Esporte

Isaquias Queiroz larga mal, se recupera e leva bronze no C1 200 m

18/08/2016 11h13

Rio de Janeiro, 18 Ago 2016 (AFP) - Dois dias depois de ganhar a primeira medalha olímpica do Brasil na canoagem, a prata no C1 1000 m, Isaquias Queiroz voltou à Lagoa Rodrigo de Freitas nesta quinta-feira e garantiu o bronze, desta vez no C1 200 m, ignorando largada ruim que quase o tirou da briga pelo pódio.

Isaquias completou a distância em 39 segundos e 628 milésimos, atrás do agora bicampeã olímpico Iurii Chebam (39.279) e de Valentin Demyanenko (39.493), do Azerbaidjão.

Nas semifinais, Isaquias já havia mostrado que vinha forte em busca de medalha, anotando o melhor tempo geral em 39.659 segundos.

Na final, o canoísta brasileiro teve largada ruim, caiu para a sexta colocação e precisou fazer prova de recuperação, ultrapassando os rivais nos último metros para garantir um lugar no pódio.

A prova foi tão parelha que, ao cruzar a linha de chegada, Isaquias acreditava ter ficado fora do pódio e, frustrado, jogou o remo na água, se destabilizando e caindo do barco.

Quando percebeu seu nome entre os três primeiros após o anúncio do resultado oficial, o brasileiro comemorou efusivamente de dentro da água da Lagoa Rodrigo de Freitas.

"Todo mundo sabe que minha saída é um pouco ruim. A minha chegada é melhor. Mas eu perdi muito tempo na saída. No final, conseguir recuperar. Vi muita gente na minha frente e achei que não tinha ganhado", admitiu Isaquias.

Enquanto isso, nas arquibancadas do Estádio de Remo dos Jogos Olímpicos Rio-2016, a torcida gritava em coro o nome do ídolo: "I-SA-QUIAS!".

Após a cerimônia de premiação, o carismático baiano de 22 anos quebrou o protocolo e correu para os braços do público, não conseguindo conter a felicidade por ter conquistado sua segunda medalha olímpica.

Na quarta-feira, Isaquias competiu na prova do C1 1000 m e levou a prata, a primeira medalha do Brasil na canoagem em Jogos Olímpicos.

Já com o bronze no peito, o brasileiro fez sinal de 'três' com os dedos, mostrando não estar satisfeito com 'apenas' duas medalhas e que buscará uma terceira glória olímpica.

"Estou muito feliz com essa conquista, mas não estou satisfeito com duas medalhas. Agora eu vou em busca da terceira, eu quero mais", alertou.

Se conseguir, o baiano de 22 anos se tornará o primeiro brasileiro a subir três vezes ao pódio em uma única edição dos Jogos.

Nesta sexta-feira, ele compete nas eliminatórias do C2 1000 m ao lado do compatriota Erlon Silva, com quem obteve o ouro no Mundial de Milão-2015.

- Largada ruim e emoção no fim -Como o prório Isaquias admitiu, a largada do brasileiro não é das melhores e nesta sexta-feira quase lhe custou o pódio.

Com 50 metros disputados, o baiano se encontrava na penúltima colocação, longe dos líderes.

Só a partir da metade da prova Isaquias começou a tirar o atraso. Foi ultrapassando um por um os adversários, mas ainda parecia distante do pódio.

O final de prova foi emocionante. Quando parecia ter que se contentar com um quarto, talvez quinto lugar, Isaquias 'chutou' o barco ao cruzar a linha de chegada, um movimento para tentar projetar a embarcação ao cruzar a linha de chegada.

Deu certo. Depois de alguns segundos de suspense, o placar oficial mostrava que Isaquias tinha chegado na terceira colocação, apenas 21 centésimos mais rápido que o quarto colocado, o espanhol Alfonso Lopez.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo