Esporte

Robson Conceição conquista ouro e Kipyegon vence duelo com Dibaba

16/08/2016 23h52

Rio de Janeiro, 17 Ago 2016 (AFP) - O brasileiro Robson Conceição conquistou nesta terça-feira a terceira medalha de ouro do Brasil nos Jogos do Rio, vencendo na categoria até 60 kg do torneio de boxe, em um dia também marcado pela vitória da queniana Faith Kipyegon sobre a etíope Genzebe Dibaba, recordista mundial dos 1.500 metros.

O boxeador baiano derrotou o francês Sofiane Oumiha por decisão unânime, para conquistar o primeiro título do boxe brasileiro em Jogos Olímpicos.

As medalhas de bronze foram para o cubano Alvarez e para o mongol Otgondalai Dorjnyambuu.

"Estou sonhando, não quero acordar deste sonho, mas vamos botar a cabeça no lugar e ver como fica daqui para frente", declarou Robson, de 27 anos, que havia prometido o ouro à filha Sofia.

No torneio de Atletismo, a queniana Faith Kipyegon venceu os 1.500 m ao superar a recordista mundial Genzebe Dibaba, da Etiópia, que teve que se contentar com a prata.

Kipyegon completou a distância em 4:08.92, quase um segundo de vantagem sobre Dibaba 4:10.27.

As duas já se enfrentaram no Mundial de Pequim, no ano passado, e a etíope tinha levado a melhor, deixando a queniana com o vice-campeonato.

O bronze foi para a americana Jennifer Simpson (4:10.53), campeã mundial em Daegu-2011 e vice em Moscou-2013

Omar McLeod tornou-se aos 22 anos o primeiro jamaicano campeão olímpico dos 110 m com barreiras, mostrando que a hegemonia do seu país em provas de velocidade não se limita aos 100 m e 200 m rasos, dominados pelo superastro Usain Bolt.

O jovem atleta venceu com tempo de 13.05, à frente do espanhol de origem cubana Orlando Ortega, prata (13.17), e do francês Dimitri Bascou, bronze (13.24).

No salto em altura, o canadense Derek Drouin confirmou o favoritismo e conquistou o ouro, com a marca de 2,38 m.

Atual campeão mundial, o atleta de 26 anos superou o catariano Mutaz Essa Barshim, prata com 2,36 m, e o ucraniano Bohdan Bondarenko, bronze com 2,33 m.

Enrolado numa bandeira do seu país, o novo campeão olímpico não conteve a emoção e chorou ao cumprimentar o púbico.

No salto triplo, o americano Christian Taylor manteve seu título de Londres-2012 saltando nesta terça 17,86 m (v +0,7 m/s), superando seu compatriota Will Claye (17,76 m) e o chinês Dong Bin (17,58 m).

No disco, a croata Sandra Perkovic manteve seu título olímpico com um lançamento de 69,21 m, superando a francesa Melina Robert-Michon (66,73 m) e a cubana Denia Caballero (65,34 m).

No torneio de Canoagem, o alemão Sebastian Brendel se sagrou campeão no C1 1000, à frente do brasileiro Isaquias Queiroz, prata, e do moldavo Serghei Tarnovschi, bronze.

Em disputa emocionante, Isaquias ficou lado a lado com Brendel durante praticamente toda a prova, mas acabou não aguentando o ritmo do alemão nos último 200 m, completando a distância em 3 minutos 58 segundos e 529 milésimos, 1.6 segundo atrás do agora bicampeão mundial (3:56.926). O moldavo Serghei Tarnovschi terminou a prova em 4:00.852.

A neozelandesa Lisa Carrington, atual campeã olímpica, manteve seu título na K1 200, com o tempo de 39seg864. A polonesa Marta Walczykiewicz ficou com a prata e a atleta do Arzebaijão Inna Osipenko-Rodomska, com o bronze.

As húngaras Gabriella Szabo e Danuta Kozak conquistaram o ouro na K2 500. A dupla campeã mundial venceu com o tempo de 1min43seg687, à frente das alemães Tina Dietze e Franziska Weber, campeãs olímpicas em 2012, que ficaram com a prata. As polonesas Karolina Naja e Beata Mikolajczyk levaram o bronze.

A alemã Kristina Vogel ficou com o ouro na prova de velocidade individual do ciclismo de pista.

Vogel, 25 anos, ouro por equipes em Londres-2012, bateu na final desta terça a britânica Rebecca James em duas corridas apertadíssimas, que se decidiram em milésimos.

O bronze foi para a inglesa Katy Marchant, que venceu na disputa pelo terceiro lugar Elis Ligtlee, surpreendente ganhadora do keirin no Rio-2016.

A alemã, heptacampeã mundial entre todas as disciplinas da pista, se despede do Brasil com um ouro e um bronze, o que conseguiu na prova de velocidade por equipes, após perder para China e Rússia, ouro e prata, respectivamente.

A britânica Laura Trott sagrou-se campeã do omnium, ao vencer quatro das seis disciplinas que compõem a competição e somar 230 pontos.

Trott, que no sábado também levou o ouro na perseguição por equipes, deixou a prata para a americana Sarah Hammer, com 206 unidades, e o bronze para a belga Jolien D'Hoore, 199.

Na luta greco-romana, o sérvio Davor Stefanek, na categoria até 66 kg, e o armênio Artur Aleksanyan, até 98 kg, sagraram-se campeões olímpicos.

Stefanek, campeão mundial em 2014, derrotou o armênio Migran Arutyunyan na final e assegurou a segunda medalha de ouro olímpica da história da Sérvia e a primeira medalha do país nos Jogos do Rio.

As medalhas de bronze ficaram com os georgianos Shmagi Bolkvadze e Rasul Cunayev.

Na categoria até 98 kg, Aleksanyan superou o cubano Yasmany Lugo na final. O iraniano Ghasem Rezaei e o turco Cenk Ildem ficaram com o bronze.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo