Topo

Esporte

Chefe do COI europeu depõe no Rio por venda ilegal de ingressos

18/08/2016 22h30

Rio de Janeiro, 19 Ago 2016 (AFP) - O máximo dirigente do Comitê Olímpico Europeu, Patrick Hickey, detido pela polícia na quarta-feira por venda ilegal de ingressos para os Jogos do Rio, abandonou o hospital nesta quinta e seguiu para uma delegacia para prestar depoimento, informou o Comité Olímpico Irlandês.

Hickey, 71 anos, foi detido na véspera em um hotel da Barra da Tijuca, mas passou mal e acabou sendo levado a um hospital da região.

"O Comitê Olímpico Irlandês confirma que Hickey abandonou o hospital e foi levado a uma delegacia para prestar depoimento".

Horas após a prisão, Hickey anunciou que abandonava "temporariamente" seus cargos de presidente do Comitê Olímpico Irlandês e dos Comitês Olímpicos Europeus.

O esloveno Janez Kocijancic ocupa provisoriamente o cargo de presidente do Comitê Olímpico Europeu.

Hickey é investigado por integrar uma rede internacional de venda ilegal de ingressos para os Jogos do Rio.

O irlandês Kevin James Mallon, diretor da empresa THG Sports, foi preso em 5 de agosto, no Rio, no dia da cerimônia de abertura da Olimpíada, acusado de venda ilegal de entradas.

A justiça também emitiu ordens de prisão contra o presidente do clube de futebol inglês Ipswich Town, Marcus Evans, e David Patrick Gilmore (Irlanda), Maarten van Os (Holanda) e Martin Studd (Inglaterra).

Os quatro são acusados de revender ilegalmente ingressos obtidos através do Comitê Olímpico Irlandês. Como não se encontram no Brasil, a Interpol receberá os pedidos de prisão.

bur-tw/lr

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte