaltis, a Suécia mostrou enorme força mental, deixando de lado as ensurdecedoras vaias a cada vez que uma jogadora se apresentava para realizar sua cobrança.

Do lado brasileiro, a pressão pela medalha acabou sendo grande demais. Lindahl defendeu as cobranças de Cristiane e Andressa, as suecas calaram o Maracanã e chocaram os Jogos Olímpicos, como já haviam feito ao eliminar a favorita ao ouro, a seleção dos Estados Unidos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo