Esporte

Thiago Braz faz história nos Jogos do Rio

16/08/2016 01h04

Rio de Janeiro, 16 Ago 2016 (AFP) - Thiago Braz escreveu aos 22 anos uma das páginas mais gloriosas da história do esporte brasileiro ao conquistar a medalha de ouro do salto com vara nos Jogos do Rio, nesta segunda-feira, com a impressionante marca de 6,03 metros, novo recorde olímpico.

O título veio depois de uma disputa antológica com o grande favorito da prova, o francês Renaud Lavillenie, campeão olímpico de Londres-2012 e recordista mundial (6.16 m), que ficou com a prata, por ter saltado 5,98.

O americano Sam Kendricks levou o bronze, com um salto de 5,85.

O queniano David Rudisha confirmou seu domínio absoluto da prova dos 800 m ao conquistar a segunda medalha de ouro olímpica seguida na distância, com boa vantagem sobre os rivais.

O atleta de 27 anos venceu a corrida em 1:42.15, superando o argelino Taoufik Makhoufi, prata com 1:42.61, e o americano Clayton Murphy, bronze com 1:42.93.

Desde que se sagrou campeão mundial pela primeira vez, em Daegu-2011, Rudisha vem colecionando títulos. Um ano depois, veio o primeiro ouro olímpico, em Londres-2012, e no ano passado o bicampeonato mundial, em Pequim-2015. Ele só não participou do Mundial de Moscou-2013 por causa de uma lesão.

A jovem Shaunae Miller, das Bahamas, surpreendeu a todos ao se sagrar campeã dos 400 m rasos, ignorando o favoritismo da americana Allyson Felix, que foi frustrada na sua tentativa de se tornar a primeira mulher a conquistar cinco ouros olímpicos.

Em prova disputadíssima, Miller, de 22 anos, se jogou em cima da linha de chegada para vencer a prova em 49.44, o melhor tempo da sua carreira, apenas sete centésimos à frente de Felix, que ficou com a prata. A jamaicana Shericka Jackson completou o pódio (49.85).

Maior medalhista da história do atletismo feminino, Felix somou seu sétimo pódio feminino, com quatro ouros e três pratas.

Nos 3 mil metros com obstáculos, Ruth Jebet, do Bahrein, conquistou o ouro, com o tempo de 8:59.75, muito próximo do recorde mundial (8:58.81).

A prata foi para a queniana Hyvin Kiyeng Jepkemoi, com o tempo de 9:07.12. A americana Emma Coburn levou o bronze (9:07.63).

A polonesa Anita Wlodarczyk conquistou o ouro no lançamento de martelo, com direito a recorde mundial, com a impressionante marca de 82,29 metros.

Wlodarczyk superou o próprio recorde mundial, que era de 81,08 metros.

Prata em Londres-2012 e campeã mundial em Berlim-2009 e Pequim-2015, a polonesa superou a chinesa Wenxiu Zhang, prata com 76,75 metros, e a britânica Sophie Hitchon, bronze com 74,54 metros.

Medalhas da ginásticaNa Ginástica Artística, o grego Eleftherios Petrounias levou o ouro nas argolas, evitando que o brasileiro Arthur Zanetti, prata, defendesse o título conquistado em Londres-2012.

Zanetti não teve como contar com o erro do adversário. Com apresentação irretocável, Petrounias, atual campeão mundial do aparelho, ganhou a competição com nota 16,000, contra 15,766 de Zanetti. O russo Denis Alizin completou o pódio, com 15.700.

Na trave, a principal surpresa do dia foi o tropeço da estrela Simone Biles, que errou na conclusão de um mortal e teve que se contentar com o bronze. O ouro foi para a holandesa Sanne Wevers e a prata para outra americana, Lauren Hernandez

No boxe olímpico, o russo Evgeny Tishenko conquistou o ouro da categoria até 91 quilos ao vencer por decisão unânime o cazaque Vassily Levit.

Levit levou a prata, enquanto as medalhas de bronze foram conquistadas pelo uzbeque Rustam Tulaganov e o cubano Erislandy Savón.

Na Luta Greco-Romana, o cubano Mijaín López e o russo Davit Chakvetadze conquistaram as medalhas de ouro nas categorias até 130 kg e até 85 kg.

O russo Chakvetadze conquistou o título dos 85 kg ao derrotar na final o ucraniano Zhan Beleniuk, atual campeão do mundo.

O alemão Denis Kudla e o bielorrusso Javid Hamzatau levaram as medalhas de bronze.

Na categoria até 130 kg, o cubano López derrotou o turco Riza Kayaalp na disputa da medalha de ouro.

López, 33 anos, conquistou assim a sua terceira medalha de ouro olímpica consecutiva.

As medalhas de bronze ficaram com Sabah Shariati, do Azerbaijão, e Sergey Semenov, da Rússia.

No Ciclismo, o italiano Elia Viviani levou o ouro na prova omnium no Velódromo do Parque Olímpico do Rio.

Viviani iniciou a última prova de seis como líder e, apesar de ter sofrido uma forte queda, acabou conquistando a medalha de ouro com 207 pontos.

O britânico Mark Cavendish foi o segundo, com 194, e o dinamarquês Lasse Norman Hansen, campeão em Londres-2012, conquistou o bronze (192).

O sul-coreano Sanghoon Park, que sofreu um choque com Viviani, teve que ser retirado de maca depois de ficar vários minutos imóvel.

Pedido de casamentoNo Hipismo, a amazona britânica Charlotte Dujardin foi pedida em casamento, logo após conquistar o ouro na prova de adestramento individual dos Jogos.

"Podemos nos casar agora?", dizia a mensagem de seu noivo, Dan Golding, presa a sua camisa polo vermelha, quando ela dava a volta da vitória.

"Ele já me pediu antes, e eu disse que sim. Acho que ele não acreditava que fosse acontecer (o casamento), por isso fez o pedido público para que eu definitivamente me case", acrescentou a amazona londrina de 31 anos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo