Esporte

Ágatha e Bárbara perdem para dupla alemã e ficam com prata no vôlei de praia

18/08/2016 01h33

Rio de Janeiro, 18 Ago 2016 (AFP) - Esperança de ouro para o Brasil no vôlei de praia, Ágatha e Bárbara foram dominadas pelas alemãs Laura Ludwig e Kira Walkenhorst, nesta quarta-feira na Arena de Copacabana, e tiveram que se contentar com a medalha do prata dos Jogos Olímpicos Rio-2016.

As brasileiras, que chegaram à grande decisão com uma atuação primorosa contra as favoritas americanas Kerri Walsh e April Ross nas semifinais, não foram páreo para a dupla da Alemanha, atual número 1 do ranking mundial, perdendo em dois sets, parciais de 21-18, 21-14.

A derrota na final do torneio finalizou uma decepcionante noite de vôlei para a animada torcida carioca, que mais cedo viu Larissa e Talita perderem de virada a disputa do bronze para Walsh/Ross (17-21, 21-17 e 15-9), acabando com a esperança de 'dobradinha' brasileira no pódio.

Na cerimônia de premiação, percebendo o visível abatimento da dupla brasileira, a torcida que lotou a Arena de Copacabana ecoou o grito de "Brasil! Brasil!", devolvendo o sorriso aos rostos de Ágatha e Bárbara, que retribuíram com beijos o carinho do público.

Apesar da decepcionante derrota na final e na disputa pelo bronze, o vôlei de praia segue sendo um dos carros-chefes do esporte brasileiros em Jogos Olímpicos. A prata de Ágatha e Bárbara se torna a 12ª medalha do país no esporte (2 ouros, 7 pratas e 3 bronzes).

Para a Alemanha, trata-se da conquista da primeira medalha olímpica do vôlei feminino. No masculino, o país havia subido ao mais alto do pódio em Londres-2012 com Julius Brink e Jonas Reckermann e vencido o bronze em Sydney-2000 com Axel Hager e Jorg Ahman.

Mas nem tudo está perdido para o Brasil no vôlei de praia. Nesta quinta-feira, a última esperança dourada estará no torneio masculino. Na final, Alison e Bruno enfrentam os italianos Lupo e Nicolai e tentarão se tornar a primeira dupla brasileira campeã olímpica desde Ricardo e Emanuel, em Atenas-2004.

- Domínio alemão, decepção brasileira -Com a derrota de Larissa e Talita diante das americanas Walsh e Ross na partida pelo bronze, sobrava a Ágatha e Bárbara a tarefa de reanimar o público, que esperava impacientemente poder ouvir o hino nacional tocar na Arena de Copacabana

Assim como haviam feito nas semifinais contra Walsh e Ross, as brasileiras entraram muito concentradas em quadra, cometendo pouquíssimos erros. Do outro lado, as alemãs, atuais número 1 do mundo, apresentavam o jogo completo que fizeram delas a melhor dupla dos Jogos até então, invictas e com apenas um set perdido na competição.

Com isso, o primeiro set começou muito equilibrado, disputado ponto a ponto, até o meio da parcial. O vento oriundo do mar de Copacabana foi ganhando força e prejudicando as brasileiras, que não conseguiram se acostumar com a mudança nas condições da quadra e passaram a cometer erros infantis em recepções de saque.

Ludwig e Walkenhorst, campeãs de três etapas do Circuito Mundial neste ano, com direito a vitória na final em Hamburgo sobre as próprias Ágatha e Bárbara, perceberam a dificuldade brasileira e aproveitaram.

A partida, que estava empatada em 15-15, de repente viu as germânicas dispararem no placar, com Walkenhorst aproveitando seus 1.85 m de altura para anotar três dos seus quatro bloqueios no jogo. Em um deles, fechou a parcial em 21-18.

As brasileiras sentiram o golpe. Indecisas na defesa e cometendo erros de levantamento básicos, foram atropeladas pela consistência alemã. Depois de abrir 7-1 no início do segundo set, Ludwig e Walkenhorst mantiveram a calma até selar a conquista do inédito ouro olímpico para o vôlei de praia feminino da Alemanha em 21-14.

- Larissa e Talita não levam bronze -Na partida anterior à grande final, Larissa e Talita foram as primeiras brasileiras a tentar garantir uma medalha na Arena de Copacabana.

Brigando pelo bronze, as brasileiras fizeram partida de grande equilíbrio com as americanas Walsh e Ross, mas as adversárias levaram a melhor em três sets, de virada, parciais de 17-21, 21-17 e 15-9 e ficaram com a última vaga no pódio.

Com a derrota, Larissa não conseguiu revalidar o bronze conquistado em Londres-2012, quando atuava ao lado de Juliana Silva, e desperdiçou a chance de se vingar de Walsh, responsável pela eliminação da brasileira nas quartas de final em Pequim-2008 e nas semifinais dos Jogos londrinos.

Já Walsh, que nunca havia perdido uma partida em Jogos Olímpicos - que disputa desde Atenas-2004 - até encontrar com Ágatha e Bárbara nas semifinais da Rio-2016, soma um bronze às três medalhas de ouro olímpicas conquistadas ao lado de Misty May.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo