Esporte

Justiça ordena apreensão de passaportes de americanos assaltados no Rio

17/08/2016 22h40

Rio de Janeiro, 18 Ago 2016 (AFP) - A Justiça determinou nesta quarta-feira (17) a apreensão dos passaportes do nadador americano Ryan Lochte e de seu colega de equipe James Feigen para impedir que deixem o país, após dúvidas levantadas por um vídeo a respeito do suposto assalto que teriam sofrido.

"A juíza Keyla Blank emitiu um mandado de busca e apreensão dos passaportes dos nadadores dos Estados Unidos. Dessa forma, eles estão proibidos de deixar o país", afirmou uma fonte judicial.

A Polícia divulgou uma declaração, afirmando que foi até a Vila Olímpica, mas "os referidos atletas não foram encontrados".

A imprensa americana publicou que, segundo o advogado de Lochte, o medalhista já voltou para os Estados Unidos. Ainda não há informações sobre Feigen.

O Comitê Olímpico dos Estados Unidos se negou a fazer comentários sobre a localização de seus atletas, mas confirmou que estão sendo procurados pela Polícia brasileira.

"A Polícia local chegou à Vila Olímpica esta manhã e pediu para se reunir com Ryan Lochte e James Feigen e pegar seus passaportes, a fim de assegurar outros depoimentos dos atletas", afirmou o porta-voz Patrick Sandusky.

"A equipe de natação deixou a vila depois que competição terminou, portanto, não temos como dizer se os atletas estão disponíveis. Além disso, como parte de nosso protocolo de segurança padrão, não tornamos público os planos de viagem dos atletas e, portanto, não podemos confirmar a localização dos atletas", acrescentou.

Sandusky disse ainda que a equipe americana "continua a cooperar com as autoridades brasileiras".

Lochte alega que ele e três colegas foram assaltados quando saíam de táxi de uma festa na Zona Sul do Rio. Os quatro nadadores teriam sido obrigados a deitar no chão e tiveram dinheiro e outros itens roubados sob a ameaça de armas.

"O cara puxou a arma", contou Lochte. "Botou na minha cabeça e disse: deita. Ele levou nosso dinheiro, ele pegou minha carteira - ele deixou meu celular, ele deixou minhas credenciais", acrescentou.

Um vídeo obtido pelo jornal britânico "Daily Mail" levanta dúvidas, porém, sobre a ocorrência dos fatos, ao mostrar os atletas chegando à Vila Olímpica em um horário e com uma atitude que diferem muito dos depoimentos prestados.

A Polícia continua procurando testemunhas do suposto assalto, assim como o motorista do táxi em que os atletas disseram estar.

A Justiça está avaliando "possíveis inconsistências da história dos nadadores", como depoimentos desencontrados de quantos seriam os assaltantes.

"É visível que as vítimas chegaram física e mentalmente inabaladas, até mesmo brincando uns com os outros", observou a juíza a respeito das imagens mostradas pelo vídeo.

Na gravação, é possível ver os quatro atletas chegando normalmente à Vila Olímpica, sem sinais visíveis de que teriam acabado de passar por uma experiência traumática. Como mostram as imagens, os nadadores passam por um raio x, tirando o que parecem ser carteiras e celulares de seus bolsos. Em um momento, Lochte brinca com o colega, batendo sua credencial olímpica nele.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo