Esporte

Andreia Bandeira perde para chinesa e fica sem medalha no boxe

17/08/2016 16h20

Rio de Janeiro, 17 Ago 2016 (AFP) - A pugilista brasileira Andreia Bandeira poderia ter garantido medalha se tivesse vencido a chinesa chinesa Qian Li, mas foi derrotada por decisão unânime dos juízes nas quartas de final da categoria peso médio feminino(até 75 kg) dos Jogos do Rio, nesta quarta-feira, no Pavilhão 6 do Riocentro.

Com a eliminação de Andreia, o boxe brasileiro encerra sua participação olímpica com uma medalha, contra três em Londres-2012, mas o pódio foi histórico, porque foi o primeiro ouro dopaís na modalidade, com Robson Conceição, na categoria peso leve (até 60 kg).

"Saí derrotada, mas estou contente demais porque foi uma jornada muito longa, sofri lesões, altos e baixos, mas chegar nas Olimpíadas aqui no Brasil, para mim, já é uma medalha de ouro", afirmou Andreia depois da luta.

A pugilista de 29 anos estava em clara desvantagem em termos de alcance, por ser mais de dez centímetros mais baixa que a adversária (1,69 m contra 1,80 m).

Valente, a brasileira foi para cima, conseguiu conectar alguns golpes, mas o primeiro round foi controlado pela chinesa, que levou a melhor na decisão dos juízes.

Andreia adotou postura ainda mais agressiva no segundo assalto, mas novamente Qi foi mais efetiva.

No terceiro, a chinesa dominou totalmente e atingiu a brasileira em cheio várias vezes.

"Lutei melhor que na primeira luta (contra a panamenha Atheyna Bylon), bem consciente, bem tranquila, mas pequei no terceiro round. Ela joga muito direto, e foi aí que ela consgeguiu evoluir", reconheceu a brasileira.

Empurrada pela torcida, Andreia foi para o tudo ou nada no quarto e último assalto, mas não foi suficiente para impedir o fim do sonho da medalha olímpica.

Quando chegou o momento do anúncio da decisão dos juízes, ela sequer levantou o braço, como todos os boxeadores costumam fazer, sabendo que a derrota era certo.

Apesar da desilusão, Andreia foi ovacionada pela torcida e mostrou-se emocionada com todo esse carinho. "Nunca ouvi uma torcida como essa em nenhum lugar do mundo. E olha que já lutei em muitos lugares. Foi um momento único e sei que não vai acontecer novamente no Brasil tão cedo", completou.

Na semifinal, Qi enfrentará a holandesa Nouchka Fontijn, que superou a britânica Savannah Marshall na luta que veio em seguida.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo